domingo, 17 de abril de 2011

Excelente regresso da Estafeta Cascais-Lisboa

Na estátua da amizade, com os amigos Sandra e Filipe
E os Amigos do Parque da Paz
E com os Run 4 Fun
E mais uma corrida terminada!

Pela 73ª vez, realizou-se a Estafeta Cascais-Lisboa que teve hoje a sua 72ª edição. Não, não é gralha. A explicação é simples. A 1ª edição foi disputada a 23 de Abril de 1933, com os Vendedores de Jornais a triunfarem num pelotão de 4 equipas, mas 1 ano antes, a 24 de Abril de 1932, houve aquela que se designa agora de edição 0, com 8 equipas e a vitória a sorrir ao Benfica.
Até 2004, apenas não se realizou em 1953 e 1956. No primeiro caso em virtude dum litígio entre os clubes lisboetas e a Federação, e no segundo pela recusa da Câmara Municipal em que os atletas utilizassem as ruas da capital (que poderiam estragar!!!), o que provocou que entre 1957 e 1960 a Cascais-Lisboa fosse na realidade Guincho-Algés. Em 1961 tudo regressou à normalidade, até 2004. Depois, apenas se tornou a disputar em 2007.
Nestas 72 edições, a equipa mais vitoriosa foi o Sporting com, nada menos nada mais, que 42 triunfos! Seguem-lhe o Benfica 15 e a Conforlimpa 6. Em atletas, Fernando Mamede é o mais vitorioso com 16 triunfos, seguido dos 14 de Carlos Lopes e 10 de Armando Aldegalega.
1992 marcou o ano em que as equipas femininas, e também as populares, puderam participar. A JOMA é a mais vitoriosa em termos femininos com 4 triunfos, seguida do Pasteleira e Braga com 3, enquanto Marina Bastos, com 5 vitórias, leva a palma do maior número de triunfos.

E chega 2011 e o tão ambicionado regresso. E em grande! Dos jardins do Casino Estoril aos Jerónimos, 20 kms divididos por 4 turnos de 5 cada. A abrilhantar mais a jornada, uma prova em linha de 20 kms, num esforço conjunto da Associação de Atletismo de Lisboa, Xistarca e Seaside.
E a recompensa foi grande com 76 equipas, o que passa a constituir novo record de participação. Os inscritos foram 108.
A este número juntaram-se 409 atletas que percorreram o percurso na sua totalidade.

O Reboleira foi o primeiro vencedor deste novo formato. Com uma equipa formada por Bruno Fraga, João Marques, Eugénio Neto e Nuno Romão, cortaram a meta aos 1.05.49, menos 37 segundos que a Juventude Vidigalense que teve nas suas fileiras Bruno Rodrigues, Jorge Miranda, Ricardo Fernandes e João Leal. Com 1.07.57, o Linda-a-Pastora completou o pódio, formado por Rodrigo Torres, Diogo Morgado, Fábio Oliveira e Pedro Conceição.
No sector feminino, o Benfica venceu destacado em 1.20.57, numa equipa que juntou juventude e veterania. A equipa foi constituída por Lucília Soares, Luísa Coelho, Vera Nunes e Sónia Sousa.
Subiram ao pódio em 2º a Garmim com as atletas Isabel Rodrigues, Susana Almeida, Paula Lemos e Paula Fernandes, 1.26.51, seguida pelo Mafra, 1.27.46, com a sua equipa a ser formada por Maria José Frias, Alice Basílio, Helena Martins e Kristine Reis.

Nos 20 kms em linha, Artur Santiago do Linda-a-Velha, venceu em 1.08.48 e um avanço de 3.20 sobre Joel Martins do Benavente que, por seu turno, distanciou o 3º, Luís Lima dos Amigosdacorrida.com, em 3.37
Nos femininos, Carla Pinto do Macedo Oculista venceu em 1.36.28, sendo a 2ª Patricia Gonçalves do Clube do Stress, 1.38.40, e Maria João Lopes do Clube Bolinha a completar o pódio em 1.39.16.

A minha prova correu bem, fiz 1.57.05 de tempo real mas aparecendo 1.56.15 no oficial! Pensava que o calor pudesse afectar um pouco mas foi amenizado pelo vento, que apenas prejudicou um bocadinho na parte final, na looonnnga recta de Algés.
Tive a agradável companhia da Sandra e do Filipe, atleta que cada vez mais está a mostrar a sua alma para distâncias. E também a sempre muito agradável e apreciada companhia do João Branco durante o 2º percurso da sua estafeta.

Em relação à organização, tudo correu bem, dentro do que me foi dado a presenciar, e faço aqui um parentises para notar que desconheço em relação à estafeta, mas pelo que ouvi também correu bem. O único ponto a melhorar prende-se com algo que se passou com as classificações. No caso da Estafeta têm alguns erros nos parciais e nos 20 kms há diferenças. No meu caso, o tempo oficial foi de 1.57.20, como podemos ver na fotografia da minha chegada, e que bate certo com o meu relógio (1.57.05 meta a meta), mas na classificação sou creditado com 1.56.15. Alguma coisa não correu da melhor maneira neste aspecto.
Mas no computo geral, a nota é mais que positiva e o sorriso de satisfação dos atletas no final, pela óptima manhã proporcionada, diz tudo. Que venha a próxima!


2 comentários:

  1. Olá João,

    Numa altura em que muitas provas não se efectuam por falta de verba, numa altura em que o País se encontra numa situação critica, uma prova como esta, foi uma lufada de ar fresco e um "presente especial" pela grande falta da corrida do Metro que seria neste dia.

    Quando estavamos a correr, um amigo do Parque da Paz - João Cunha - dizia que infelizmente ainda não descobriram que o problema do Sistema Nacional de Saúde é a falta de propaganda e apoio nestas provas, que levaria muito menos gente aos centros de saúde... E é bem verdade. Estes eventos extraordinários, fornecem-nos saúde, amizades, convivio, motivação, alegria, risos e tudo o necessário para não adoecer.

    O que tenho a dizer- Que adorei a prova, o percurso lindíssimo, sempre com o o azul do Mar/Rio a acompanhar do nosso lado direito e na companhia de muito bons amigos, que me fazem sentir feliz!

    Parabéns a todos e a ti e a Mafaldinha em especial, João, porque são extraordinários amigos e profissionais. Excelentes fotos, excelente blog!!! : )

    Sandra

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo excelente contributo, Sandra!

    ResponderExcluir