quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Parabéns Nélson Évora!

Nélson Évora alcançou hoje a medalha de bronze no Triplo-Salto do Mundial de Atletismo!

Uma medalha é sempre um momento ímpar na vida dum atleta, mas no caso vertente de Nélson Évora é um sentimento amplificado por tudo o que ele sofreu nestes últimos anos, nunca deixando de lutar e crer. Uma grande vitória da persistência e um enorme exemplo! 

Destaco aqui este feito pela sua expressão, mas TODOS os que têm estado presentes neste Mundial merecem a nossa admiração e reconhecimento. 
Quem sabe o que as coisas custam a alcançar, compreenderão esta frase. Os "jornaleiros" sentados no conforto da sua cadeira, que se danem.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Ufa... uma Meia em treino

Às 7 da manhã, arranquei do Passeio Marítimo de Oeiras rumo ao Complexo Desportivo do Jamor, para depois regressar.

Foi o primeiro treino longo após a lesão que no início do mês me obrigou a 2 semanas e meia de paragem.

Já na 6ª feira tinha feito 15 km e este era o momento para tentar uma distância maior.

A intenção cifrava-se entre os 20 e os 22 km e acabou por ser pouco mais do meio (21,1 ou uma Meia-Maratona).

No entanto, foi difícil, mesmo muito difícil. Que diferença para o passado mês de Julho onde despachava 24 a 25 km com uma certa naturalidade. A paragem forçada fez-me regredir e se este era o mês para fazer uns treinos de 30, está a ser custoso completar uma Meia.

Mas completei-a e não há como voltar atrás. O caminho é em frente e é com isto que tenho que jogar. Para medo desta Maratona já basta o que tinha, não adianta esconder. 

Daqui a semana e meia, haverá outro longo. Espero que um pouco maior (24?)

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Boa sorte aos nossos 16 mundialistas!


Começa amanhã, estendendo-se até ao dia 30, o Mundial de Atletismo.

Disputa-se em Pequim onde se realizaram os Jogos Olímpicos de 2008 (já passaram 7 anos?!?).

A nossa representação é composta por 16 briosos atletas a quem endereço as maiores felicidades e o desejo que tudo corra pelo melhor.

São eles:

Femininos

Ana Cabecinha – 20 km marcha – Pechão 
Dulce Félix – 10.000 metros – Benfica 
Filomena Costa – Maratona – Jardim da Serra
Inês Henriques – 20 km marcha – Rio Maior 
Irina Rodrigues – Disco – Sporting
Patrícia Mamona – Triplo Salto – Sporting
Sara Moreira – 10.000 metros – Sporting
Susana Costa – Triplo Salto – Benfica
Vera Santos – 20 km marcha – Sporting 

Masculinos

Hélio Gomes - 1.500 metros – Benfica
João Vieira – 20 km marcha – Sporting 
Nelson Évora – Triplo Salto – Benfica
Pedro Isidro – 50 km marcha – Benfica
Sérgio Vieira – 20 km marcha – Benfica
Tsanko Arnaudov – Peso - Benfica
Yazaldes Nascimento – 100 metros – Benfica

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Já corro novamente! :)


Após 2 semanas e meia de paragem, estou de volta, recuperado!

Estava difícil e sem sinais de melhoras até que na 5ª feira praticamente deixei de sentir o problema. Na 6ª e sábado não senti absolutamente nada e ontem decidi ir fazer um teste.

Foram 3 km muito devagarinho. Curiosamente, custaram-me um pouco, imaginem! Há 3 semanas fazia longos e agora senti-me penro por 3 km após esta paragem.

Mas nada senti, o que se manteve ao longo do dia e me levou hoje a arriscar 10 km.

E ai que sensação de liberdade!!!!! Ao contrário de ontem, hoje corri solto, confortável e parecia um passarinho livre da gaiola. Completei os 10 de forma confortável (59.43) e sempre a sentir-me bem. Apenas no final senti-me um bocadinho cansado mas é natural. 
E já passaram 6 horas e o pé continua perfeito o que indicia que o mau tempo já lá vai!

Na 4ª feira vou outra vez treinar, e desta vez para experimentar os sapatos novos, o que ainda não pude fazer, indo ao final do dia ao Urbano para outra "tareia" e aproveitar para ver como está o pé.

Claro que perdi uns longos, e vou perder mais nesta semana pois não dá para recomeçar logo com longos (perco assim 4) mas, como não vale a pena chorar sobre o leite derramado, há que aproveitar o que tenho agora para ir à luta e encarar aquela que em 2013 se ficou a rir mas que a 18 de Outubro quem se vai rir sou eu e muito!

Fotografia gentilmente enviada pelo Jorge Branco :)

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Para onde foi este público?

(Fotografia publicada na Revista Spiridon nº 4 de Maio/Junho 1979)
Correndo em Portugal, corre-se no meio de bem compostos pelotões mas ladeados por escassos espectadores ou mesmo inexistentes. 

Conheço duas honrosas excepções, a São Silvestre da Amadora e a Corrida das Fogueiras em Peniche, que nos fazem sentir campeões com tanto apoio e incentivo.

Daí que na minha estreia internacional em Sevilha, há ano e meio, tenha-me sentido noutro mundo com milhares e milhares de pessoas a gritarem e aplaudirem desde o 1º ao último atleta, só lhe faltando levar-nos ao colo. 

E o apoio internacional é bem visível quando se corre em Lisboa com ruas desertas de espectadores, e com o barulho de fundo de nervosas buzinadelas de quem não quer esperar uns minutos, e de vez em quando lá aparece alguém a gritar e aplaudir. Passamos por eles e... são estrangeiros.

Mas terá sido sempre assim? 

A desfolhar uma Revista Spiridon bem antiga (a nº 4 referente a Maio / Junho de 1979), deparei com a foto que publico em cima.

Refere-se ao Grande Prémio de Alcoitão, disputado a 18 de Março de 1979 pelas 17 horas, com a distância de 7.000 metros, cerca dum milhar de inscritos e onde o vencedor foi Renato Graça do CDUL em 23.36

Mas o que nos surpreende nesta foto é verificar o mar de gente que preenchia por completo os passeios!

Para onde foi este público?

De certo que haverá imensas justificações para termos passado deste entusiasmo para o deserto dos passeios.  

Pessoalmente, recordo-me de como eram os jornais desportivos e os telejornais da época. Dando prioridade ao futebol, tinham sempre espaço para os restantes desportos. E as pessoas tanto seguiam o futebol como as outras modalidades. Ao ouvirem falar, interessavam-se. E na altura, era frequente e constante os jornais desportivos terem notícias dessas modalidades também na primeira página. E estamos a falar duma época em que se publicavam apenas 3 vezes por semana.

Hoje, com os desportivos a serem diários, com a proliferação de canais televisivos e de programas noticiosos, o futebol tem praticamente exclusividade assegurada (e até aqui há diferenças pois dantes noticiavam os vários clubes e agora parece que existem apenas 3...) 

Quem é mesmo apaixonado por uma modalidade, vai à procura das notícias, nomeadamente nos sites dedicados, mas o grande público não foi educado a apreciar e seguir modalidades que não sejam a ditadura do futebol, pois não lhes são dadas a conhecer.

É a minha opinião, gostava de ouvir o que pensam no que poderá ter acontecido a este público da fotografia.  

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

(a complicar) Pelo menos mais duas semanas de paragem...

Pois o tom optimista da semana passada em que era apenas uma semana de paragem e, assim sendo, não iria prejudicar a preparação para a Maratona de Lisboa, já embateu na realidade.

Pelo menos, irei ter mais duas semanas de paragem forçada, o que a juntar a esta que agora termina, passa a 3 semanas, tempo que para mim é sinónimo de a forma volatilizar-se.

E, obviamente, após 3 semanas de paragem não dará para começar logo com treinos longos, o que só deverá suceder a um mês do grande dia. 
A coisa começa a complicar-se...

Não deixa de ser irónico que, pelas razões que referi há uma semana, agora tenho imenso tempo para treinar e não posso. Além de me fazer falta por questões de sanidade mental.

O que se passou então? Segui todas as indicações à risca e 3ª sentia-me praticamente a 100%. Na 4ª estava perfeito e na 5ª fui fazer uma muito ligeira corrida. A intenção eram apenas 3 km a uma muito lenta média de 6.35
Tudo estava a correr bem até que aos 1.950 metros, a dor regressou de súbito e parei de imediato. Cheguei a casa, muito gelo e a dor acalmou.
Hoje, 6ª feira, tinha marcada uma prova de esforço de rotina. Enquanto foi apenas a andar no tapete, tudo bem, mal foi necessário começar a correr, de imediato a dor regressou e em força, mantendo-se o resto do dia.
Fui à CUF, o ortopedista esteve a analisar, tirei raio-x para despistar alguma fissura ou fractura de stress e o veredicto foi uma lesão tendinosa que está a provocar isto tudo.
  

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Revista Spiridon Julho/Agosto



Com uma capa retratando a mítica Corrida das Fogueiras, já está em distribuição o nº 221 da Revista Spiridon, relativo a Julho e Agosto

Seus temas, além das habituais rubricas:

- Saber fixar metas
- Que tipo de marcações para o trail?
- O fascínio de correr à noite!
- Rui Cabral... 285 Maratonas!
- 32 super corredores
- O coração do corredor de Maratona
- Os joelhos do corredor
- Quanta água se deve beber?
- Preparação para os 21 Km... em 5 semanas!
- Cortar o cabelo na véspera da prova
- Saiba aplicar a regra 80/20
- Correr à espera do bébé
- 26 ossos, 22 articulações, 100 tendões. Saiba cuidar dos pés...

A Revista Spiridon apenas é distribuída através de assinatura anual (6 números por 24 euros). Se pretender receber este número poderá fazê-lo ao preço de 4,50 euros solicitando-o para revista.spiridon@gmail.com