sábado, 20 de dezembro de 2014

Três (de dezasseis) estão feitos e bem feitos!

Antes do treino...
... e após. O aspecto é quase igual. Nem parece que acabámos de fazer 24 km

Tal como já tinha aqui escrito, o meu plano para Paris começou com a Meia dos Descobrimentos e engloba 16 longos (considero longos de 20 a 30), sendo 5 em corrida e 11 em treino.

Na Meia dos Descobrimentos, apesar do problema intestinal que estava a sentir na altura, e que felizmente já faz parte do passado, acabou por ser uma boa prova onde resisti bem. 

De seguida e no passado domingo, fui realizar 22 km, ao fim da tarde.

E que bem me saíram! 2.19 de tempo total com passagem em 2.13 à Meia. Mas se compararmos com uma Meia, ali fui sozinho, sem geis, passando nalguns passeios mais apertados e atravessando algumas ruas, o que faz perder tempo, e mesmo assim realizei essa marca num treino onde parecia um relógio suíço tal a constância de andamento, tendo acabado muito bem e recuperado ainda melhor.
Esse treino começou em Carcavelos, com ida ao Jamor e volta na canoagem, regressando a Carcavelos. 

Hoje foi dia de 24 km com o João Cravo, que se vai estrear na mítica distância em Paris.
Deixámos o carro em Belém, apanhámos o comboio para Cascais e começámos aí, frente ao Baía, regressando a Belém pelos passeios marítimos quando existentes.

Muito frio, começámos com 5 graus, mas estivemos sempre ao sol e com lindas paisagens. E indo sempre na converseta, os km foram voando.  

Chegámos assim aos 24, bem e felizes, sendo que o João Cravo registou record de distância (que rapidamente irá melhorando até aos 42.195 de Paris).

As partes em passeio normal fazem reduzir a velocidade mas mesmo assim marcámos 2.39 em 24 km o que também foi muito bom.
Aproveito para agradecer ao João Cravo pela excelente companhia. 

Durante a semana os treinos são técnicos e o próximo longo vai ter lugar na 6ª feira (aproveitando a ponte) com 26 km, encerrando o 1º ciclo de 4, para um ligeiro acalmar para dar logo de início ao 2º ciclo que já vai ter um de 30 km.

Como se vê, tudo bem até agora, sempre com os olhos em Paris :)

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Sara Moreira e Catarina Ribeiro candidatas a Atleta Europeia do Mês


Já foram divulgadas as candidatas a Atleta Europeia do Mês, referente a Novembro, e dum total de dez, constam duas portuguesas:

Sara Moreira - Pela sua estreia de sonho na Maratona de Nova Iorque

Catarina Ribeiro - Pela sua brilhante vitória no Cross da Amora e pódio no de Sória

Para votarem, clicar aqui, estando registados no Facebook.

Parabéns e boa sorte às nossas brilhantes atletas!

sábado, 13 de dezembro de 2014

Os sapatos novos e o plano para Paris


Apresento-vos os meus novos sapatos de corrida, aqueles que irão percorrer os 42.195 metros da Maratona de Paris.

Tenho sempre dois pares em acção, um para treinos outro para corridas. O de corridas, naturalmente, é o mais recente, e quando o de treinos chega ao final da sua vida, passo os de corrida para treinos e os novos vão ser utilizados nas provas.

Chegou a vez de reformar aqueles com que fiz a Maratona de Sevilha, a tal do "milagre", aquela que foi, até agora, a corrida da minha vida. 
Assim, os que fizeram a Maratona do Porto passaram para treino e estes que adquiri hoje, o 11º par que tenho desde que comecei a correr, irão ter a sua estreia primeiro no treino de amanhã para verificar se está tudo bem, e depois na São Silvestre dos Olivais. 

Como sucede desde 2009, o modelo é Adidas Supernova Glide, agora na versão 7 e, tal como a 6, com tecnologia Boost (comecei na versão 1 e tenho vindo a usar todas as versões até à actual).
A escolha é obrigatória pois se até ter encontrado este modelo sofri vários problemas a nível dos pés, em virtude da minha estranha passada (pronador à entrada, muito supinador à saída), este modelo consegue fazer o equilíbrio que necessito e desde que os uso nunca mais tive qualquer problema nesse sentido.

Estes vão chegar à Maratona de Paris com relativamente pouco uso pois até lá não vou entrar no número habitual de provas.
O meu plano está traçado e dá total prioridade a essa Maratona que será especial, aquela com que sempre sonhei.

Descriminando apenas os fins-de-semana, a semana é reservada para trabalho mais técnico, neste mês, amanhã (14), 20 e 26 irei ter 3 treinos de respectivamente, 22, 24 e 26 km
Entre 30 e 31 farei 19 km em provas (S.Silvestre dos Olivais e Amadora)

Em Janeiro participarei apenas no Fim-da-Europa a 25 (que também é um rico treino!) com longos a 4, 11 e 18 (este de 30 Km)

Em Fevereiro, longos a 1 e 22, enquanto a 8 vou a Mem Martins (apenas 10 km mas esta prova tem significado especial) e a 15 os 20 Km de Cascais.

Em Março também apenas 2 provas, ambas Meia-Maratonas. A 8 a inaugural de Évora e a 22 a da Ponte 25 de Abril. Ficam reservados para longos o 1, 15 e 29 (sendo o de 15 na distância de 30 Km).

Chega Abril e a 4, em ritmo muito calmo, Constância e depois a 12... Paris! 

Isto implica prescindir de muitas provas que gosto, como por exemplo, Fonte da Pipa, Grândola, Costa da Caparica, Nabão, Lezírias, Salvaterra, APAV e Sinos mas é por uma muito boa razão! :)

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Revista Atletismo de Dezembro


Já foi distribuída a Revista Atletismo nº 397, referente a Dezembro e com uma bonita capa, retratando Sara Moreira, com os dois pés no ar e os braços bem erguidos, a cortar a meta em Nova Iorque na sua estreia de sonho em Maratona.

Índice 

Competições Internacionais
Estrada

6 - Maratona de Nova Iorque

Competições Nacionais
Corta-Mato

12 - Corta Mato de Amora
14 - Corta Mato de Torres Vedras

Estrada

18 - Corrida do Montepio
19 - Corrida Fernanda Ribeiro
19 - Corrida de Espinho
21 - Grande Prémio da Mendiga
21 - Corrida de D. Dinis
22 - Corrida de Faro Activo
10 - Maratona do Porto
16 - Meia Maratona da Nazaré
20 - Corrida das Castanhas
20 - Corrida do ISCTE
17 - Corrida dos Paraquedistas 

Atleta de Pelotão

26 - Fernando Cardoso

Nutrição

38 - Nitratos e performance desportiva

Conselhos

39 - 6 Conselhos para as corridas de montanha

Estatística 

28 - Balanço da época 2014 – Femininos
36 - Balanço da época 2014 – Juniores Femininos
37 - Balanço da época 2014 – Juvenis Femininos 

Natureza

17 - Urban Trails
40 - Montanha e Trilhos 

Outros

8 - Transferências da época 2014/2015

Clube de Pelotão

24 - Clube de Atletismo Olímpico Vianense 

Secções Fixas

3 - Índice do ano 2014
7 - Portugueses no estrangeiro
23 - Marcha Atlética
35/38 - Noticiário
46 - Lazer
47 - Calendário anual
48 - Agenda da Corrida
50 - Calendário Federado

Revelação do Ano

51 - 2014 – Sandy Martins

Muitas e boas leituras!
Recorde-se que esta publicação imprescindível para o nosso desporto é distribuída por assinatura. Para toda e qualquer informação, clicar aqui

domingo, 7 de dezembro de 2014

Meia dos Descobrimentos: Resistir...

Os seis 4 ao Km presentes: Eberhard, Vítor, Isa, Marta, eu e Orlando

O início de Dezembro é já há muito reservado para a prova da Xistarca. Até 2012 a bem recordada Maratona (onde me estreei na sua última edição) e a partir daí a Meia-Maratona dos Descobrimentos.

Este evento tira benefício do facto de nos restantes países europeus, com excepção de Espanha, estes serem meses sem Meias ou Maratonas, o que alicia alguns atletas estrangeiros a virem até ao nosso país, como sucedia na Maratona e está a começar agora a acontecer, embora estes processos se façam de forma lenta pois a prova é ainda recente.

E quem se aventurou a viajar até ao nosso país não poderia ter um dia melhor, com temperatura agradável para a época (muitos graus acima do que têm nos seus países) e um sol bonito com ausência de vento.

À escolha, uma Meia-Maratona, uma prova de 10 km e uma caminhada. 
Os seus núemros são muito bons e em linha com o ano passado: 2.454 classificados na Meia (2.487 em 2013), 1.036 nos 10 Km (1.050) e cerca de 3 centenas na caminhada o que aproximou o evento de cerca de 4 milhares de pessoas que se exercitaram nesta manhã e foram agraciadas com uma excelente organização onde, no que pude observar, tudo correu muito bem.

Em termos competitivos, na Meia-Maratona triunfaram Luís Pinto do Sporting e Vera Nunes do Benfica. Ele em 1.05.28, batendo por 25 segundos o record de percurso do queniano Robert Kosgei, e ela em 1.16.05
Nos 10 km, Luís Margarido venceu em 31.50 e Carla Ribeiro do GFD Running em 40.49, batendo o record de percurso de Ana Amorim por 9 segundos.

Aos 5 Km ainda sem dores
Sobre a minha prova, e após duas excelentes participações em Mendiga e Cascais, foi muito sofrida devido ao problema intestinal que regressou e se mantém há semana e meia.

A parte respiratória até esteve bem mas o problema foram as pernas. É sabido que uns 2 dias com diarreia afecta os músculos e tendões deixando-os debilitados. Ora após semana e meia assim, aos 6 km comecei a ter dores em todas as partes das pernas e aos 7 estas tornaram-se insuportáveis.

Mais ou menos nessa altura a Isa e Vítor ultrapassaram-me e ao ouvirem as minhas queixas e ao dizer que não sabia se iria desistir, aconselharam a andar um pouco para recuperar. Mas isso era o que não podia fazer pois tinha consciência que se andasse um pouco, com as dores que tinha, não mais conseguiria retomar a corrida.

Ora, e ao contrário do que hoje em dia se apregoa, que temos que privilegiar a razão em detrimento do coração, eu penso exactamente o contrário, gosto de seguir o coração, e apesar da cabeça dizer que não valia a pena continuar assim, o coração impelia-me a continuar e fui cerrando os dentes e aguentando as dores.

Depois, e temos sempre que arranjar motivação extra, comecei a exercer "chantagem psicológica", pensando "Se andas, estás a estragar a preparação para Paris. Se andas, estás a estragar Paris". Ora com uma frase dessas, lá tinha que me aguentar!

E assim os quilómetros foram passando até chegar à meta que cortei com o tempo de chip de 2.08.45, tempo muito agradável para mim e que não espelha o que passei. Para se ter uma ideia, foi a minha 16ª melhor marca em 39 Meias. Bastas vezes o resultado não demonstra o que se passou.

Meta conquistada!
Agora, é esperar que isto passe (nos últimos dias até tem piorado...), pois não quero passar outra vez aqueles 2 meses como entre Maio e Julho e no domingo tenho um treino mais longo a fazer pois... só penso em Paris!






Eu, Fernando, Isaac, Isa e Vítor, numa fotografia comemorativa pela Maratona do Porto
      

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O meu dorsal de Paris!


Está já disponível a imagem do dorsal que levarei a percorrer 42.195 metros pela bela cidade de Paris, na que será uma Maratona de sonho!

E vejam só como será o belo percurso:


Ainda não acreditava conseguir fazer alguma vez uma Maratona e sempre dizia que a de Paris é que gostava mesmo de fazer um dia. 

Estou a 131 dias! E é a pensar nessa prova que oriento todos os meus actuais treinos, corridas e plano nutricional.

domingo, 30 de novembro de 2014

Um sucesso a Corrida Juntos Contra a Fome em Cascais

Com a Mafalda, que foi à caminhada, e a Joana que anda a evoluir de prova para prova

Com filha e pai, Joana e o sempre bem disposto João Branco

Com Eberhard e Afonso, dois dos atletas que participam em mais provas

Os atletas são solidários e mais uma vez se provou com a 1ª edição da Corrida Juntos Contra a Fome, com mais de 2 mil inscritos na corrida de 10 km e mil na caminhada de 5 km.

A Campanha “Juntos Contra a Fome” é uma iniciativa desenvolvida em parceria pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), com o objectivo de mobilizar a sociedade para o processo de construção de uma Comunidade de povos livre da fome.

Se o sucesso da iniciativa está directamente ligado à participação activa, também a nível do evento propriamente dito, a corrida, tudo esteve muito bem organizado, não tendo descortinado qualquer ponto a melhorar, o que mais é de louvar por ser primeira edição, demonstrando todo o empenho que a equipa organizativa demonstrou.

E até S.Pedro colaborou com um tempo seco, sem vento e com temperatura ideal para correr, o que juntando à beleza do percurso junto ao mar, mais ajudou a termos desfrutado uma rica manhã.

Acabaram por se classificar 1.410 atletas sendo 400 do sexo feminino, o que dá a excelente média de 28,4% de participação feminina.
Para a história ficam os nomes dos vencedores, Rui Pedro Silva em 32.11 e Cláudia Pereira com 36.36

 A escassas centenas de metros da meta
Sobre a minha corrida, acabou por ser muito melhor do que receava. Se a de Mendiga na semana passada tinha sido muita boa e sinal que estava num momento positivo, esta semana foi difícil com o aparecimento duma dolorosa infecção numa gengiva, de tal forma que obrigou começar a tomar antibiótico. E o que temia, concretizou-se, o antibiótico fez renascer aquele problema intestinal que me afectou durante 2 meses e que iniciou-se também com um antibiótico, diferente deste mas com o mesmo princípio activo. Certo que na altura coincidiu com outras estranhas situações mas depois de ter sofrido aquilo durante 2 meses, compreenderão o medo que tenho agora de poder estar, eventualmente, a reviver a mesma situação.

Ora foi assim debilitado por esta situação, e após uma semana em que corri apenas 5 km, que me apresentei à partida. Depois duma fase de estudo no primeiro quilómetro, decidi ir à luta por uma corrida jeitosa, até onde desse e, com esforço, lá aguentei os 10 km, finalizando em 54.28, o que é um tempo bom para mim, sendo mesmo a minha 3ª melhor marca do ano nesta distância, e por alguma margem. E se no 8º km senti algumas dificuldades, não perceptíveis pelo relógio, no último km ainda fui buscar genica para marcar 4.55

Apesar de orgulhoso pelo tempo, cortei a meta preocupado com o hipotético desenrolar da situação. Diz-se, e bem, que gato escaldado da água fria tem medo.

Para a semana participarei na Meia dos Descobrimentos, onde apontava para um determinado tempo mas vamos ver como vou reagir a mais uma semana assim.    




O simbolismo da união de povos