domingo, 9 de agosto de 2020

António Félix da Costa Campeão do Mundo!!!


Como a maioria saberá, a nível de desporto tenho dois amores maiores, Atletismo e Automobilismo. Ambos semelhantes num ponto, são corridas, apenas diferindo na tracção.

Ora hoje venho aqui falar de Automobilismo e dum sonho que vi ser concretizado, António Félix da Costa sagrou-se hoje Campeão Mundial de Fórmula E!

Para quem desconhece o que é a Fórmula E, é o correspondente à Fórmula 1 mas na vertente de motores eléctricos. A competição iniciou-se em Setembro de 2014 (ao contrário da maioria das competições motorizadas que se disputam num ano civil, a Fórmula E vai do Outono ao Verão) e este ano (2019-2020) está na sua 6ª época. 

Tal como a Fórmula 1, sigo avidamente este campeonato. Campeonato que proporciona corridas muito emotivas e imprevisíveis, devido a um grande equilíbrio do pelotão. E também naturalmente por ser um defensor da electrificação dos carros.

António Félix da Costa está presente desde o início, cedo ficando como um dos nomes maiores. Nesta época, o campeonato desenrolou-se normalmente até à 5ª das previstas 13 provas mas depois foi interrompido devido à pandemia. Nessa altura, o nosso representante liderava a tabela classificativa com 11 pontos de vantagem sobre o 2º classificado.

Devido ao Covid, a organização teve que arranjar uma solução. Era impensável a disputa das provas agendadas já que, com uma excepção, as corridas são disputadas em circuitos citadinos. A solução foi utilizar um antigo aeroporto de Berlim, Tempelhof, que permitia a criação duma bolha onde todos os intervenientes, depois de devidamente testados, pudessem estar e em que no espaço de 9 dias se disputavam 6 corridas, utilizando 3 traçados diferentes.

Este é um campeonato onde os pilotos costumam caber em escassas décimas de segundo e a luta é ao ponto. Mas eis que o nosso piloto aparece verdadeiramente arrasador e nas 4 provas já disputadas das 6 que irão decorrer, passa a somar 156 pontos contra 80 do 2º. E com esse avanço de 78 pontos, estando em disputa um máximo de 60 no total das 2 provas que faltam, sagra-se já campeão com quase o dobro dos pontos do 2º, repito que numa competição que costuma ser decidida na última prova e ao ponto!!!

Foi um domínio de tal maneira que a organização chegou a abrir o seu carro (DS Techeetah), verificando peça por peça para confirmarem que tudo estava dentro da legalidade. Pois é... a peça que fez a diferença é aquela "peça" que movimenta o volante e carrega nos pedais! :)

O festejo de campeão foi duma grande emoção para ele e para todos que acompanham este desporto!

Grande António Félix da Costa! Grande orgulho de português!!!

E para finalizar, um dado curioso. Curioso e incompreensível para quem, como eu, não se dá a qualquer tipo de superstição nem as consegue compreender. É usual no desporto automóvel não existir o nº 13. Vemos uma lista de 30 concorrentes e os números vão do 1 ao 31, saltando o 13. 

Ora sucede que nos últimos tempos, em vez de ser numeração seguida, os pilotos podem escolher o número que pretendem. E se nas 5 primeiras épocas de Fórmula E o Félix da Costa foi o nº 55, este ano decidiu mudar para o 13. 13 que lhe deu o título, ao contrário de quem julga que é um número que transmite azar. (não sei se sabem mas o "azar" do 13 vem de 13 de Outubro de 1307, dia que os Templários foram dizimados. E era uma 6ª, daí a superstição também das sextas 13. Se por acaso tivesse sido um dia antes, andaríamos a falar no azar do 12 e das quintas 12? Enfim...)

Uma boa semana para todos!


domingo, 2 de agosto de 2020

A dar sempre o máximo

Hoje foi dia de nova caminhada de 15 km, como tenho feito nas últimas semanas. Durante a semana cerca de uma hora e ao domingo 15.

E foram 15 km sempre a dar o máximo dos máximos desde a primeira passada, o que não é fácil, estar mais de 2 horas sempre bem focado sem ceder um segundo que seja, seguindo sempre no limite, mas foi o que consegui. Estava num dia bom e, com isso, os anteriores records de caminhada foram ao ar:
- 5 Km estava em 47.36, passei aos 5 em 46.44 (média 9.21)
- 10 km estava em 1.34.35, passei aos 10 em 1.33.19 (média 9.20)
- 15 km estava em 2.20.52, fiz 2.18.59 (média 9.16)
Apenas não bati o do km mais rápido que se mantém em 8.40. Mas por falar em km mais rápido, há 4 semanas estava em 9.27 e hoje 14 dos 15 km foram feitos abaixo desse valor, apenas o 1º foi acima (9.35).

Resumindo, foi uma rica manhã (madrugada pois comecei às 6). 
É o que posso fazer, ficar feliz e orgulhoso destes pequenos feitos e aproveitar ao máximo pois, como tenho dito, nunca se sabe quando damos a última passada, por mais longe que pareça estar. Basta relembrar o que me sucedeu com a corrida que acabou de forma inesperada.

Para o próximo fim-de-semana torno a fazer 15 km mas daqui a duas semanas pretendo aventurar-me em 20

Até lá, fiquem bem e a salvo!