domingo, 12 de junho de 2011

Corrida do (e com bom) Ambiente

Ontem ao final da tarde foi tempo do pessoal das corridas seguir para a Corrida do Ambiente, 3ª edição desta prova sintrense, localizada num espaço que nos envolve.

Partida às 19 horas para os escalões mais jovens, subindo na idade até aos F45 e M65, até chegar à corrida final às 21, para os seniores de ambos os sexos, veteranos até F40 e M60 e ainda os juniores masculinos.
E essas 2 horas de espera para a corrida, proporcionaram um bom convívio entre os atletas. Aproveitei para rever o Rui Lacerda, Hélder e Sónia Machado, o Carlos Lopes, Armando (a Luísa só a vi de relance no final), Mário Santos, Calado, a Manuela Folgado, Caetano, Jorge Amaral, Carita, conheci a Mila Soares que estava na organização e falei com a campeoníssima de Oeiras, a Margarida Dionísio, isto já depois de me ter encontrado no início com os incansáveis Carlos e Gaspar da AMMA. (Isto de colocar aqui os muitos nomes com que me cruzei, é um perigo pois ainda me esqueço de alguém...)
E assim se passou de forma muito agradável o tempo até chegar a nossa hora de nos posicionarmos na "grelha de partida". Altura para conhecer pessoalmente o "JAM" (só o conhecia pelas iniciais dos comentários que aqui coloca) e aparecer ao meu lado um Cidadão de Corrida que dá pelo nome de Fernando Andrade.

Estando numa altura que a minha forma está a decair, e depois de ter corrido na véspera na Ribeira da Lage, não acreditava que pudesse imprimir um ritmo mais rápido ou semelhante ao do ano passado, portanto parti calmo para uma prova sossegada.
Mas eis que ouço um "Olá João"! Sem frio, uma Maria chamada Ana Pereira, a quem me colei. A Ana está a evoluir bastante bem na forma e foi impondo um bom ritmo. E eu, para não ficar mal na fotografia, fui acompanhando e ia a saber-me muito bem, até porque prefiro estes percursos estilo montanha-russa. Mas cada vez a Ana alongava mais a passada e por volta dos 6 e tal comecei a ficar preocupado que estivesse de algum modo a prejudicar o seu andamento, mesmo porque já estava a sentir o cansaço. Disse-lhe para seguir mas ela insistiu que não, e lá fui fazer das "tripas coração" para a acompanhar, o que consegui e me deixou muito feliz pois foi uma prova feita com muito prazer e, para o tipo de percurso que é, o meu relógio marcou 8.070 metros em 41.18, o que dá uma rica média de 5.07
Daqui envio um grande obrigado à Ana, que foi uma companheira 5 estrelas, e que nem imagina o bem que me fez, ter-me obrigado a correr a este ritmo que a cabeça não estava a deixar. Nesta fase o meu inimigo tem sido a parte psíquica e daí ter sido tão importante o abanão de ontem.
E não esqueço a frase que disse, pois tocou-me no velho sonho de há mais de 4 anos, que ainda me ia ajudar a baixar dos 50!

No funil após a meta, apareceu a Mafalda, quis que nos tirasse uma foto mas, mea culpa, eu não tinha carregado a bateria da máquina e já há muito que esta tinha dado o triste pio.
Assim, a fotografia que coloquei foi "roubada" do blog da Ana, mas podem ver as fotos que foram possíveis ser tiradas no link em baixo (tanto a atletas como às bonitas paisagens da Vila)

Competitivamente falando, não tenho ainda os resultados e vencedores, mas mal apareçam, aqui os publicarei.


4 comentários:

  1. Mais um grande prova!
    Parabéns!
    Como já viste no UK o meus ambientes agora são outros!

    ResponderExcluir
  2. João

    Por mais escuro que esteja há um amarelo que sobressai, quem será?

    :)

    E sem pilhas... Não há fotos!

    A um João quase sem 'pio'
    Prometeu-lhe a Maria sem frio:
    (sobre um sonho que o tenta)
    Ajudá-lo a baixar dos 50

    Força aí João Amigo
    A malta está contigo!

    :)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Oh João, o prazer e a ajuda foram mútuas, não tenhas dúvidas. Hoje por ti, amanhã por mim, é assim neste mundo de companheirismo circunstancial. E confesso, eu dei o que podia e tu "só" me acompanhaste, e muito bem! E sim, tenho vontade de chegar aos 50 aos 10 km, coisa que fazia com imensa facilidade mas foi há uns anos atrás. Neste momento, ainda tenho de trabalhar um bom bocado para lá chegar, e sim, nessa altura, quem sabe se estaremos juntos numa outra prova qualquer e nos iremos ajudar mutuamente.

    Um beijinho para ti e outro para a Mafalda

    ResponderExcluir
  4. Bonita quadra, Mário!

    Desde o início de 2007 que luto por esse sonho, e só por manifesta infelicidade que não cheguei lá por uma ou outra ocasião, e quando chegar o dia, vai ser um grande alívio.
    Para mim, que finalmente o consegui, para todos os restantes que já devem estar fartos de me ouvir falar do mesmo há tantos anos...
    Mas uma coisa é verdade. Persistente sou!

    Um abraço

    ResponderExcluir