domingo, 26 de junho de 2011

Corrida das Fogueiras com muito calor humano

Antes da prova, ainda à "civil", Filipe, Fernanda, eu, Carlos, Júlia, Sandra e Sequeira

E após a mesma, com o Filipe, Sandra, João Branco, Fernanda e família Jorge, onde se destaca Emídio Jorge o grande "culpado" pela carreira atlética do grande João Branco

Vir a Peniche e à sua Corrida das Fogueiras, é entrar noutro patamar de provas, daquelas raras no nosso país onde a população vem para a rua aplaudir entusiasticamente todos os atletas, do mais rápido aos mais lentos. Esta prova e a S.Silvestre da Amadora, constituem o ponto alto nessa manifestação de carinho de todos para todos.
Este ano não foi excepção e nos 4 anos que já a disputo, foi a edição com mais e entusiasta público, o que não será alheio a quente noite que a todos convidava a largar as suas casas.

Foi a 32ª edição e a primeira vez que se quebrou a barreira dos 2 milhares de participantes na Corrida (15 kms), a que se juntaram outros tantos nas Fogueirinhas (6 kms). O número de classificados foi de 2.065, batendo o anterior máximo, do ano passado, de 1.849, uma diferença de 216.
Relembre-se a evolução do record de participação nesta clássica. Nas 6 primeiras edições, o número foi sempre sido batido. 78 na edição inaugural de 1980, número que quase dobrou no ano seguinte, 150, para depois saltar para 537, 818, ultrapassar o milhar em 1984 com 1.132 e fixar-se nos 1.303 em 1985, número que constituíu o record durante largos anos, pois apenas o foi batido já no novo milénio, 1.358 em 2003. 2004 e 2005 viram novo aumento, respectivamente 1.506 e 1.546, para desde 2007 esse record ser sempre superado. 1.601 em 2007, 1.627 em 2008, 1.762 em 2009, 1.849 em 2010 e agora os tais 2.065.

Claro que este facto provoca uma enorme dificuldade em conseguir-se correr no meio do pelotão nos 600 metros iniciais, onde não é possível passar dos 7 ao km, mas mal se chega à avenida, há rédea solta.

E quem a teve mais solta foi José Maduro (Maduro Atletics) que limpou os 15 quilómetros em 47.32, vencendo destacado e tornando-se o 23º atleta masculino a triunfar nesta prova, num palmarés que tem Artur Santiago como o mais vitorioso, 4 vezes e consecutivas entre 2001 e 2004, seguido de Joaquim Murraças e Vítor Vasco, ambos com 3 vitórias.
Na 2ª posição finalizou exactamente o recordista de vitórias, Artur Santiago (Mirantense) a 2.04 de distância e no 3º posto João Vaz (Alvitejo) a 2.43

No sector feminino, Anabela Tavares (Águias Unidas) venceu em 56.38 e um enorme avanço de 6.50 sobre Dulcinea Silva (Barreira) com Carla Pinto (Macedo Oculista) a completar o pódio a 8.14
Anabela Tavares também se tornou na 23ª vencedora diferente, numa lista liderada por Madalena Carriço com 5 triunfos e Margarida Pinto por 3 vezes.

Colectivamente, o pódio feminino foi preenchido pelo Barreira, Macedo Oculista e Ateneu, enquanto o masculino pelo Macedo Oculista, Alvitejo e Amigos Atletismo Mafra.

Sobre a minha prova, fiquei bastante contente. Nas 3 anteriores edições o melhor que tinha logrado era 1.26.21 e ontem marquei de tempo real 1.24.10, um ganho de 2.11
Tal como tem acontecido ultimamente, no aquecimento senti-me cansado, fruto de não andar a descansar bem de noite, mas durante a prova como se dum clique se desse, largo essa fadiga e estou a conseguir impôr aquele que é um bom ritmo para mim. Inicialmente um pouco à defesa, fui ganhando confiança e em especial a partir do 8º, quando começa verdadeiramente a dificuldade, senti-me muito bem e segui sempre sem qualquer sintoma de quebra.
Completa-se assim o mês mais preenchido que já tive com 7 provas e onde as 3 últimas deram-me resultados que não esperava. Na Marginal à Noite, e após tantos anos no minuto 40, fiz 39.12 melhorando o meu melhor ali em 54 segundos, nesta 5ª feira na prova nas matas do Estádio Nacional retirei 2.21 ao tempo já ali realizado e ontem 2.11. Estou satisfeito!
E mais fiquei pelo óptimo convívio com todos os amigos que reencontrei e pelo prazer da companhia durante a viagem do Sequeira e Júlia




7 comentários:

  1. Olá João
    A culpa de teres tirado 2.21 ao teu melhor tempo desta prova foi minha, eu percebi que ficas-te surpreso por te ter alcançado e não quiseste deixar os créditos por mãos alheias e foste-te novamente embora. Fizeste bem aliás peguei caro ter-te alcançado, mas estava a sentir-me muito bem a minha asma aos 3km já se tinha ido embora e só foi pena ter deixado a Sandra para trás, algo que não durou muito. Sobre a prova acho que posso dar nota 10 em tudo excepto ao público de Peniche que tenho que dar nota 100.
    Obrigado por me deixarem correr na vossa terra.

    ResponderExcluir
  2. Olá João

    Parabéns por mais esta participação. Um grande dia, uma grande noite

    ResponderExcluir
  3. Olá João,

    Apesar do meu cansaço psiquico, ontem ganhei forças de novo... Foi muito bom ter estado com grandes amigos como vocês... Isto é sem dúvida o meu prazer na vida...
    Também adorei a prova, uma vez mais.. é das mais belas provas do País,agradeço ao povo de Peniche que mantém sempre a magia da prova das Fogueiras, com a chama bem acesa(faço questão de bater na mão das crianças todas que o pedem ao longo do percurso).
    Sandra Martins

    ResponderExcluir
  4. Por muitos anos que dure, esta prova irá ser sempre recordada por mim de uma forma especial; foi a primeira vez que baixei dos 60' como veterano (58'58'') e que bati alguns dos meus amigos a quem nunca ganhara. Mas principalmente, porque esta corrida foi o "clique" para evoluir uns patamares. A partir daí foi sempre a subir... até cair de vez...

    ResponderExcluir
  5. Mais uma noite mágica em Peniche!

    A culpa foi da Sandra Martins! Foi ela que me apresentou o João Lima. Conhecia o blog dele, faltava-me conhecê-lo.
    Foi com ele e a sua esposa, a Mafalda, que eu e a minha esposa, a Ana Júlia fomos até à Corrida das Fogueiras, "procissão" obrigatória no último sábado de Junho.
    Eu para correr os 15 km e ela para a Corrida das Fogueirinhas.
    Acabei em 1254º da geral com o tempo oficial de 1.19.22, tendo demorado 1m11s a passar a linha da meta.
    Tempo modesto para um atleta modesto mas naquele ambiente excepcional, quem se preocupa com o tempo feito? Só quem lá vai para os primeiros lugares, seja da geral ou do escalão ou para quem anda à procura de bater recordes pessoais.
    A Corrida das Fogueiras conquistou há muito milhares de participantes. Tem sabido manter um elevado nível. Pena a dificuldade de espaço na partida limitando o número de inscritos.
    A terminar, o meu agradecimento ao João e à Mafalda, casal irradiando uma simpatia que nos conquista à primeira impressão. Também gostei muito de rever muitos dos participantes da prova, velhas amizades que vamos conquistando prova após prova. Não os menciono porque corria o sério risco de me esquecer de algum(a).

    Manuel Sequeira

    ResponderExcluir
  6. Grande noite, a de ontem, em Peniche.
    E aquele calor que nos acompanhou toda a prova - o calor da gente que aplaudia à passagem dos atletas, o calor das fogueiras que nos aqueciam e o calor do ar húmido que respirávamos... inesquecível!
    Parabéns pela tua participação e pelo excelente relato que aqui fizeste. Fiquei fã do teu blogue e desta prova, em que participei pela primeira vez e me "encheu as medidas"

    carlos morgado

    ResponderExcluir
  7. Depois de algumas participações seguidas há dois anos que falho aquela que para mim é a melhor corrida Portuguesa de sempre.
    Há última vez que corri na noite de Peniche fui brindado com um autêntico dia de inverno em pleno verão: chuva toca a vento daquela que parece alfinetes!
    Mas nem esse tempo fez arrefecer as gentes de Peniche com o seu extraordinário calor humano!
    Correr na noite de Peniche é magico!
    Ainda espero poder voltar a Peniche e a fazer belos fins-de-semana de desporto e turismo. Mas os tempos andam cada vez mais negros!
    João a tua forma está cada vez melhor não falta muito estás na maratona!
    Se for na de Lisboa conta comigo nos 35K a gritar e a puxar por ti que nem um perdido!

    ResponderExcluir