terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Uma frase que só os atletas compreendem


Há frases que só quem conhece a sensação entende. Correr é superação, superação é sofrimento mas um sofrer que se transforma em prazer.

Ora, quem desconhece este mundo, ao ouvir as nossas frases estilo "prazer de sofrer" leva para outros significados, literais, mais ligados a práticas masoquistas. 

Uma vez a falar com um atleta olímpico, relatou-me o erro que cometeu ao ter sido convidado para falar numa escola para miúdos à volta dos 10/12 anos. Explicou-lhes o que era o Atletismo e há uma menina que vai fazendo perguntas, cada vez mais entusiasmada. Até que lhe perguntou o que era necessário para vencer como atleta. Ele, após uma série de considerandos que passavam por luta, treino e talento, terminou com "e tens que saber sofrer". O entusiasmo juvenil desapareceu num instante "Sofrer? Que horror!".
Aí, ele recordou-se que estava a falar com crianças e há certas coisas que não se explicam, descobrem-se com a experiência.

Como explicar a alguém fora do nosso mundo a alegria e orgulho que foi ter batido no muro durante a minha Maratona, ter lidado com esse sofrimento, com o cansaço brutal aos 41 e levitar aos 42? 
Foi a vitória sobre o sofrimento que transformou esse instante num momento eterno. E se tivesse sido fácil, não teria dado aquela sensação ímpar.

Nada se consegue sem trabalho e, mais do que sofrer, é a nossa superação que está em causa e que, conseguida, oferece-nos aqueles picos de prazer e felicidade. Além de haver razões químicas como aquela maravilhosa libertação das endorfinas.

Hoje de manhã apeteceu-me escrever sobre este assunto. Eram 6.30 da manhã, estava um frio gelado e saí da cama para ir correr. Cá fora, os primeiros quilómetros foram muito difíceis pois pensava ter-me transformado num gelado da Olá, ainda por cima não me tendo lembrado de levar luvas e com as mãos congeladas até aos 3 quilómetros.

No final? Senti-me muito bem, pois o treino foi muito bom, e ganhei um sorriso para o resto do dia.

Sofres mais quando corres ou quando não sais para correr?

24 comentários:

  1. Olá João, neste momento sofro mais por não ter ido correr ontem, nem hoje....lá fora estão -6 ºC e 30cm de neve....o frio ainda poderia contornar com camisolas e calças extra, agora o risco de escorregar e partir uma perna é que me faz sofrer. Mas na 5ª ao fim da tarde, no Hotel onde vou ficar tem ginásio com passadeira, vou buscar a minha "injecção de endorfina".
    Aquele abraço e boas corridas.

    P.S. Se te transformasses em gelado da Olá qual é que serias? Eu hoje seria o Calipo de Coca-Cola, de gelo por causa do frio, e negro das quedas constantes que iria sofrer :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ui... estás a tocar num ponto sensível! Sou perdidamente apaixonado por gelados. Então do Santini...
      Se me transformasse num gelado da Olá qual seria? Gostando de tantos, elejo o Magnum Temptation Caramelo e o Magnum Gold :)

      Excluir
  2. Lol! Gostei, em especial a parte do gelado olá!

    ResponderExcluir
  3. Respondendo à tua pergunta: Quando não saio para correr!

    Adorei o que escreveste porque de facto as pessoas que não correm por vezes não percebem aquilo que os "malucos" sentem ao correr. O melhor de tudo é superarmos as dores, os medos e todo o sofrimento e conseguirmos atingir os objectivos a que nos propomos. Por pequenos que possam parecer, para nós são grandes desafios e alegrias.

    Gostei mesmo muito de ler o que escreveste, diz tudo.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste Isa

      Tens feito um curso acelerado de todas estas sensações! :)

      Beijinhos

      Excluir
  4. Sofro mais quando não corro! Sofro como o caraças!
    Sofro eu e quem me rodeia que fico com um mau feitio terrível!
    Ultimamente tenho sofrido tanto!...

    Bem quando se fala de frio severo por estás bandas são temperaturas de um a dois graus ou mesmo zero e em casos extremos apanha-se com um negativo!
    É lindo quando se vai treinar e as poças de águas estão congeladas!
    Agora sem luvas é que não dá e mesmo com eles no fim do treino não se sentem os dedos.
    No resto com mais ou menos camadas de roupa a coisa resolve-se!
    Por exemplo quando faz muito frio durmo com a t-shirt com que vou correr já vestida de modo a não arrefecer de manhã! Claro que essa é a primeira camada de roupa de uma sandes humana mista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha que rica ideia essa de adormecer com a camisola!

      Excluir
  5. Desde que iniciei o plano de treinos para a meia maratona, que sofro muito menos, porque treino mais :)

    Boa reflexão.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como dizia o outro quando ouvia que tinha muita sorte por ganhar muitas vezes "e quanto mais treino, mais sorte tenho!"

      Excluir
  6. João, eu entendo.
    Em 2010 estive bastante tempo lesionado e ia dando em maluco. Sofro mais quando não saio para correr.
    Estou viciado nas endorfinas.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só eu sei o que passei quando estive 6 meses parado por ter partido o pé...

      Um abraço

      Excluir
  7. São sofrimentos diferentes... Mas prediro sofrer em acção do quem em inércia. :)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. sofro mais quando não corro, melhor, sofro e faço sofrer. Torno-me num chato de 1ª.

    agora mais a sério. revejo-me em cada uma das tuas frases e pensamentos. Só mesmo aqueles que como nós encaram o frio e a chuva da mesma forma que o sol e o bom tempo para correr atrás dos sonhos nos entendem.

    abraço

    ResponderExcluir
  9. Excelente crónica, João!

    Gostei muito... e senti cada palavra... é bem verdade...

    Adoro essa grande expressão utilizada numa das corridas do Tejo:

    Sofres mais quando corres ou quando não sais para correr?

    ResponderExcluir
  10. Excelente texto João ,de facto a corrida tem coisas que só mesmo quem pratica a compreende .Ao ler o seu texto como que estava a comungar de todas as letras que escreveu tão verdadeiras e ajustadas.

    ResponderExcluir
  11. Excelente texto João. E esse sentimento de superação é mesmo espectacular e impossível de ser explicado a quem não corre. Eu hoje saí para correr às 6h e tive frio duas vezes (a 1ª foi assim que saí da cama e a 2ª, duas horas mais tarde quando saí para ir trabalhar). :)
    Para correr não tive frio, ou então era a satisfação que não deixava a sensação de frio chegar ao cérebro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curiosa essa (não) reacção ao frio.
      Um abraço, Tigas

      Excluir