quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Estatísticas da Corrida do Tejo

Para quem gosta de estatísticas, como eu mas desde que sejam inócuas e não falaciosas como as que nos brindam diariamente, a Corrida do Tejo apresenta um manancial, disputadas que estão 30 edições daquela que é a mais participada prova portuguesa em termos competitivos.

Realizada ininterruptamente desde 1981, apenas a 1ª edição fugiu ao mês de Outubro, tendo sido disputada a 7 de Junho, dia de Oeiras.

Desde essa altura, o total de atletas classificados é de 84.291, sendo o seu mínimo no ano inicial, 807, e o máximo na última edição, 9.262, record nacional.

Apenas por duas vezes ficou abaixo do milhar, 1981 com 807 e 1989 com 838.

Desde 1998 que bate, todos os anos, o record de participação (13 anos consecutivos) e desde 2007 o record nacional (4 anos seguidos)

De 1981 a 1994 teve a extensão de 10.000 metros, de 1995 a 1999 foram 12.000 metros, entre 2000 e 2003 de 11.200, para desde 2004 se fixar nos 10.000 e no percurso actual.

Multiplicando a distância pelos participantes, temos um total de 871.956 quilómetros percorridos, o equivalente a mais de 21 voltas ao mundo. Aliás, se estendêssemos toda a distância dos participantes na última edição, só aí seriam cerca de 2 voltas e um terço!

A nível de vitórias, no capítulo feminino temos 16 vencedoras, sendo a mais titulada Lucília Soares com 6 vitórias, seguida por Rita Borralho (5) e Sandra Teixeira (4), fazendo que estas três atletas somem 15 triunfos, metade das edições já disputadas. Jéssica Augusto e Luísa Almeida ganharam duas vezes e 11 outras atletas por uma.
No sector masculino, foram 25, sendo os mais vitoriosos Manuel Damião e Rui Silva, ambos por 3 vezes. Bisando o triunfo, Joaquim Pinheiro, à frente duma lista de 22 vencedores por uma vez.

Quanto ao record do actual percurso, está na posse de Rui Silva desde 2007, 29.05, e de Jéssica Augusto desde 2009, 33.05
Curiosamente ambos venceram em 2010 e com marcas próximas destes máximos.

E já que elaborei esta estatística, espaço também para a minha. É o 6º ano que corro, vai ser a minha 6ª Corrida do Tejo.
Em 2006 cumpri o percurso em 56.22, melhorei em 2007 para 53.30, melhorando novamente em 2008 retirando um minuto exacto, 52.30
2009, ainda no rescaldo dos 6 meses de paragem pela fractura do pé, fui cronometrado em 56.20, para estabelecer o meu record pessoal em 2010 nos 52.15.

Venha uma nova edição e continue a ser escrita a história desta prova.

7 comentários:

  1. Belo historial, João!
    Esta também impressiona; pegando no número mínimo de participantes, por exemplo, pergunta-se; quantas corridas há em Portugal com 807 participantes?

    ResponderExcluir
  2. Realmente... Axo que o João tem mais informação que a própria FP Atletismo

    ResponderExcluir
  3. Isso é que é estatística...
    Cá vai a minha, desde 2000 e pelas camisolas que tenho devo te-la feito nove vezes, os tempos serão entre começar e acabar bem, sem dores nem sofrimentos, ou seja não sei exactamente quantas fiz nem os tempos que fiz, só sei que este ano não vou porque o dinheiro para as inscrições anda a fugir-me para outras necessidades.
    Boa prova e volto no domingo para saber se já recuperaste...
    bj eugénia

    ResponderExcluir
  4. Eu fiz a primeira edição e tenho foto!
    Estou a pensar voltar lá na quadragésima edição se não morrer entretanto!
    Mas o meu grande sonho era chegar a quinquagésima edição lá para os 70 anos. Mas isso só com um milagre e tu sabes o que penso acerca dos mesmos!

    Evidentemente que tens mais dados que a FPA eles nunca gostaram muito de provas “piratas”!

    ResponderExcluir
  5. Apesar de concordar que tem uma das melhores organizações, acho que estão a exagerar no valor da inscrição. Este ano não vou e penso que este ano os participantes vão diminuir, ou não....:)))
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela estatística. Espero que este ano baixe dos 50 min.

    ResponderExcluir
  7. As inscrições estão limitadas a 10.000 participações, pelo que será difícil, mas não impossível, bater o record de 9262 atletas chegados à meta, pois há sempre atletas que faltam e outros que desistem, dependendo de várias circunstâncias, como por exemplo o tempo, a forma dos atletas, etc. Imaginemos que há um problema nos comboios, muitos atletas poderão não chegar "a tempo" á partida...
    Se possível o melhor mesmo era aumentarem um pouco o limite das inscrições, talvez 12.000!

    ResponderExcluir