domingo, 2 de junho de 2013

O prazer de correr no Oriente


O calendário não falha. Primeiro domingo de Junho significa Corrida do Oriente na zona do Parque das Nações. Uma organização e evento sempre simpáticos e que dão vontade de repetir ano após ano. Normalmente com calor, como hoje, mas sendo em Junho é de esperar. 

Numa organização sempre exemplar, o único (e surpreendente) aspecto negativo desta corrida foi o facto da distância ter sido de mais 400 metros. A surpresa dá-se pelo facto de, como consta no regulamento, a prova ser certificada. A partida até foi dada mais à frente do que o habitual mas logo no primeiro quilómetro fez-se uma volta maior, passando as placas indicadoras dos quilómetros a estar desfasadas a partir daí. Ainda pensei que o retorno pudesse estar mais cedo para compensar mas não. Alguma justificação terá havido para tal situação.

Mas tirando esse pormenor, tudo esteve ao elevado nível que sempre nos habituaram, num local de excelência para a corrida. E esse talvez seja a razão para se sentir sempre outro ambiente nesta corrida. 


Além disso, e sendo a 7ª vez que a disputei, já me ofereceu grandes recordações. Foi aqui que em 2006, na que foi a minha 8ª prova desde que me iniciei, que baixei pela primeira vez da hora. Nunca me esquecerei daquelas sensações mistas na recta da meta nas últimas centenas de metros. Desde a sensação de superação à de ansiedade por chegar abaixo dos 60 minutos, ao cansaço que já levava, fruto de quem está a fazer algo que nunca realizou.

Mas inesquecível foi a edição de 2009. Após 6 dolorosos meses sem correr pela fractura do pé esquerdo, apenas com dois escassos treinos que não passaram os 3 kms, inscrevi-me para a prova, consciente que faria grande parte a andar. Todo penro, nunca parei, fiz os 10 sempre a correr. Foi de longe o meu pior tempo de sempre aos 10 (1.07.52) mas o cortar aquela meta foi uma sensação dificilmente explicável. Como se me sentisse vivo outra vez. Inesquecível!

E hoje estive acompanhado com alguém que comemorou aqui o seu primeiro ano de corridas, a Isa, para quem o Oriente também é especial por essa razão. Tal como para o Nuno que cumpriu a sua 12ª participação, sendo assim totalista, o que é obra.

Uma posse especial comigo e a Sandra a acompanharmos a aniversariante de primeiro ano de corridas, Isa , e o totalista do Oriente, Nuno

Hoje estava disposto a fazer um tempo melhorzinho do que tenho feito. Não foi mau, nem pensar, 58.35 aos 10.400 com 56.29 aos 10 (apenas mais 14 segundos que Vendas Novas) mas não o que queria (entre 54 e 55). 

Diversas razões influenciaram. Não estava bem nos meus dias, o ritmo inicial foi forte demais e quando aos 6 me apercebi que ia ter mesmo mais de 10 kms, quebrei um pouco psicologicamente. Aliás, atente-se nos tempos que se percebe logo. Nos primeiros 6 quilómetros: 5.35 - 5.15 - 5.32 - 5.22 - 5.24 - 5.26. Os últimos 4 foram de: 5.40 - 6.03 - 6.00 - 5.46 e ainda mais 2.27 nos 417 metros que registei a mais.


Mas não se entenda que foi negativo, bem pelo contrário, o que conta mais e fica no baú das recordações é o prazer sempre renovado de aqui correr e de rever pessoas amigas. 
E hoje os 4 ao Km até tiveram direito a um apoio especial da Rute que, apesar de não correr, foi apoiar-nos.

A participação desta prova foi a 3ª melhor do seu historial, com 1.634 classificados, a 135 do record de 2011, mas num dia de forte concorrência da Corrida da Volkswagen e da Corrida do Mirante. 

Antes da partida, numa fotografia que reúne o pódio masculino

Três atletas já tinham bisado a vitória no historial desta prova, hoje Hermano Ferreira tornou-se o primeiro a alcançar o tri. Correndo pela Conforlimpa, marcou 31.49 (logicamente o tempo mais alto de sempre pelas aludidas razões) e juntou o triunfo deste ano aos de 2010 e 2012.
Na 2ª posição, a 5 segundos, terminou Euclides Varela do NucleOeiras que finalizou com 10 segundos sobre Carlos Silva do Sporting.

A vencedora feminina, Cláudia Pereira, a mil metros da meta

No sector feminino, que também tem uma tri-vencedora, Mónica Rosa entre 2008 e 2010, Cláudia Pereira do Moinho Vermoin entrou para a galeria de vencedoras ao marcar 40.19, menos 1.16 que Veronica Scutaru do Boavista do Pico que terminou 4 segundos à frente de Maria José Frias dos Amigos Atletismo de Mafra.




No final, e como sucede desde 2007, todos os participantes tiveram direito a uma caneca. Já vou em 6

12 comentários:

  1. Parabéns João! E mais uma para o baú. ;)

    Abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que foi um óptimo tempo na mesma! Parabéns!

    Beijinhos

    PS: E para a próxima já não vou "disfarçada", prendo o cabelo! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é preciso! Agora já te conheço com o cabelo solto :)

      Beijinhos

      Excluir
  3. Foi um prazer conhecê-lo! Foi pena ter sido pouco tempo, mas numa corrida qualquer vou consigo e vamos falando numa prova. Quando estava a chegar vi a organização e colocar a placa dos 3km e achei que foi assim um pouco "à paposeco". Também os meus gps deram mais cerca de 400m. Como lhe disse dou-me bem com o calor, fiz um bom tempo, 47min. Acho que fez um relativo bom tempo. Bons treinos! Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O prazer foi meu, Sílvio

      47 "relativo bom tempo"? Para mim, seria um tempo de sonho! :)

      Um abraço e até à próxima

      Excluir
  4. Já vi que te orientas-te na corrida do Oriente.
    Eu nunca fiz essa prova mas também já não deve fazer parte dos meu planos: provas de "velocidade"" já não são para mim (hihihihihi)!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provas de velocidade feitas por quem começa a não ter velocidade...

      Um abraço, Jorge

      Excluir
  5. Mais um belo realato João.
    Uma vez mais obrigado pela foto :)

    Gosto, tal como Tu desta prova, mas corrigia o trajecto da parte final (o retorno pela avenida principal talvez fosse mais seguro)o piso do retorno e os pinos nos passeios podem levar a acidentes(hoje tive quase a ir ao tapete).

    Com o calor, os dois abastecementos sem limite são muito apropriados.
    Em ambos, deram-me duas garrafas de água.

    Em 2014, se tudo correr bem, lá voltaremos ;)

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um abraço, Nuno e boa continuação de corridas

      Excluir
  6. João, tendo em conta o calor e os 400 m a mais acho que fizeste um belo tempo.
    Foi uma bela manhã, obrigada pela companhia.
    Beijinhos e um óptimo dia padrinho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podia ter sido um tempo e prestação melhor. Mas decididamente tenho que me convencer que já não tenho a mesma velocidade. Faz parte.

      Beijinhos e um grande dia :)

      Excluir