quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A 3 meses do evento, Fim da Europa esgota em 16 dias!


Depois duma ausência dum ano, que mais apetite trouxe a todos os que já conhecem a maravilha desta prova e aos que não conhecem mas ouviram falar, o Grande Prémio Fim-da-Europa regressa a 27 de Janeiro de 2013, tendo aberto as inscrições no passado dia 15.

Inscrições agora limitadas a 1.000 atletas, número que foi ultrapassado entre 2009 e 2011, tendo nesta última edição registado 1.554 classificados.

Ora foi evidente a todos que ia haver uma corrida ao direito de participar na prova e, assim, posso informar que em apenas 16 dias, e faltando 3 meses para o grande dia, as inscrições já esgotaram!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Revista Spiridon Setembro / Outubro


Chegou-me à caixa de correio o número 204 da Revista Spiridon, como sempre recheada de assuntos de grande interesse, e sempre com o lema de "Corredores ao serviço de corredores"

Com a capa e editorial dedicados ao grande exemplo Armando Aldegalega, e além das habituais rubricas, destaque para:
- Treinar para a Maratona correndo 800 metros
- Provas de ouro
- Curar as depressões através da corrida
- Treino... logo, à tarde
- Como funciona a nossa "máquina"
- 12 jogos de corrida para melhorar o andamento
- Ciclovias bons locais de corrida!
- 10 boas atitudes em plena prova...
- Melhoria da técnica de corrida

Recorde-se que esta imprescindível revista, que funciona como nosso treinador pessoal, é distribuída por assinatura.
Caso ainda não seja assinante e pretenda passar a ser ou receber este número, basta enviar um mail para revista.spiridon@gmail.com 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Os números da Maratona do Porto e o record nacional de participação


Realizou-se ontem a 9ª Maratona do Porto, evento que tem vindo a assumir-se como uma aposta de grande sucesso.

Para tal, basta analisar a evolução da sua participação:
Edição
Data
Classificados
1
2004-10-17
317
2
2005-10-02
314
3
2006-10-15
373
4
2007-10-21
412
5
2008-10-26
582
6
2009-11-08
857
7
2010-11-07
1.180
8
2011-11-06
1.515
9
2012-10-28
1.671


Só em 2008 passou o meio milhar para, dois ano depois já ter quebrado a barreira dos mil, no ano seguinte dos mil e quinhentos, tendo este ano somado mais 156 atletas na meta.

Este número aumenta o record de participação numa Maratona em solo português para valores impensáveis à meia dúzia de anos.

Em 2008 ultrapassou-se pela primeira vez a barreira do milhar e, desde esse ano, o record tem vindo a aumentar anualmente, tanto por Lisboa como pelo Porto:
2008-12-07
Lisboa
1.005
2009-12-06
Lisboa
1.153
2010-11-07
Porto
1.180
2011-11-06
Porto
1.515
2012-10-28
Porto
1.671

Destes 1.668 atletas, contabilizaram-se 134 atletas femininas (8%) e foram representados 28 países:
Portugal
1.301
Espanha
128
França
112
Bélgica
14
Grâ-Bretanha
12
Austria
11
Itália
11
Alemanha
9
Brasil
9
Holanda
9
África do Sul
7
Etiópia
7
EUA
5
Rússia
5
Liecliechtenstein
4
Quénia
4
Finlândia
3
Noruega
3
Rep.Checa
3
Suiça
3
Venezuela
3
Polónoa
2
Andorra
1
Cabo Verde
1
Canadá
1
Dinamarca
1
Hong Kong
1
Porto Rico
1

Há muitos anos atrás, quando a participação portuguesa rondava os cento e poucos, o professor Mário Machado previu que um dia haveria de se disputar uma maratona em Portugal com mil portugueses. 
Desde o ano passado que esse sonho foi cumprido e continua a aumentar. Até onde?

Aproveito para endereçar os meus parabéns a todos os que concluíram esta mítica distância, e uma palavra muito especial a quem se estreou.




domingo, 28 de outubro de 2012

Almeirim no seu melhor!


Com uma rica e diria mítica história junto do atleta de pelotão, alicerçada por 25 anteriores edições de sucesso, decorreu hoje a 26ª 20 Kms de Almeirim, prova que até 2002 disputava-se em Janeiro e funcionava como uma espécie de arranque de ano, situando-se a participação acima do milhar, 5 vezes acima dos 2 mil e uma quase nos 3 milhares.
Em 2003 foi em Maio para a partir daí fixar-se em Outubro. 

Na nova fase em Outubro, o seu record era de 704 classificados, valor que foi batido no ano passado com 889 mas numa edição especial de Meia-Maratona para albergar os Campeões Europeus de Estrada.
Pois para quem pensava que este ano os números regressavam ao que tem sido habitual, enganou-se! Na versão 20 kms foi a maior participação (referindo apenas desde que se disputa em Outubro), com 870 atletas na meta de forma legal (cortaram mais 8 mas devidamente desclassificados por não terem passado pelo controlo do retorno), a que se juntaram 4 atletas na competição de cadeiras de rodas.

Dos 870 na meta, tivemos 81 do sector feminino (9,3%)

A estes acrescem os muitos que participaram na Mini de 5 kms (sem carácter competitivo).


A primeira partida foi dada às 10 para os concorrentes na vertente Cadeira de Rodas onde Alberto Batista triunfou com larga vantagem, marcando 55.42, seguido por Hélder Fernandes (1.12.17), Fernando Mendonça (1.13.04), todos atletas individuais, e na 4ª posição Alberto Coutinho da CM Cascais (1.53.20)

Dois minutos depois foi dada a partida a todos os atletas desejosos de percorrerem os 20 kms. E já agora, de aquecerem pois a essa hora estava frio.
Competitivamente, Hermano Ferreira da Conforlimpa dominou a seu bel-prazer, bisando a vitória do ano passado marcando 1.02.19 e um avanço de 2.25 sobre Gonçalo Borges da Senhora do Desterro. Completou o pódio Gil Ferreira da Adercus (1.07.41), batendo o consagrado Eusébio Rosa (Amigos do Parque da Paz)

No sector feminino, Vera Fernandes da AABVL Lagoa Algarve foi a vencedora em estreia com 1.20.07, distanciando Mónica Vieira do Arrudense em 1.07 e a individual Rute Martins a 1.48

Colectivamente a luta foi renhida, triunfando o Donas com 101 pontos, na segunda posição os Amigos do Atletismo de Mafra 111, tantos quanto os terceiros, Arrudense, valendo como desempate o Mafra ter fechado primeiro a equipa. E o Vale do Silêncio, quartos, também ficaram perto com 123 pontos.

Com balneários à disposição e água quentinha, seguiu-se o tradicional almoço de sopa da pedra oferecido a todos, num animado convívio no recinto da escola.
Tudo esteve no seu melhor, como é apanágio desta organização, sendo de salientar o facto de desclassificar e enumerar os concorrentes que não fizeram o percurso na sua totalidade, na tentativa de moralizar a verdade das classificações.


Quanto a mim, uma prova que me deu muita satisfação e prazer. Já cá tinha estado no ano passado, onde tive a mais estranha reacção durante uma corrida e que ainda agora não consigo explicar (ler aqui), mas hoje "vinguei-me" com uma corrida muito certa, não preocupado com o tempo mas sim manter o plano para a Maratona (faltam 6 semanas!), de tal maneira certo que entre o melhor quilómetro e o pior diferiram apenas 10 segundos. Todos os 20 quilómetros encaixaram nessa janela de 10 segundos, tenha sido no início, meio ou fim, plano, subida ou descida. Digamos que me comportei como um verdadeiro relógio suiço!

Nos primeiros 5 quilómetros tive a companhia de José Figueiredo, um senhor das corridas e que dá gosto vê-lo correr tão bem como corre, para mais sabendo que vai fazer 77 anos (!), para após ele ter concluído a sua Mini, ter feito o resto do percurso apenas comigo próprio.

Registei 2.03.34, o que comparando com as recentes Meias, caso hoje fosse Meia e tivesse portanto mais 1.097 metros faria 2.09, seria a melhor desta sequência onde fui sempre melhorando. Terminei feliz da vida pois após cortar a meta e quando ia ter com o Carlos Mendes, com quem tive o prazer de fazer esta viagem, mais feliz fiquei ao constatar que estava fresco, nem parecia que tinha efectuado 20 kms, o que dá confiança para os tais 42.195 metros! 
Para mais, estava entupido e com dores na garganta, algo que acabou por não me afectar. 
Costumo ficar assim uma vez por ano e desta vez fiquei aliviado quando me apareceu pois, se já tive agora, não aparecerá em Dezembro, e só isso me preocupa agora, o 9 de Dezembro.
Para já, está a correr bem, tudo dentro do plano, domingo logo se verá pois irei ter um importante e longo teste.

A má notícia de hoje é que não pude ter a companhia da Mafalda que engripou. Daí, também não existir o tradicional álbum de fotografias.




terça-feira, 23 de outubro de 2012

O prazer de treinar com o mar nos ouvidos


Há treinos e treinos. Inclusive uns que são um sofrimento e outros uma lufada de prazer que nos acompanha durante e após.

Foi o que me aconteceu hoje. Fui treinar 15 quilómetros para o Passeio Marítimo de Oeiras. As condições estavam as ideais, sem calor nem frio e nada de vento. A juntar a isto, um bem audível bater das ondas nas rochas, transportando uma brisa a maresia que funcionou como um autêntico bálsamo.

Com este cenário, arranquei e de imediato senti uma sensação de prazer que me acompanhou durante a hora e meia que durou este treino tão agradável. De tal maneira que nem os queixumes das pernas afectaram.

E olhem que elas começam a estar queixosas. Nunca dei a carga que estou a impor, mas também nunca tinha andado a treinar para uma Maratona. É aguentar pois sei que a recompensa, a vir, será algo de que até me faltam as palavras. Como costumo dizer, será a minha medalha de ouro olímpica, maior do que as minhas capacidades.

Uma coisa é certa, mesmo que não a consiga fazer, terei a consciência absoluta que estou a fazer TUDO por isso. E assim, é sempre preferível à eterna dúvida do "e se?" de quem não arrisca.

E posso andar a ficar cansado mas é uma alegria cada treino por saber que estou a lutar pelo meu sonho "impossível".

Mesmo que as pernas se queixem. E aqui só para nós que ninguém nos ouve, hoje até me deu a impressão que ouvi uma dizer para a outra "Mas o gajo lá de cima enlouqueceu?"
Se calhar sim! Mas como em terra de doidos quem tem juízo é louco...
  

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Sara Moreira vitória categória na Birmingham Great Run!


A nossa campeã Sara Moreira, deslocou-se ontem a Inglaterra para disputar a Meia-Maratona Bupa Great Birminghan Run e não deixou os seus créditos por mãos alheias, triunfando categoricamente em 1.12.49 e um belo avanço de 2.13 sobre a etíope Berhane Adere e 2.51 sobre a queniana Irene Mogaka.

Foi mais uma demonstração do grande valor desta nossa versátil atleta que domina a seu bel-prazer uma série de distâncias que vão desde as mais curtas até aos 21,097 duma Meia.

No sector masculino, o pódio foi composto pelo queniano Micah Kogo (1.00.17), o etiope Abera Kuma (1.00.19) e o eritreu recordista mundial, Zersenay Tadese (1.01.06).

Esta série de provas, Bupa Great Run, tem um grande impacto e destaque no Reino Unido. 
Como habitualmente, este feito da nossa atleta passou praticamente despercebido nos órgãos de comunicação social nacionais.
Assim se tratam os nossos brilhantes, esforçados e talentosos campeões...

Como triste nota final, no meio da contagiante alegria de correr dos mais de 18 mil participantes, há a registar a morte dum atleta.

domingo, 21 de outubro de 2012

Corrida do Tejo, um prazer sempre renovado!


Não há volta a dar! Para mim, a Corrida do Tejo representa sempre um momento especial no calendário. Não por ser daquelas muito concorridas, pois não vou atrás disso, mas  sim especialmente pelo local. 


É curioso que foi por causa desta corrida que me lembrei de experimentar uma prova. Tinha começado a dar umas corridinhas no Passeio Marítimo a meio de 2005. Pequenas mas pensava que já eram de distância muito respeitável! Recordo-me da alegria que tive quando cheguei aos 3.000 metros! E quando consegui dar a volta completa, que na altura eram 4.600 (hoje 7.000). Foi apenas em Outubro (vejam o tempo que demorei!) e assim me mantive até Dezembro, convencido que estava a fazer uma grande distância. Eis que chegámos a Dezembro e vi uma notícia na revista de Oeiras sobre uma tal de Corrida do Tejo que tinha decorrido em Outubro. Pum-pum, o coração bateu mais forte ao pensar "e se para o ano entrasse?" Mas eram 10 quilómetros... Bom, se adicionasse um quilómetro por mês... Bem dito bem feito, ainda nesse Dezembro cheguei aos 5 kms, Janeiro 6 e Fevereiro 7. Mas nesse mês de Fevereiro, um colega deu-me um folheto sobre a corrida da Ponte 25 de Abril. O coração tornou a dar um salto ao pensar que poderia passar a Ponte a correr. Assim, entrava nessa e depois em Outubro no Tejo.
O resto é história, na feira da Ponte deram-me um folheto para uma prova da APAV duas semanas depois, de seguida mais outra e... quando dei por mim já estava agradavelmente viciado neste maravilhoso mundo de corridas onde, passados 6 anos e meio, realizei hoje a minha 237ª.
Ah! E a Corrida do Tejo 2006, a tal onde me iria estrear, foi a minha 16ª! 


Este ano a corrida foi diferente pois fez parte da "Missão Isa". Após a sua muito bem conseguida estreia em Meia na Vasco da Gama (ler aqui), a intenção era tentar ajudá-la a bater o seu record baixando da hora.
Cada vez gosto mais deste espírito de entreajuda entre os atletas de pelotão e poder ser, de alguma forma, útil a um outro é um verdadeiro prazer.
E não estávamos sozinhos nesta missão pois juntaram-se mais dois elementos que ainda não tinha o prazer de conhecer. O Carlos e a Lígia, recém chegada à blogosfera e onde o seu constante sorriso a correr é bem demonstrativo do prazer que a corrida lhe proporciona.


E foi assim que este grupo de 4 mosqueteiros (não chegámos a concluir quem era o d'Artagnan...) se lançou à corrida. Ao contrário da Meia, esta corrida era para ser feita com os olhos no relógio e muitas contas. 
Verdade seja dita, as contas ficaram muito facilitadas pois a Isa foi aguentando um ritmo melhor do que o pretendido, e sempre a falar bem, sinal que estava dentro das suas capacidades.
Ao 6º quilómetro já era uma certeza, salvo qualquer imprevisto, de se baixar da hora e ao 8º que inclusive baixava dos 59. 
Como se aguentou bem na subida do Inatel, foi só questão de incentivar mais um esforço adicional e isso permitiu também baixar dos 58 minutos e fixar o seu novo record em 57.37
O excelente grupo de 4 deu as mãos para se saudar a meta mas mesmo a chegarmos ao tapete, em virtude da presença de outros atletas, acabámos por a cortar um pouco tortos.

No meio de tanta carga que tenho dado em corridas e treinos, soube bem ter um (único) dia com quilometragem mais suave. A carga para a Maratona segue já de seguida, e agora em dose ainda mais alta!


E pronto! Estava finalizada mais uma Corrida do Tejo, um marco no nosso calendário, recordista de atletas classificados. Este ano esse máximo não foi batido pois desceu de 9.346 (record nacional) para 8.888... em 10.000 inscrições!
E isso surpreende-me! Sabemos que nunca aparecem todos os atletas pois há sempre qualquer contratempo ou lesão, mas estamos a falar de meia dúzia de pessoas. Agora como é que 1.112 não comparecem, sendo a maior fatia de culpa da chuva? Como se gastam 14 euros para, em virtude duns pingos, primar-se pela ausência?
Logicamente que não estamos a falar dos habitués pois nós vamos a todas! Nem que o céu se abra e o vento traga areia como alfinetes! (quem foi ao Atlântico 2011 na Costa da Caparica, sabe bem do que estou a falar!).

Dos 8.888 classificados, registou-se a participação de 2.268 atletas femininas, uma excelente percentagem de 25,5%


E por falar em atletas femininas, destaque para Jéssica Augusto que, a representar a Nike, alcançou a sua 4ª vitória consecutiva, igualando o feito de Lucília Soares entre 1997 e 2000. Jéssica registou 34.09, menos 3 segundos que em 2011 e a 1.04 do record de 2009 que também lhe pertence.
Na 2ª posição finalizou a agora sportinguista Ercília Machado com 34.34, tendo completado o pódio a sua colega de equipa e tetra vencedora do Tejo, Sandra Teixeira (35.39)


No sector masculino, Rui Silva do Sporting também alcançou a sua vitória número 4, registando 30.07 e ficando a 1.02 do record de prova que também é seu.
O vencedor de 2011, o benfiquista Rui Pinto, foi 2º com 30.48, curiosamente 23 segundos melhor que o tempo que lhe deu o triunfo no ano passado, chegando o seu colega Samuel Barata 9 segundos após.

Colectivamente, o pódio foi composto pelo Gabinete de Fisioterapia no Desporto, NucleOeiras e Garmin Olímpico de Oeiras.


A organização desta prova não se esgota apenas no dia da corrida mas num conjunto vasto de eventos onde sobressaem os treinos que proporcionam nas semanas anteriores. 
Como sempre, tudo esteve dento da qualidade habitual, registando apenas que este ano não houve direito a transmissão televisiva, quebrando um hábito que vinha, pelo menos, desde 2006.
Realce-se a curiosidade da medalha ser em forma de magneto.
O único ponto negativo desta prova mantêm-se e estou a falar do preço que, para os padrões nacionais, é alto, em especial numa altura de crise como nos estão a impor.

E acabo com a mente na imagem da placa à saída. Até à Corrida do Tejo 2013!






sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Mancha Negra no Tejo


Não, não se trata dum desastre ecológico que tenha poluído o nosso bem amado Tejo, mas uma alegoria àquele personagem que metia-me um certo respeito quando aprendi a ler há 46 anos atrás e desatei a devorar livros do Tio Patinhas e Rato Mickey.

As histórias que mais gostava eram aqueles "policiais" onde o Mickey e o Coronel Cintra perseguiam o malvado Mancha Negra que se escapulia dos lugares mais improváveis, deixando uma folha com um borrão de tinta preta e as palavras "O Mancha esteve aqui!".
Aquilo para mim era alta emoção!

Pois foi disto que me recordei quando recebi hoje a minha camisola dorsal para a Corrida do Tejo deste domingo, imaginando a mancha negra que será pela marginal fora.

Será a minha 7ª Corrida do Tejo em 7 possíveis desde que me iniciei neste maravilhoso mundo das corridas e, para tal, decidi tirar esta fotografia com as minhas 7 camisolas do Tejo


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Europeu de Cross - Critérios de selecção


Aproxima-se o 19º Campeonato Europeu de Cross, a realizar em Budapest (Hungria) a 9 de Dezembro e onde Portugal tem um largo currículo de 54 medalhas. A saber, 19 de ouro, 19 de prata e 16 bronze, sendo a nível individual 7 de ouro, 8 prata e 7 bronze e colectivamente 12 de ouro, 11 prata e 9 bronze.

Colectivamente somos a maior força a nível de seniores femininos, com 8 vitórias e um largo avanço sobre as segundas melhores, França e Rússia com 3 cada, enquanto no sector masculino somos os terceiros melhores. 
No geral, contando com seniores, sub23 e juniores, somos igualmente a terceira força.

Um palmarés invejável e que nunca é demais assinalar!

Para ver toda e qualquer estatística deste campeonato, clicar aqui

E para os 36 lugares (6 por cada um dos 6 escalões), já estão definidos os critérios de selecção definidos pela Federação e que passo a transcrever do seu comunicado oficial:


SENIORES MASCULINOS E FEMININOS

1.- Na categoria Sénior, as selecções masculina e feminina serão constituídas por um máximo de 6 atletas. 

2.- Os atletas serão seleccionados em função dos resultados obtidos na vertente corta – mato, no período de 11 a 25 de Novembro, considerando-se os seguintes momentos privilegiados de observação da condição e nível competitivo:
• 11 Novembro: corta-mato de Amora.
• 25 Novembro: corta-mato de Torres Vedras;

3. Em ambos os sexos serão seleccionados:
• Até três atletas no Corta-mato de Amora;
• Os restantes atletas, a partir das classificações do corta mato de Torres Vedras e da avaliação global dos resultados obtidos no referido período de observação;
• Será considerado o histórico de resultados obtidos representando a Selecção Nacional em competições internacionais de alto nível, na vertente corta – mato.

JUNIORES E SUB-23 MASCULINOS E FEMIINOS

4. Nas categorias Sub-23 e Júnior, e em ambos os sexos, a representação Nacional poderá verificar-se em termos individuais ou colectivos (4 atletas a pontuar), dependendo da valia técnica demonstrada pelos atletas no decurso do período de observação.

5. Os atletas serão seleccionados em função dos resultados obtidos na vertente corta – mato, no período de 11 a 25 de Novembro, considerando-se os seguintes momentos de observação da condição e nível competitivo:
• 11 Novembro: corta-mato de Amora.
• 25 Novembro: corta-mato de Torres Vedras;

6. Em ambos os sexos poderão vir a ser seleccionados:
• Até 3 atletas a partir das classificações no corta – mato de Torres Vedras;
• Os restantes atletas, a partir das classificações do corta mato de Amora; e da avaliação global dos resultados obtidos no referido período de observação.

Notas:
• As diferentes Selecções serão divulgadas a 26 de Novembro;
• Os atletas seleccionados estarão inibidos de participar em quaisquer competições,  no período compreendido entre 26 de Novembro e o Campeonato da Europa de Corta – mato;
• De 28 Novembro a 2 de Dezembro decorrerá em local a determinar, um estágio da Selecção Nacional Seniores;
• A Profª.Sameiro Araújo é a responsável técnica do processo de selecção e preparação das selecções nacionais para estes Campeonatos.