domingo, 5 de junho de 2016

Na minha 10ª Corrida do Oriente (onde nem sombra de mim fui...)

As minhas 9 canecas da Corrida do Oriente (em 2006, primeira que participei, ainda não davam canecas)

Primeiras palavras para parabenizar a Rute que se estreou de forma brilhante nos 3 dígitos ontem no Oh Meu Deus! (106,240 km). Fez uma prova fantástica (com direito a pódio) demonstrando toda a sua garra e tenacidade. Grande Rute, grande emoção!!! 

Tenho um carinho especial pela Corrida do Oriente. Nota-se ao verificar que na minha 11ª época de Atletismo, participei hoje pela 10ª vez.

E está na minha história por ter sido, em 2006, onde baixei pela primeira vez da hora. Foi a minha 8ª corrida (3ª de 10 km) e ainda me lembro da aflição, naquela recta em piso de terra que nos levava à meta, a ver a hora a aproximar-se e a não saber se faltava muito para a meta. Até que apareceu e cortei-a num estonteante (para a altura...) 59.18

Novamente na história por em 2009 ter marcado o meu regresso após uma longa paragem de 6 meses por fractura do pé esquerdo. Com apenas dois treinos de 3 km cada, arrisquei em participar, tais as saudades do ambiente de corrida, e fi-la, naturalmente, num dos piores tempos de sempre (1.07.52) mas com uma grande festa na meta. Estava de regresso!

Este ano estava esperançado que entrasse novamente na história. Após as corridas e marcas que vinha a registar, era o sítio ideal para atacar os sub50.
Sim, sim, sei que dizia a todos que não ia ser nesta mas isso é a minha maneira particular de aliviar pressão.
O duro percurso de Belém, com 51.47, delineou a certeza que estava na hora de dar o tudo por tudo.

Passei a semana a idealizar tácticas, ritmos e a visualizar como poderia acabar bem (forma de ganhar mais força).

Mas... há sempre um mas... as corridas são do mais imprevisível. E quando se quer ir ou passar o limite, tudo tem que estar a 100%. E o meu ponto mais forte, aquele que me leva a conseguir o que consigo, hoje não correspondeu (a força mental). Não há uma justificação plausível. Apenas dias que acordamos assim. Tal como os músculos que podem estar muito bem treinados mas há dias que não correspondem, o mesmo se passa com a parte mental, sem ter que haver uma razão.

E se a parte mental não está bem, a física fica de rastos...

Antes e depois da prova, parecia que não estava ligado, que a cabeça estava ausente. Que nada corria bem.
Logo no aquecimento não tive boas sensações. Isto na prova onde tive o privilégio da companhia do Nuno que iria ajudar-me a chegar "àquele" tempo (Nuno que em 15 edições participou no Oriente por 15 vezes. Totalista!)

Por vezes o aquecimento diz-nos uma coisa e a corrida desmente. E foi assim que iniciei focado no objectivo. 1º km no equilíbrio entre o não abusar e o não perder demasiado, em 5.15 e no 2º em 5.02. Um bom inicio para o pretendido. Mas uma coisa eram os tempos e a outra como me sentia. 

Ora no 3º comecei a perder uns quantos segundos. Sem boas sensações e a ficar completamente fora da média, a cabeça perdeu a estamina e contagiou de forma irreversível a parte física. 
Cada quilómetro, pior que o anterior. De inicio ainda ia pensando, "não dá para os sub50 mas ao menos 51", depois 52, 53, 54 e deixei de pensar, apenas arrastar penosamente ao longo do percurso numa corrida que parecia não ter fim.

O último quilómetro já foi em 6 bem alto... e cortei a meta com 57.36 e bem mais cansado que em Belém com 6 minutos menos numa prova dura.

Há dias assim, eu sei, e hoje foi daqueles onde correu tudo, mas mesmo tudo, mal. Antes, durante, depois. O meu agradecimento ao Nuno e Pedro pela paciência em rebocar alguém que se arrastava!

Antes de começar a preparação para o Porto no final de Julho, restam-me apenas duas provas possíveis de tempo na dupla légua, ambas em Julho.
Após uma Maratona, costumo ter um boom de forma que, normalmente, dura 2 meses. Este vai perto dos 3. Aguentará mais quase 2? Ou passei, novamente ao lado duma boa oportunidade?

Não perca nos próximos artigos a continuação desta saga, os sub50, uma verdadeira telenovela de avanços e recuos e que dura há mais de 9 anos!


20 comentários:

  1. "Sim, sim, sei que dizia a todos que não ia ser nesta mas isso é a minha maneira particular de aliviar pressão." Malandro! Mas olha que estava um bocado desconfiado da tua conversa! De tanto tentares aliviar a pressão a coisa saiu-te ao contrario e ficaste foi sem pressão nenhuma! Ou isso ou a NASA não tinha nenhum satélite disponível! :) Mas deixa lá melhores dias virão.
    E desculpa lá mas hoje quero lá saber de provas de 10 km e tentativas de baixar dos 50 minutos! Hoje só quero gritar: VIVA A A RUTE! VIVA A RUTE! VIVA A RUTE.
    Quem a viu, mais a Isa, cheias de receios e duvidas numa corrida do Monge aqui há uns anos como eu vi! Como "cresceram" essa atletas! Fantástico! Mas voltando ao teu caso: andei a semana toda a pensar como uma prova que sempre me pareceu boa para bater recordes pessoais, a Corrida do Oriente, tu afirmavas que não era boa para isso. Ainda pensei que estava desactualizado mas que a tua conversa era estranha lá isso era! Agora nunca mais vou acreditar nos propósitos que anunciares para a tua participação numa prova de 10 km!
    E VIVA A RUTE OH MEU DEUS!

    ResponderExcluir
  2. Há dias assim João!
    Mais oportunidades haverá, e aí a tal marca vai aparecer.
    Não desanimes, nós acreditamos!

    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tanta esperança e correu tudo tudo mal. Há dias assim...
      Descansa que não desisto. Se em 9 anos nunca desisti... (ok! sou mesmo teimoso!)

      Um abraço e parabéns pela vossa prova!

      Excluir
  3. João...vai ser quando menos esperares...
    Esta era bem mais indicada do que Belém e mesmo assim em Belém fizeste uma excelente prova.
    Eu vou tentar bater o meu record na Onyria...não sei se também está no teu calendário!
    Força que vais conseguir...eu acredito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, Tiago. Nesse fim-de-semana vou às Fogueiras.

      Obrigado e um abraço

      Excluir
  4. Amigo, há dias assim. Nem sempre estamos nos nossos dias. Em Belém estiveste fantástico! Hoje a coisa não correu tão bem, ora isto quer dizer que em Santo André...vais fazer uma prova brutal ;) Trust in me ;)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não correu tão bem? Não, correu foi mesmo tudo mal.
      Em ti, eu "trusto", em mim... é mais difícil!

      Beijinhos, obrigado e parabéns pelo teu voo de hoje! :)

      Excluir
  5. Permite a minha opinião de leigo, mas não me parece benéfico atacares tempos próximos dos teus limites em semanas consecutivas. Eu não o conseguiria com certeza.
    Talvez isso explique a quebra física, já a mental...
    Sem stress, mais hipóteses virão.
    Força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá grande Pedro!
      Permite-me que discorde pois recuperei bem durante a semana.
      O problema de hoje não foi físico, a cabeça é que acordou estranha e não colaborativa.
      Tantos dias para poder desatinar e escolheu hoje...

      Obrigado e um abraço!

      Excluir
  6. Tá tudo dito, se a cabeça não quer não adianta nada. Foi apenas um dia menos bom ... siga a camioneta. Quanto à Rute ... palavras para quê? .. Oh Meu Deus!!! Grande.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dia mau num dia que tinha que correr tudo bem...
      Um abraço e obrigado

      Excluir
  7. Eu acho que esse RP sai quando menos estiveres à espera! E vai saber muito bem. :)
    A Corrida do Oriente ainda mantém o mesmo percurso com aquele empedrado? Apesar de ser uma prova plana, o piso não era dos melhores.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só no início e fim. A meio já não se apanhou o empedrado pois regressou-se pelo mesmo sitio por a Alameda dos Oceanos estar em obras.
      Mas ontem não teve a ver com percurso nem calor. Fui eu.

      Beijinhos e boa recuperação do heróico esforço :)

      Excluir
  8. Foi pena mas quando não dá, não dá.

    Conseguiste recuperação física, mas mental? Essa pressão que estás a colocar em cima pode ajudar a explicar, ou então...não.

    Não deu, mas deu mais uma bela caneca.


    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, penso que não foi isso. Há dias assim...

      Obrigado e um abraço

      Excluir
  9. Olá João! Ainda não foi desta mas como se costuma dizer "provas há muitas", felizmente e persistência também, está visto!
    Eu lá trouxe a minha primeira caneca e piso empedrado à parte, gostei muito da prova.
    Força!!!
    Muitos Parabéns à Rute!!!
    Sofia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Sofia e muitos parabéns pelo quase pódio no escalão! :)

      Beijinhos

      Excluir
  10. Acredito que a cabeça vale tanto quanto o corpo. Ou até mais nalguns dias e alguns casos :) E isto vale para o positivo e para o negativo :)
    Não foi desta mas talvez a pressão não ajudasse. Mesmo inconscientemente criamos essas expectativas e depois se algo nos corre menos bem, cai-nos em cima uma assombração que dificilmente conseguimos o resultado pretendido... Não foi desta mas está perfeitamente ao teu alcance: com treino, pensamento positivo e depois tudo o resto, pois como dizes, cada Corrida tem as suas coisas e por vezes mesmo quando tudo indica que vai correr bem...simplesmente não corre...

    Força e é manter a chama acesa, isso é que é fundamental e um dia destes, sem grandes ambições no dia, ainda vais dar por ti a fazer 49m52s :)


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tens toda a razão, Ana!

      Beijinhos e obrigado

      Excluir