domingo, 21 de agosto de 2011

Juncal - Estreia dos 4 ao Km apadrinhada por um João Branco em grande!

A 13ª Corrida de S.Miguel, no Juncal, já tinha terminado, o dia tinha sido óptimo, mas guardado estava o bocado para o fecho com chave de ouro!
Assistíamos à entrega de prémios, sem conhecermos as classificações, quando no escalão M60 chamavam os 5 primeiros e em 5º foi anunciado o João Branco, que assim teve direito a uma placa em azulejo. Um prémio bem merecido para alguém que vive as corridas com o melhor espírito de atleta de pelotão, fazendo da entreajuda e camaradagem o seu lema.
Os 5 primeiros M60

Uma corrida que não foi nada fácil. O seu percurso não é dos mais meigos mas o que dificultou a acção de todos foram as condições meteorológicas.
Já disputei provas com mais calor que os 33/34 graus que estavam à hora da corrida, mas a mistura entre um ar muito seco, imensamente abafado e de trovoada, fez que ao fim de escasso quilómetro as gargantas já estavam completamente secas, doendo por esse facto, e foi penosa a espera até ao 4º quilómetro e reabastecimento, além do desgaste provocado por estas condições.

Nesta prova inaugural dos 4 ao Km, dei o melhor que tinha, consciente que fiz uma óptima primeira volta mas com a segunda já a ser afectada pelas referidas condições.
Felizmente tivemos no final duche à disposição no Polidesportivo e que bem que soube!
O meu tempo foi de 38.12 para uma distância anunciada de 6.400 metros mas que o meu relógio marcou pouco mais de 6.800. A média foi de 5.33 por quilómetro, ligeiramente acima do que pretendia mas justificada pelas especificidades climatéricas com que deparámos.
Um pouco menos dum minuto depois chegaram a Sandra, a outro elemento que representou os 4 ao Km nesta prova, e o João Branco, tendo ambos sido entrevistados pelo locutor de serviço, metendo-se com eles por terem feito toda a prova juntos.

José Maduro voa para a vitória, aqui a completar a primeira volta

Anabela Tavares, na sua passada firme e muito eficaz, já vem isolada no 1º lugar, no final da 1ª volta

Quem correu mais rápido que todos, foi o José Maduro, já habitual vencedor desta prova, e a Anabela Tavares, ainda recentemente sagrada campeã nacional de 10.000 metros.
Curiosamente, já na Corrida das Fogueiras há pouco menos de 2 meses, tinham sido estes dois atletas os vencedores.

Dum limite de 150, acabaram por participar 125 atletas, número semelhante ao de 2010 (128)

Documento histórico. A relação de equipas onde, com o nº 12, consta pela primeira vez os 4 ao Km

Como já foi referido, foi a primeira participação da equipa 4 ao Km o que, curiosamente, registou nalguma "concorrência" uma certa curiosidade ao lerem na relação de equipas uma com esse nome. 4 ao km pode atemorizar muita gente, mas ao verem quem somos, das duas uma, ou acham que somos uns brincalhões, ou o nome pode ter duplo significado... (ah ah!)

Olha que bem se estava junto à Lagoa de Óbidos!

Mais uma vez, o dia foi aproveitado para aliar desporto, turismo, cultura, lazer e diversão.
Saídos cedo, desfrutámos dum belo pic-nic nas margens da Lagoa de Óbidos, no Covão dos Musaranhos, um local sossegado para recarregar baterias.
Depois duma ida atá ao Bom Sucesso e pela sempre bela Vila de Óbidos, dirigimo-nos então ao Juncal onde fomos encontrar uma terra simpática, engalanada em festa, com gente que sabe receber bem.
A organização, para um evento com este propósito, esteve bem e não há falhas a apontar.
A única reclamação seria para o S.Pedro que nos brindou com aquele tempo que já salientei. Mas como parece que ele não tem livro de reclamações, a coisa fica por aqui!

E foi assim esta crónica, hoje escrita por ordem cronologicamente inversa, mas as corridas de trás para a frente também são as melhores!

Os 4 ao Km vão continuar em acção nos Trilhos de Monsanto e Corrida do Avante, pela minha parte a próxima é a fabulosa Meia-Maratona de S.João das Lampas. O ano passado aguentei-me, vamos ver o que acontecerá este ano.




3 comentários:

  1. João

    É de guardar o documento histórico da participação da vossa equipa.

    Não foram 4 ao km no terreno mas no papel estava lá e não disso não há dúvida nenhuma.

    :)

    Depois de ler a crónica verifico que houve ali uns problemas de hidratação. Quando a garganta 'pica' é mau sinal. Deve-se beber sempre basatante água antes da prova exceto na última meia-hora e quando o tempo está assim quente levar uma garrafinha é de bom tom. Evita problemas como o relatado e quando se chega ao abastecimento leva-se outra.

    Parabéns ao João Branco e à equipa.

    ResponderExcluir