sábado, 31 de março de 2018

No Grande Prémio da bela Vila Poema de Constância

Com o Manuel Sequeira, companheiro de viagem

Esta é daquelas que anseio todo o ano. Sinto-me bem ali, numa vila tão bonita como Constância, onde o Tejo e o Zêzere se unem, e adoro o percurso, que me dá sempre inspiração (e asas).

Assim, rumámos, conjuntamente com o casal Sequeira a Constância, o que fiz pela 10ª vez.
E a sensação final é sempre a mesma, o pensar "ainda falta um ano para tornar a correr neste percurso". Como se percebe, eu e estes 10 quilómetros é uma questão de paixão e as paixões não se explicam.

Antes da prova, recuemos dois dias. Senti que chegou a altura de regressar às séries, cujas últimas tinham sido há quase 4 meses, poucos dias antes da primeira intervenção.
O meu esquema normal é aquecer 3 quilómetros, seguindo-se 400 metros de calma, 1 quilómetro a dar o máximo, 400 metros de calma, 1 quilómetro a dar o máximo e termino com 1.200 de retorno à calma. Apenas como base de comparação, nada mais do que isso, andava a fazer entre 4.15 a 4.20 na 1ª série e entre 4.05 a 4.10 na 2ª série (o melhor de sempre que consegui foi 3.54). 

Naturalmente que após a paragem e ausência de séries, a diferença tinha que ser significativa, como o foi. Registei 4.49 na 1ª, o que me deixou satisfeito. Na 2ª, abortei a série aos 650 metros, por ter abusado nos primeiros 500 metros e numa altura que a média apontava para 4.36
Fiquei contente com o treino, principalmente pelas sensações e foi um bom "boost" para hoje em Constância. Tenho muito espaço para evoluir e quero fazê-lo de forma sustentada e duradoura. Como tão bem disse o Nuno Moreira, esta recuperação é uma Maratona, não um sprint.
Sei que há quem estranhe fazer séries a 2 dias duma prova mas os resultados falam por si pois tenho-me dado sempre bem com este esquema. Prova-se com o facto de o ter feito no ano passado 2 dias antes de ter batido o record dos 10, dos 15 e da Meia.

Antes da prova, preparado para o ataque, e com um número de elite! :)
O meu objectivo para hoje em Constância era fazer a melhor prova possível para o momento actual. Em 2011 bati aqui o meu records dos 10 com 50.08, quase, quase a ser sub50, o que já andava a lutar desde o início de 2007 e só consegui no final de 2016. Já tenho 5 sub50 mas nenhum em Constância e gostava muito de um dia poder marcar esta corrida tão especial para mim com uma marca assim. Claro que este ano estava fora de hipótese mas, se não houver qualquer contratempo, quem saberá se em 2019...?

Fomos brindados com um lindo dia de primavera e, grande realce para o contrário do que tem sido corrente em Março, sem vento! Até vou repetir: Sem vento!

Este percurso possui uma particularidade curiosa. Tem descidas e subidas mas sempre suaves. A curiosidade é que para lá parece descer muito mais do que sobe e no sentido contrário... também parece descer muito mais do que sobe. Claro que fisicamente é impossível mas não deixa de ser uma sensação curiosa que tenho.

Arranquei calmo, decidindo só colocar o ritmo após a subida em empredado, por volta dos 300 metros. Passei praticamente em último, iniciando então uma corrida de trás para a frente e fixando-me regularmente entre os 5.10 e 5.19, na esperança de ver se aguentava.

Primeiros metros nas calmas
Os quilómetros foram passando, sempre com o Zêzere como companhia, notava a pulsação acelerada mas controlada. 

Passei no retorno, rigorosa metade da prova em 26.59 o que achei curioso pois com uma 2ª metade igual faria 53.58, exactamente a melhor marca que tenho desde o regresso, feita nos Salesianos. Mas queria melhor...

E deu-se aquele efeito habitual neste trajecto. Dou a volta e... se vinha com bom ritmo, melhor ficou! Não sei o que me sucede ali mas quando inicio o regresso, parece que ganho asas.

E as contas, quilómetro após quilómetro foram evoluindo de "consigo fazer melhor que os 53.58" para "consigo baixar dos 53.30", depois "consigo baixar dos 53". E assim foi. Se a 1ª metade foi em 26.59, a 2ª limitou-se a 25.41, 1 minuto e 18 mais rápida, apesar do desgaste acumulado.

Usei a minha táctica habitual, que é nas alturas de maior cansaço olhar para o relógio. É o meu "energizador" mental. Ao ver a marca que vou a realizar, ganho energia para me aguentar até à linha de meta. 
Já sabem, quando numa prova virem que olho muito para o relógio, é que a coisa vai bem. Naquelas que nem olho para ele... ui... a coisa está mal! :)

Cortei assim a meta em 52.40, de longe a minha melhor marca desde o regresso e com o melhor quilómetro o último em 5.00 (menos 1 segundo e entrava no minuto 4).

A ir cortar a meta e a deixar transparecer a alegria
Após a meta, sentia-me muito cansado mas recuperei rápido. 

Enriqueci assim o meu historial nesta prova onde tenho registado sempre grandes marcas. Sempre, quer dizer, não há regra sem excepção mas a excepção foi programada. Em 2015 finalizei na casa do minuto 59 mas na semana anterior à Maratona de Paris. Como não queria perder esta prova, combinei comigo próprio que ia fazê-la em ritmo de treino calmo. E como sabem que nestas coisas sou muito disciplinado, assim o foi.

Com o bonito troféu todo em cortiça, a comemorar 30 edições desta prova
E por falar em disciplinado, tenho pela frente mais uma semana de treinos que já estão planeados e com o dia de séries na 6ª feira.
Domingo, é dia da Corrida do Benfica António Leitão.





Amanhã é 1 de Abril e pensei ser giro inventar aqui uma mentira qualquer em forma de brincadeira. 

Depois de pensar em várias hipóteses, acabei a interrogar-me se se justifica haver um dia para as pessoas mentirem. Isso significaria falar-se verdade nos restantes 364 dias. Mas a verdade tem sido tão maltratada a nível global! 

Por mais paradoxal que pareça, num momento onde o acesso à informação é imediato e onde temos todo um manancial de informação disponível, a circulação de notícias falsas atinge valores inacreditáveis. E o pior é que são os seres humanos, e não robôs de internet ao serviço de algoritmos duvidosos, que mais partilham essas notícias que ferem a verdade de morte. Estudos há que comprovam que  uma notícia falsa é partilhada 70 vezes mais que uma verdadeira. Porque normalmente trazem choque, surpresa, repulsa ou medo. E como há os acérrimos defensores de que os fins justificam os meios, vemos mentiras repetidas exaustivamente até se formarem aos ouvidos populares como verdades absolutas. Seja para fins políticos, empresariais, desportivos ou tantos outros. Apelidava-se de quarto poder mas hoje em dia essa hierarquia está alterada. 

Por isso, sugiro que em vez de termos um dia das mentiras, fosse criado um dia das verdades. Seria curioso ver todos os chamados fazedores de opinião, políticos, empresários, dirigentes desportivos e outros falarem verdade!

Uma Feliz Páscoa e uma excelente semana a todos!



14 comentários:

  1. Parabéns pela excelente corrida!
    Continuas a afinar! :) :)
    Boa Páscoa, bons treinos e boas corridas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado e força para o que aí vem :)

      Beijinhos

      Excluir
  2. Ainda não foi este ano que fui a Constância. Mas falas com tanto amor pela prova que vou ter de a pôr no calendário do próximo ano!

    Parabéns pela prova, já estás a melhorar!

    Eu dou tanta importância ao dia das mentiras que só me lembrei ao final do dia... :)

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai que não te arrependes :)

      Um abraço e muito obrigado

      Excluir
  3. Muito bem, mais um passo no caminho certo. Curiosamente sinto o mesmo que dizes em relação à inclinação no percurso da MM Douro Vinhateiro.
    Excelente divagação sobre a verdade da mentira. Ou a mentira da verdade.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado!

      A do Douro Vinhateiro está em falta no meu currículo...

      Um abraço

      Excluir
  4. Ahhh, verdade que nunca corri essa prova embora tenha feito bem mais que 10 km nesse mesmo percurso.

    E este ano mais uma vez não o fiz, talvez para o ano.
    Não posso colocar como verdade absoluta, estaria a mentir.

    A forma a voltar e tu a seres, novamente, feliz em Constância e pelo que percebi e me contaram quem perto daí vive, num belo e mesmo agradável dia.

    Abraço João.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei muito curiosa em relação a esta prova... Talvez para o ano :)

    Parabéns pela 10ª participação! E parabéns pelo teu tempo e pela clareza que continuas a manter em relação à tua forma física e à tua recuperação! Talvez para o mês que vem experimente essas séries :)

    Quanto à mentira... É, de facto, um feriado com uma história curiosa. Podíamos levá-lo mais para a brincadeira, como na origem :) Mas também voto nesse dia da verdade :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado!
      Se fores para o ano, não te vais arrepender :)

      Beijinhos e muita força para o que aí vem :)

      Excluir
  6. Excelente prova.
    Está a ser um regresso espetacular, parabéns.

    Boa prova para o próximo fim-de-semana.
    Eu tenho andado adoentada, por isso muito em baixo se forma, ainda assim vou participar na meia-maratona de Ílhavo :D

    Bons treinos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lígia e desejo-te uma rápida e eficaz recuperação, bem como uma Meia o melhor possível.
      Força!
      Beijinhos :)

      Excluir
  7. Uma verdade: mais uma grande superação do nosso amigo João
    Uma mentira: o João nunca mais vai ser o que era
    Parabéns
    Abraço
    Mike
    Happyrun

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Mike!

      Vamos com calma e sem queimar etapas, para depois a coisa durar :)

      Um abraço e uma excelente Meia no domingo. Força para os dois!!!!

      Excluir