domingo, 18 de março de 2018

Corrida da Árvore: À 3ª foi de vez

A equipa presente (eu, Sandra e Eberhard)

É muito raro estar inscrito numa prova e faltar. As poucas vezes que sucedeu, deveu-se sempre a impossibilidade física (lesão ou doença), como as 5 corridas para as quais já estava inscrito quando parti o pé esquerdo.
Nos últimos 7 anos, e num total de 262 inscrições, apenas fui forçado a ficar numa de fora (Descobrimentos 2015). 

Se estou a referir este dado, é por a Corrida da Árvore estar numa situação particular. Foi a 3ª vez que me inscrevi e só agora pude participar. 

É verdade, esta estava atravessada. Em 2010, dois dias antes, estava a despachar a instalação duns sistemas em Marrocos e ao sentar-me na beira duma cadeira, o tampo soltou-se e a cadeira voou para trás e dei uma queda, batendo com violência com o cócxis. Mal conseguia andar, quanto mais correr e fui forçado a ficar de fora.
No ano seguinte, estive a preparar o material no sábado à noite e nada faria prever que iria faltar novamente. Mas às duas da manhã acordei com um forte febrão e de manhã, em vez de me dirigir para a partida fui para as urgências.

2012 e 2013 coincidiu com outras provas, e entre 2014 a 2017 com as Maratonas que fiz na primavera.  

E é assim que apenas hoje, e há 3ª tentativa, pude estrear-me numa prova que já era uma excepção. 22 edições cumpridas, prova de estrada na zona de Lisboa e eu ainda não a tinha realizado? Pois hoje tudo se resolveu pelo melhor provérbio, "à 3ª foi de vez" e não pelo de "não há duas sem três"

A semana não foi fácil em termos de treinos. Se nos 10 km dos Salesianos e na Meia da Ponte demonstrei que a velocidade está cá e só precisa de ser mais trabalhada, a nível da forma prova-se que perdi muito pois as recuperações estão a ser lentas. Há poucos meses atrás dava o máximo numa prova e depois dum treino de recuperação, estava pronto para outra. Agora a coisa demora, e isso é o maior factor de prova de forma ou sua falta.

Como a Meia foi bem puxada (aquele vento contra...) a semana foi toda a atirar para o arrastar-me.

Com uma semana em cima, estava melhor hoje mas ainda não a 100%, daí a prova irregular que fiz. 

Começando e acabando perto dos Montes Claros mas em estradas diferentes, e sendo integralmente pelas estradas do Monsanto, a corrida é uma sucessão de sobe e desce.

Ora descer nunca foi o meu forte. E se subir costuma ser, neste momento não pois não estou com treino para tal.

Tive então que gerir a corrida aproveitando as partes que me eram mais favoráveis para puxar mais e poupar nas desfavoráveis. Ao contrário das duas anteriores cujo ritmo foi muito semelhante, esta parece mais um electrocardiograma quilómetro a quilómetro.

E, pasme-se numa corrida de 10 km, cheguei a ter que andar uns 50 metros numa subida pois estava a sentir a pulsação a disparar e tive que a acalmar. Até devo ter ganho tempo com isto pois de seguida, e com a normalização da pulsação, pude puxar bem e até acabar a parecer que tinha corrido sempre de forma vigorosa.

Assim, os 59.30 de tempo final foram o possível e como foram abaixo da hora, tudo bem.
Isto num dia propício à prática da modalidade. Atente-se no menu: Temperatura fresca, sem chuva e... muita atenção a este ponto tendo em conta a semana que passou... sem qualquer vento!

Apesar de ter registado quase uma hora, acabei por finalizar em 405 entre quase 700 participantes, o que diz bem da não facilidade do percurso.

À chegada, e como é boa prática neste evento que homenageia as nossas amigas árvores, cada participante leva uma árvore para plantar. A minha já está, vamos ver se pega.

A árvore
Gostei da prova, gostei do ambiente, gostei da organização, gostei do local. Em suma, gostei de tudo menos das minhas sensações que hoje não foram as melhores.
Há que treinar e pacientar muito.

Para a semana a ver se já me sinto melhor, numa das minhas provas de eleição, a Corrida dos Sinos em Mafra onde irei buscar o meu décimo sino.

Uma boa semana a todos!



Com o Catita, Sandra e Nuno


24 comentários:

  1. Parabéns por mais uma corrida, amigo João!
    Talvez tenhas de ter só um bocadinho de paciência, a forma vai regressar e dar-te muitas e muitas alegrias!
    Boas corridas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, há que trabalhar como fiz nos últimos dois anos. Mas vai demorar :)

      Beijinhos e boas corridas. Força!

      Excluir
  2. Não é uma prova mesmo nada fácil mas é isso que acaba por lhe dar piada. E ao menos é diferente de tantas outras em Lisboa :)

    Força João, há provas assim, agora é recuperar como deve ser.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Vítor! Conheces bem esta prova pois até a venceste há 3 anos :)

      Um abraço e boas corridas

      Excluir
  3. Parabéns por mais um sucesso, João!
    Em breve estarás a 100%!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabiana

      Beijinhos e boas corridas, sempre a sorrires :)

      Excluir
  4. E mais uma para o CV. Já sabes que não se pode comer Filet Mignon todos os dias, de vez em quando la temos que comer uns jaquinzinhos ;)
    Força aí para os Sinos
    Forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh eh, boa comparação!

      Obrigado e muita força para ti para o fim-de-semana! Estou contigo!!!

      Excluir
  5. Oh pá, o que eu gosto da Corrida da Árvore e já há alguns anos que não a consigo fazer. Tenho excelentes recordações, como passar de terminar a prova na última folha da classificação para fazer sub-60 pela primeira vez aos 10km no ano seguinte!

    Aposto que tiveste que caminhar na subida final aos 9km, certo?

    Até aos Sinos! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh lá! Escolheste uma nada fácil para o primeiro sub60 :)

      Boa aposta.

      Um abraço e até aos Sinos

      Excluir
  6. Parabéns, João! Não foi o resultado que gostarias, mas não era uma prova fácil e tens de te dar tempo para recuperares! :)

    Um dia hei-de fazer essa prova :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Agridoce!

      Sim, não é fácil e isto ainda está a precisar de tempo e muito treino.

      E por falar em tempo, espero que não precises de tanto tempo como eu para conheceres esta corrida :)

      Beijinhos e força!

      Excluir
  7. João, "essa já está" como costumas dizer.
    Pois, destruir (uma forma) é um minuto, construir (a mesma forma) requer tempo, não é?
    A Teresinha que o diga mas,..... essa vou contar hojeao fim da tarde no "relatório" da prova do Dia do Pai.
    Grande abraço
    MIKE
    Happyrun

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Mike!

      Vou ficar atento ao relatório :)

      Um abraço e boas corridas

      Excluir
  8. Parabéns João.

    Depois da tareia que se levou na prova de Lisboa, penso que é natural a recuperação ser mais difícil. Eu também senti o mesmo e não me lembro de em alguma prova sentir o corpo tão moído.
    Se pensares bem, nós fomos vítimas de bullying, principalmente por parte do vento. :D

    Pelo que descreves esta prova tem um percurso difícil, por isso os 59 minutos foram excelentes e penso que tens motivos para te sentires super feliz.

    Para a semana enquanto tu participas na prova dos Sinos eu participo na da Cidade de Aveiro.
    Por isso, boa prova para ti e para mim ;)

    Quanto à tua publicação anterior, não comentei, porque a minha previsão na "casa" dos vinte é a que ainda pretendo atingir na "casa" dos quarenta, por isso não concordo nada com aquilo. :D
    Tenho a certeza que nos meus vinte anos teria sido uma verdadeira Rosa Mota em ponto grande (digo isto, porque eu tenho 1,72m).

    Boa recuperação e bons treinos.
    Beijinhos.

    Lígia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lígia e muito obrigado pelo levantar de moral :)

      E tens razão, fomos vítimas de bullying por parte do vento! :)

      Pena termos perdido uma Rosa Mota versão XL :)

      Tal como disse no artigo anterior, aquelas contas valem o que valem...

      Beijinhos e muita força para Aveiro!

      Excluir
  9. As saudades que tenho de ir a Monsanto treinar.

    Fiz uma vez a prova e era exactamente por onde costumava treinar, mas costumava fazer no sentido inverso.

    Prova engraçada e muito durinha.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa definição! Engraçada e durinha :)

      Um abraço

      Excluir
  10. Afinal és humano ;) normal isso ainda não estar a 100%, e mais normal ainda que se note em condições adversas, como nesse percurso. Mas isso já tu sabes bem. Um abraço, João. Força nisso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tadinho de mim... claro que sou humano :)

      Um abraço, obrigado e força para ti para daqui a um mesito!

      Excluir
  11. Se não fossem morrendo umas e nascendo outras, qualquer dia eras totalista (com pelo menos uma presença) de todas :) Mais uma etapa no regresso à forma e bonito o gesto de plantar a árvore. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já participei em 131 corridas diferentes.

      Muito obrigado

      Estou aqui é em pulgas para saber se já és maratonista... :)

      Um abraço

      Excluir
    2. Eh! Eu em 14 diferentes, num total de 15. É multiplicar por 10, mais ou menos :)

      Maratonista, sou pois! Foi uma maravilha. Estou a escrever o primeiro fasículo do relato.

      Grande abraço

      Excluir