terça-feira, 10 de novembro de 2015

A maldita praga dos batoteiros tornou a atacar (agora na Maratona do Porto)

Em 2013 e 2014 relatei neste espaço como tinham existido, respectivamente, 169 e 241 batoteiros na Meia-Maratona de Lisboa (Ponte 25 de Abril).
Em virtude disso, houve até quem me deixasse de falar. Provavelmente agora sucederá o mesmo mas uma coisa que não me posso calar é sobre a verdade desportiva, e os factos são que a classificação do Porto diminuiu em 143 classificados. De 4.547 (estavam listados até ao 4.558 mas faltavam 11 lugares) para 4.404 (o último está como o 4.402 mas na realidade estão listados 4.404 pois estão duplicados dois lugares). 143 desclassificados! (135 portugueses e 8 estrangeiros)

Vários atletas tinham relatado terem visto alguns a atalharem caminho e era bem visível constatar classificados dentro do top 10 no escalão, com falhas de passagem nos postos de controlo e alguns casos do estilo de passar à meia em 2 horas e acabar com 3 horas...

Isto é um absoluto desrespeito com eles próprios, com os restantes e com a organização.

Aquando do meu artigo sobre a Meia, recebi comentários (anónimos está claro...) que o termo batoteiro era muito forte e que haveria casos que tinham passado aos 15 (que passava junto à meta) e dirigido-se à mesma por não estarem bem, cortando-a para receber a medalha pois tinham pago a inscrição, tinham direito a ela. Falso! Prémios de finalizador são apenas para quem finaliza, não se compram com uma inscrição. E o finalizar implica ter realizado todo o percurso, como é óbvio.
Também houve quem (anonimamente...) comentasse que os da frente é que são profissionais o resto vai apenas pela sua saúde por isso não fazia mal atalharem. Falso! Ao inscrever-se está a aceitar um conjunto de regras que tem que as cumprir. Pode ir a brincar mas tem que aceitar as regras do jogo. Se não quer, não entra ou não corta a meta caso não tenha cumprido o percurso na integra. Isto é tão evidente que nem deveria ter que ser realçado.

Muito se poderia dizer mas não estou com paciência para tal pois estas atitudes tiram-me do sério. Uma Maratona é algo mítico no Atletismo, que dá um orgulho inenarrável ao ser conquistada e não pode ser conspurcada com atitudes de gente que não interessa.

Tenho a relação inicial e a actual, fácil seria cruzar os nomes, mas nem vou perder tempo com isso. Na minha opinião, o que deveria ser feito era:
- A organização publicar a lista dos desclassificados (tal como Almeirim faz)
- Obrigar os atletas a devolverem os prémios finais (ao terem recebido o colete e a medalha de finisher, sem terem direito, roubaram a organização. E roubar não é um termo forte mas sim o indicado para quando se engana para ter algo que não lhe pertence)
- Não aceitar a sua inscrição na próxima edição.

Nota final apenas para informar que a estatística que publiquei na 2ª feira, já está actualizada como os novos números e pode ser vista aqui

     

35 comentários:

  1. Concordo em absoluto, João.
    Muito bem. Do primeiro ao último, seja na maratona ou na prova de 5km organizado pela Junta de Freguesia, há que respeitar as regras.

    ResponderExcluir
  2. Enfim. Isto ultimamente tenho lido opiniões de pessoas sobre assuntos polémicos do atletismo completamente sem sentido nenhum. O que relatas te é só mais uns exemplos.

    Completamente de acordo João.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Olha, ainda no Trilhos de Bellas, por engano, eu e mais uns quantos enganámo-nos no caminho e, embora tenhamos feito a mesma distância, fomos pelo alcatrão em vez de pelo trilho, e disse-o e também sei que o meu resultado foi 'melhorado' por isso.

    Mas parece-me que na do Porto ouve muita batotice. Quando o percurso é muito de volta atrás e a malta se apercebe que não há controle, aproveita para fazer menos uns metros...

    Enfim, concordo a 100% com o teu texto e com as tuas medidas!

    ResponderExcluir
  4. A mim só me chateia aparecerem na classificação pois estão a enganar quem cumpriu o percurso, de resto não me choca que queiram aquilo por que pagaram, medalhas e outras coisas, se é merecido ou não cada um sabe de si ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atenção Miriam, a medalha e o colete de finisher não se pagam, conquistam-se ao vencer a distância

      Excluir
    2. Pois é agora pago a inscrição na prova, fico em caso, e depois vou reclamar a medalha e os prémios de finalizador como se tivesse direito a eles, como se os tivesse conquistado com o meu esforço! Quem pensa assim que deixe a corrida em paz e vão ao supermercado fazer compras! Queria ver se fizessem maratonas como eu fiz que cortei a meta e não tive um único, prémio, uma única lembrança (nem ao cortar a meta, nem ao levantar o dorsal)! Isso era correr por amor, por superação do desafio, por prazer! Isso era, e é, gostar de correr! Nunca fui mercenário da corrida nem nunca alinhei numa prova em função das lembranças que dão! E para quem não saiba ando nisto há 35 anos quase 36!...

      Excluir
    3. Jorge,
      por esse raciocínio seriam imensas as medalhas de Maratona que eu teria, tantas foram as provas que eu quis fazer e que nunca cheguei a fazer (e infelizmente, talvez não o possa fazer).

      Mas não, não é esse o espírito e não é essa a minha maneira de ser, e mesmo que possa nunca vir a dizer que sou maratonista, assim ficarei, e será sempre mais digno do que "roubar" uns quantos kms a essa distância.

      Só será MARATONISTA quem fizer os 42,195 Kms, nem que seja a rastejar.

      100% DE ACORDO COM O JOÃO.

      Abraço.

      Fernando Varela

      Excluir
    4. concordo meus amigos

      todos passam do pórtico da partida sao valentes por tentarem, mas so os que terminam a distancia e passam pelo portico da meta merecem a medalha, que por alguma razão diz finisher, e a distancia 42195!
      Se fizeste a distancia e recebeste a TUA medalha é uma coisa agora aldrabar é outra, a organização poderia dar as medalhas de finisher a todos, mas assim qualquer um fazia a sua inscriçao, e para facilitar as hostes entregavam logo as medalha durante o levantamento dos dorsais ...

      Excluir
  5. Será característica mediterrânica? Ou é simplesmente o Chico - espertismo do portuga q havendo um modo fácil, mesmo q seja errado, adopta-o de imediato. Seja como for é cultural e não tem remédio!

    ResponderExcluir
  6. Eu estava no funicular perto da ponte D. Luis onde os atletas viravam à direita para ir fazer mais uns km regressando em sentido contrário e no local onde faziam a viragem para o regresso não havia controlo de tempos sendo muito fácil atalhar caminho. Eu infelizmente vi alguns... só tenho pena de não ter visto os dorsais. É uma falta de respeito. Se estavam mal ou desistiam ou chegando à meta não atravessavam o pórtico para não serem contabilizados os tempos. Enfim...

    Abraço João.

    Abraço João.

    ResponderExcluir
  7. Absolutamente João. Gente que não partilha do espírito desportivo, não anda cá a fazer nada, ou melhor, anda a destruí-lo, a desrespeitar os que cumprem aquilo a que se comprometem, a apropriarem-se do que não lhes pertence, a mancharem a imagem da organização e a vangloriar-se com actos vergonhosos. Impõe-se a criação da "lista negra". Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Tens toda a razão! Vê os links que deixei, sobre o mesmo assunto, no facebook do Orlando Duarte. A praga está um pouco por todo o lado, e já ataca por aqui no norte da europa. Acrescento que no sistema informático das classificações, deveria de ter a possibilidade de retirar da classificação provisória esses resultados que não tivessem passado todos os pórticos de passagem e só depois de analisados deveriam ( porque poderá haver erros informáticos) ser colocados na classificação final. Claro que todos os que faltassem em pórticos por não passagem, seriam desclassificados. Um abraço Xavier

    ResponderExcluir
  9. As ações ficam com quem as pratica... tenho dito! :)

    Concordo contigo João!

    Abraço


    ResponderExcluir
  10. Não paro de te elogiar João , continuas a ser um verdadeiro líder desta classe , tipo um líder sindicalista a defender e denunciar os direitos e as falcatruas .Também já me referi a esta tema á uns tempo no meu blog...tal como tu isto tira-me do serio , temos aqui uns artistas que de tanto cortar já desistiram...um dia numa meia do porto apanhei um em flagrante ...vinha eu do Freixo (km16)) e ele de Gaia (km 11) ao fim da ponte D.LUIS virou para a foz e não foi ao Freixo...no final veio dizer para a terra o tempo que fez...desmascarei o ...deixou de me falar .Abraço e parabéns pelo teu trabalho

    ResponderExcluir
  11. Como já escrevi no comentário anterior, não consigo perceber esta questão. Pronto!

    Num trail, ainda que sem culpa, aceito, falhou uma fita e apenas podem dar pelo erro mais tarde, ok (não quer dizer que a organização não os retire de uma determinada possição e coloque noutra...), mas numa maratona/prova de estrada??

    Claro que também compete às organizações escolherem os percusos e os postos de controle de modo a minimizar esta batota.

    Eu paguei a inscrição, por saber que não estava em forma não fui, ou seja, DNS.

    Podia ter ido, levantava o dorsal, partia, arrajava maneira de chegar perto da meta e levantava os pémios de finisher...podia, mas não o fiz.

    A cada um o que a consciência de cada um dita.

    Ás organizações o que lhes compete, esta questão da impossibilidade de inscrição é muito boa!

    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Aqui o UK como tão bem sabes publicou a lista dos batoteiros que foram desclassificados na edição de 2013 e 2014 da meia maratona de Lisboa
    Provavelmente arranjamos alguns inimigos mas é coisa com a qual não nos importamos mesmo nada!
    Só corri 4 modestas maratonas mas tenho o orgulho de as ter corrido mesmo! Era num tempo em que correr não era moda, antes pelo contrario, e ser maratonista pouco dizia aos Portugueses não relacionados com a corrida.
    Mas se mesmo assim já havia batoteiros nesses tempos idos agora que correr está na moda e que "fica bem" ser-se corredor e então ser-se maratonista ainda dá mas estatuto é normal que o número de batoteiros e oportunistas vá aumentando e muito!
    Já pouco estou ligando para isso pois enganam-se a eles próprios! O mais grave é falsearem classificações e até poder ter implicações a nível de prémios em particular nos escalões.
    O UK continua sempre disponível para publicar listas de batoteiros que tenham sido desclassificados em provas doa a quem doer!
    Um abraço.
    Nota: Mas hoje estou muito feliz porque um governo de batoteiros, aldrabões e vigaristas foi-se!

    ResponderExcluir
  13. Completamente de acordo. A única prova em que desisti até hoje, por motivos de saude, foi a maratona de Lisboa de 2013. Apanhei o comboio em Algés e fui até à expo ver chegar os atletas. Nem por um minuto me ocorreu cortar a meta com o meu dorsal e bem me apetecia aquele geladinho fresco! Morreria de vergonha de mim próprio. Feitios.

    ResponderExcluir
  14. Completamente de acordo, João. Já tinha também comentado esta situação no tópico do Orlando Duarte no facebook e transcrevo-a aqui:
    Isto dos casos dos "burlões" nas classificações também tem um pouco de "mea culpa" por parte de todos os participantes. É já bastante frequente os atletas exigirem a classificação mal acabam de cortar a linha de meta. Quando uma organização se atrasa na publicação das classificações é de imediato "acusada" por tudo e por nada. Para se verificar estes "pseudo-finalistas" demora o seu tempo o que leva a um atraso inequívoco na sua publicação. Mas a realidade é que o "burlão" no dia a seguir à prova já anda a publicar por todas as redes sociais a sua "pseudo" vitória baseada nas classificações provisórias. Se se desse tempo às organizações para avaliar e retirar estes embustes, decerto que este tipo de acções já não seriam tão frequentes aquando da apresentação das verdadeiras classificações provisórias. É o meu ponto de vista!
    Abraço
    Carlos Fonseca

    ResponderExcluir
  15. Totalmente de acordo. Não entendo isto ... apenas se enganam a eles próprios.
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Concordo em absoluto
    Fiz a minha 3 maratona do Porto em todas finisher com muito orgulho
    O traçado deste ano permitia muita vigarice...
    Há tontos que são profissionais em se enganarem a si próprios... inflizes...

    ResponderExcluir
  17. Completamente de acordo.
    Enganam-se a eles próprios mas já não enganam os outros.
    Concordo que deveria ser publicada uma lista com os desclassificados para os desmascararem para ver se têm um pingo de vergonha na cara!

    Eu já participei em trails dos quais desisti e nunca atravessei a meta! Muito menos recebi prémios de finisher! Nem me sentiria bem comigo própria ao aceitar um prémio que não mereci!

    É triste perceber que certas pessoas não encaram o desporto como desporto mas sim como uma forma de fazer inveja aos outros.

    ResponderExcluir
  18. Infelizmente conheço gente que faz isto...é de lamentar...compete a organização desmascarar o individuo na chegada...passar vergonha...acredito que nunca mais alguem tentaria arriscar fazer batota...ainda por cima conseguem que o seu ego seja superior a outros que realmente conquistam a sua vitoria com o seu esforço...seria de louvar sempre o último corredor da prova...esse sim merecia levar todas as medalhas que foram colocadas aos batoteiros...

    ResponderExcluir
  19. Rastejar não... Ou acabamos uma maratona ou não!!! Não sou maratonista, nunca fiz a distância, apenas acompanhei dois amigos nos últimos 15km estes dois anos, ver pessoal antes dos 21km e já iam a caminhar, desculpem a minha opinião mas não são maratonistas....

    Ou corremos, ou não!!!


    Anthony Lopes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anthony Lopes, discordo da sua opinião. Um atleta é maratonista se cumpriu na integra os 42.195 metros dentro das 6 horas estipuladas. Cabe a quem um, ciente das suas capacidades, gerir o seu esforço e andamento.
      Posso dar-lhe o exemplo de atletas que conheço onde um correu o tempo todo e fez 4.30 e outro teve que andar um pedaço mas terminou em 3.30. Por ter andado um pedaço não será maratonista apesar do seu 3.30?!?

      Excluir
  20. A Organização também deu uma ajudinha nos retornos de Matosinhos, Afurada e na Av da Ponte devia haver controlo e não havia.

    ResponderExcluir
  21. Digo mais.. Já faço batota bastante correndo nos passeios e cortando algumas curvas... De resto totalmente de acordo. Há regras e acima de tudo estão se a enganar a eles próprios

    ResponderExcluir
  22. http://topmaquina.blogs.sapo.pt/portugues-bate-recorde-do-mundo-dos-5km-38468

    ResponderExcluir
  23. Temos até o absurdo de um novo recordista mundial dos 5km...
    http://topmaquina.blogs.sapo.pt/portugues-bate-recorde-do-mundo-dos-5km-38468

    ResponderExcluir
  24. Bom, subscrevo, e acrescento, ontem de noite cruzei-me com fotos de pessoas que nem participaram a usar os prémios de finisher... Soube depois que teriam recorrido a um expediente para os conseguir.

    ResponderExcluir
  25. João, concordo com o teu post na integra! batoteiros não fazem falta nas corridas/provas nem na vida!
    Cumprimentos.

    José Jorge Mota.

    ResponderExcluir
  26. Miguel Batista - Viseu12 de novembro de 2015 19:05

    João, concordo com o teu post em tudo! Também eu fiz o relato de um falso maratonista que no Km 25 a minha vantagem era mais de 4 minutos, e no Km 30 era ele que tinha a vantagem em mais de 8 minutos. O que será que este tipo de pessoas ganha com isso?

    ResponderExcluir
  27. Já lá vão muitos anos, mas lembro-me deste episódio passado na corrida Odivelas Loures Odivelas:
    íamos num grupo de meia dúzia, num andamento razoável (abaixo de 4'), quando do meio de um canavial, à beira da estrada saiu um "atleta", todo fresquinho, e meteu-se no grupo!....sem trocarmos sequer uma palavra, um arrancou-lhe o dorsal, e outro deu-lhe um empurrão de volta para o canavial, onde ainda hoje deve estar escondido, à espera que passe outra corrida!!

    ResponderExcluir
  28. 100% de acordo!

    Não vou muito a provas e uma vez tive de desistir. Foi numa meia maratona da ponte 25 de abril. Passa-se junto da meta e ainda tinha de ir dar a volta quase ao Jamor. Por várias razões, desisti ali. Saltei a barreira, passei da meta mas não quis qualquer medalha. Nunca iria querer ficar com a recordação de uma prova em que não fui capaz de terminar.

    ResponderExcluir
  29. Estas atitudes só demonstram o chico espertismo no seio dos corredores de pelotão. Os que se gabam dos estrondosos (mas falsos) tempos. É a consciência de cada um que vale. O não cumprimento das regras presentes no regulamento de qualquer prova, além de desclassificar os atletas não lhe deveria ser permitido a entrega do prémio finisher.
    Só tive de desistir numa prova, ficando perto da meta a ver os colegas a chegar. houve quem me dissesse para passar a meta e receber o prémio. Nada disso! Não terminei, não há prémio! Até o dorsal dessa prova está separado dos demais... questão de consciência e bom senso e cada um usa o que tem.
    Este artigo deveria ser bem difundido para consciencializar os "batoteiros" a respeitar quem realmente cumpre e é meritório ser finisher.
    Quanto aos que te irão virar a cara devido a este artigo, é porque não são merecedores do teu respeito e do teu bom senso.

    ResponderExcluir