terça-feira, 31 de julho de 2012

Ainda não conhece a fabulosa Meia das Lampas?


Com Julho acabado e o Agosto a entrar, Setembro aproxima-se, sendo conveniente começar a definir o calendário próximo.

E em Setembro o que temos? Uma fabulosa Meia-Maratona que muito bom atleta ainda não conhece, estando em boa altura para o fazer. Estou a falar da Meia-Maratona de S. João das Lampas, a 2ª mais antiga em actividade, apenas batida pela "Mãe" Nazaré, disputando-se ininterruptamente desde 1977 e chegando este ano à bonita soma de 36 edições.

Esta prova também é conhecida por Meia das Rampas, sendo este título dito de duas formas, tanto carinhoso como temido, devido às suas subidas, algo que tem inibido alguns atletas de a conhecerem.
Mas quem é atleta de estrada sabe que esta tanto pode subir como descer, quem prefere apenas plano tem a pista, e sabe também que são os desafios que mais satisfação nos proporcionam quando os terminamos.
Subidas? Sim, algumas mas nada que não se faça, e quem gosta de descidas sabe que se a partida e chegada são no mesmo local, tudo que sobe acaba por descer.

Isto tudo para dizer que não podem perder esta prova pois, além dum percurso bonito e aliciante, o que a marca de forma inesquecível são as suas gentes e organização, tornando-a ímpar.
Aliás, não é por acaso que a organização está a cargo dum conhecido Cidadão de Corrida, o inconfundível Fernando Andrade.

E porque os números também fazem parte da história, aqui vão alguns:

A 1ª edição contou com 19 atletas. A centena (exacta) chegou na 4ª edição (1980). O record de participação está em 600 atletas em 1986, sendo que no ano seguinte também ultrapassou o meio milhar (518). Seguiram-se 23 anos sempre na casa das 2 e 3 centenas, para no ano passado registar significativa subida com 420 classificados, a 3ª melhor participação de sempre e a melhor desde 1987.

Desde que a prova é certificada (1993), os records do percurso pertencem a Peter Korir (1.04.58) e Flora Kandie (1.15.20), ambos quenianos e ambos alcançados em 2007.

Em termos de vitórias masculinas, as 35 edições contam com 25 vencedores diferentes, com Carlos Capítulo a triunfar por 6 vezes nos 7 primeiros anos. 
Alcídio Costa, António Riscado, Joaquim Pinheiro, Luís Jesus e Rafael Marques venceram por 2 vezes e um grupo de 19 atletas por uma.

No sector feminino e em 31 edições (nos 5 primeiros anos por 4 vezes não houve senhoras a competir), a mais vitoriosa também conta com 6 triunfos e 4 consecutivos, Lucília Soares. 
Destaque também para Helena Sampaio, tetra-vencedora, Conceição Pereira e Elvira Ferreira por 2 vezes.
17 atletas venceram por uma vez.

O total de participação nestes 35 anos é de 9.288 atletas

Pode verificar todos os resultados e classificações completas aqui

Para terminar, realce para o bonito efeito da edição deste ano que pode ser visto na imagem que encima este artigo. 
E com toda a razão, pois esta é uma prova que fica no coração! 

domingo, 29 de julho de 2012

Pombal com excelente organização no Bodo


No ano em que se festejam os 500 anos do foral manuelino a Pombal, após a reforma profunda nos forais no reinado de D.Manuel I e que substituíram os anteriores, sendo que o primeiro foi outorgado por Gualdim Pais em 1174, Pombal recebeu ontem os atletas para a Prova do Bodo que comemorou a sua edição 30.

As primeiras 27 foram em forma de Meia-Maratona, distância dura para esta altura do ano, daí tendo passado em 2010 para 10 quilómetros.

Conheci-a no ano passado e desde logo fiquei muito agradado com tudo, tornando-se em prova obrigatória a visitar anualmente. 
E este ano a excelente impressão que já tinha foi ampliada com uma organização cuidada e atenta aos atletas, aproveitando a tecnologia para alguns melhoramentos em relação ao padrão habitual, muita simpatia, muito público a assistir e interagir, e um percurso de 3 voltas que se torna bastante agradável e cuja duração passa rápido pelo bem que nos sentimos aqui.



No ano passado apenas teci uma crítica que foi relativa à diferença de 25 atletas masculinos receberem prémio contra apenas 5 femininas, regozijo-me este ano por verificar que até esse ponto foi revisto. Assim, este ano a tabela foi igual para os 12 primeiros atletas masculinos e femininos à geral, o que é muito justo!

Em relação ao ano passado tivemos um decréscimo de 453 para 403 atletas, o que foi uma pena mas justificável por estarmos numa época onde se fazem mais contas às deslocações.
Não creio que o facto de ter passado de gratuito para uma taxa de 5 euros tenha influenciado estes números.
Não esquecer que ao ser disputada nesta altura do ano, obrigatório pela Festa do Bodo, apanha muitos atletas de férias.
Dos 403 classificados, 40 eram senhoras (9,9%).



Numa corrida com relato em directo pela Rádio Cardal, com altifalantes espalhados pelo percurso e uma temperatura que não prejudicava, além de muita agradável sombra pelo caminho, Luís Paula do Brasil foi o mais rápido ao concluir abaixo da meia hora, 29.56, sendo acompanhado no pódio por Pedro Ribeiro (Maia) a 17 segundos e Nelson Cruz (Praia Salema) a 19, após uma forte luta entre ambos. Seguiram-se Manuel Silva (Fornos) e Hermano Ferreira (Conforlimpa). 
Quem também esteve presente para treino foi Luís Feiteira que dentro de 2 semanas vai participar na Maratona Olímpica. Foi 7º com 31.02

No sector feminino, grande domínio de Leonor Carneiro (Maratona) que ao realizar 33.36 ficou a escassos 6 segundos do record de percurso estabelecido no ano passado por Marisa Barros. 
Em 2º, tal como no ano passado, terminou Doroteia Peixoto (Joane) a 1.03, com Rafaela Almeida (Benfica) a completar o pódio 22 segundos após.
Seguiram-se Sandra Teixeira do Sporting, Catarina Lima do Várzea e a hexa-vencedora das Fogueiras, Madalena Carriço.

Registou-se uma mini corrida de 3 kms com 157 participantes e as vitórias de Wilson Conniott (Cercipom) em 10.02 e Inês Santos da mesma equipa em 12.42.
No final, espaço para a caminhada que reuniu um muito impressionante número de caminheiros!



A minha corrida decorreu melhor do que esperava, após 3 semanas com vários problemas pessoais que não me permitiram descansar nem treinar em condições, realizando uma corrida em prazer e com 57.27, apenas custando mais uma parte da última volta. 

Foi o corolário dum dia muito bem passado com o casal João Branco-Gina







sexta-feira, 27 de julho de 2012

Socorro! Vem aí os entendidos



Hibernam durante 4 anos. Disputam-se campeonatos mundiais e europeus, onde os nossos atletas obtêm resultados de relevo trabalhando no duro nesta modalidade que não permite descanso, e aos entendidos tudo lhes passa. Até que aparecem os mediáticos Jogos Olímpicos. Com os holofotes bem apontados, os entendidos acordam e, de repente, sabem tudo, tornando-se donos da verdade.
Pior que se julgarem conhecedores de tudo, tudo exigem, como se este fosse um desporto fácil e onde os restantes não contam, esquecendo-se que só está presente a nata da nata, e onde a simples presença é desde já uma vitória e reconhecimento de todo o valor.

E durante estas semanas, vamos ouvir os disparates habituais, a crítica apontada a quem não trouxe a "obrigatória" medalha, "que é para isso que lhes pagamos", como a ignorante voz popular referiu algumas vezes aquando Pequim. 
Se em todos os Jogos aparecem os entendidos, em Pequim raiou o exagero. Aqui talvez por culpa de quem está sentado numa secretária e prometeu 4 a 5 medalhas!
O tempo foi passando e, como não aparecia uma, começou o fado. Olhando para a lista de países com medalhas, onde estavam cerca de 40 nações, o gozo era imediato pois éramos dos poucos países, diziam, que ainda não tinham nenhuma. Dos poucos? Nós e outros 160...
Até que apareceu a da Vanessa Fernandes no Triatlo e o disparate continuou, pelo simples facto de não ser de ouro, como ela "era obrigada" a ganhar e para o qual os entendidos tinham, coitados, acordado cedo para poder ver! Virou-se então tudo para o Atletismo que ia começar. E os entendidos não olhavam para a concorrência, nem para marcas, nem para a honra de lugar de finalista. Não alcança medalha, bota-abaixo! Foi assim em Pequim, onde uma nova modalidade nasceu, o criticar as declarações de atletas, ignorando o que é falar a seguir a um esforço tremendo.

Foi então que um brilhante atleta português de nível mundial, o primeiro nesta especialidade, foi vítima da frustração dos entendidos. Ainda hoje alguns desses referem a frase que apenas reflectiu a frustração do resultado, de quem tanto trabalhou para lá chegar. E podem continuar a falar na frase mas quantos deles sabem qual a especialidade deste atleta e todos os records nacionais que já alcançou, com valores inimagináveis há bem pouco tempo? Poucos... pois hibernam foram dos Jogos.
Aí, o Comité Olímpico Português teve uma atitude deplorável que foi ceder à ignorante voz popular e castigar o atleta expulsando-o da aldeia olímpica! Pena que o mesmo Comité não tenha levado um cartão vermelho pela sua atitude demagógica...

Até que surgiu uma medalha de ouro e a vergonha de não merecer num conhecido diário desportivo a mínima referência na 1ª página, revelando que os entendidos estão espalhados por todo o lado.

Enfim, se os nossos atletas alcançaram resultados de muito mérito, também se assistiu a lamentáveis e injustificadas críticas que apenas revelam ignorância. E a ignorância marcou pontos de tal maneira que houve quem julgasse que os jogos eram numa cidade chamada Beijing e riam de quem falava em Pequim. 
Provavelmente os deste ano são em London e não Londres...

Dos fracos não deverá a história rezar e, talvez, não devesse estar a perder tempo a escrever sobre factos que magoaram há 4 anos, pois magoa-me ouvir críticas injustas de quem nada percebe sobre o grande esforço dos nossos atletas que, façam o que fizerem, alcancem o que alcançarem, vão ficar esquecidos para grande parte das pessoas durante 4 anos. 
4 anos onde trabalharão no duro, muitos sem condições aceitáveis, sujeitos a muito, para chegarem ao sonho de serem olímpicos.

E é a eles, no dia da cerimónia de abertura, que desejo a melhor sorte possível, numa participação de grande honra.

Vivam os nossos briosos atletas!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Duas boas publicações disponíveis para descarregar


A Revista Atletismo disponibiliza no seu site a possibilidade de descarregar este suplemento especial dedicado aos Jogos Olímpicos Londres 2012, com todos os horários do Atletismo e participação portuguesa.

Pode descarregar aqui


A Federação Portuguesa de Atletismo também disponibiliza no seu site o número 3 da sua revista Athletissima, todo ele dedicado à comitiva portuguesa de Atletismo nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e resenha histórica de 100 anos de Atletismo português nos Jogos Olímpicos.

Pode descarregar aqui

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Atletismo leva mais 2 aos Jogos Olímpicos



A juntar à lista dos 22 atletas portugueses que vão disputar os Jogos Olímpicos e que oportunamente tinha sido divulgada, juntam-se agora mais dois que já estavam nessa mesma lista de prevenção.

Assim, Luís Feiteira vai disputar a Maratona e Pedro Isidro os 50 km Marcha, ficando o Atletismo com um total de 24 atletas, 13 femininos e 11 masculinos.

A lista completa fica agora formada da seguinte maneira:

Alberto Paulo - 3000 m Obstáculos
Ana Cabecinha - 20 km Marcha
Ana Dulce Félix - Maratona
Arnaldo Abrantes - 200 m
Clarisse Cruz - 3000 m Obstáculos
Edi Maia - Salto com Vara
Inês Henriques - 20 km Marcha
Irina Rodrigues - Lançamento do Disco
Jéssica Augusto - Maratona
João Almeida - 110 m barreiras
João Vieira - 20 km marcha e 50 km marcha
Jorge Paula - 400 m barreiras
Leonor Tavares - Salto com Vara
Luís Feiteira - Maratona
Marco Fortes - Lançamento do Peso
Marcos Chuva - Salto em Comprimento
Marisa Barros - Maratona
Patrícia Mamona - Triplo Salto
Pedro Isidro - 50 km Marcha
Rui Pedro Silva - Maratona
Sara Moreira - 5000 m e 10000 m
Vânia Silva - Lançamento do Martelo
Vera Barbosa - 400 m barreiras
Vera Santos - 20 km Marcha


Acompanham a comitiva, Samuel Lopes como chefe de equipa, José Barros como Responsável Técnico, os treinadores Vladimir Zinchenco, José Uva, Fernando Pereira, Pedro Ribeiro, António Ascenção, João Abrantes, Carlos Silva, João Campos, Paulo Reis, Sameiro Araújo, Raposo Borges, Paulo Murta e Jorge Miguel, sendo a equipa médica constituída pela Drª. Isabel Crespo e o massagista António Vieira.

A todos, o desejo do maior sucesso numa presença olímpica sempre altamente prestigiante e honrosa.

domingo, 22 de julho de 2012

Chuva de records na UMA


A 8ª edição da Ultra-Maratona Atlântica Melides-Tróia ficou marcada pelo record de participantes e do melhor tempo masculino e feminino.

Efectivamente, se em 2011 se ultrapassou a barreira dos 200 classificados (248, mais 82 que 2010), este ano dizimou com mais 117, chegando aos 365 (33 senhoras - 9%)

Eusébio Rosa continua a dominar esta prova que já pode ser considerada sua. Alcançou a 5ª vitória, 3ª consecutiva, numa relação onde também constam Pedro Pessoa com 2 triunfos e Custódio António com 1.
Este ano, Eusébio Rosa a representar o Caparica, bateu por 4.41 (!) o record da prova, datado de 2007, parando o cronometro às 2.46.30
Completaram o pódio o já citado vencedor de 2009, Custódio António (S. Mamede) em 2.58.01 e Alexandre Canal (Alto do Moinho) em 2.59.10, perfazendo assim um pódio todo ele abaixo das 3 horas o que é muito signficativo pois apenas por uma vez alguém tinha baixado dessa barreira nas anteriores 7 edições, no tal record de Eusébio Rosa em 2007.

A nível feminino, a espanhola Gemma Martin Borgas, a correr pela Caja Rural, repetiu a vitória do ano passado, ano em que estabeleceu record do percurso que hoje o bateu por 8.56 (!!), fixando-o em 3.33.48
A 2.44 terminou Anabela Gomes dos Aguias Unidas (também ela abaixo do anterior record) e na 3ª posição a veterana Lídia Pereira do Mangualde (3.47.18)

Colectivamente a vitória sorriu ao S.Mamede, seguidos pelos Águias Unidas e Asics Olímpico de Oeiras.

Uma palavra a todos os 365 participantes pois participar e concluir esta aventura é um resultado dum enorme valor!



sexta-feira, 20 de julho de 2012

Revista Atletismo de Julho/Agosto

Já me chegou às mãos mais um excelente número da Revista Atletismo, este referente a dois meses como é habitual nesta altura do ano.

Com as nossas três medalhadas no Europeu a comporem a capa, este exemplar tem uma desenvolvida reportagem sobre esses mesmos Europeus, além de toda a actividade profissional, das nossas provas de estrada e espaço técnico onde realço o muito útil artigo sobre treinos em rampas.

O atleta de pelotão escolhido para este mês é Acácio Teixeira e o clube de pelotão a Associação Desportiva Real Academia de Mem Martins, uma equipa bem conhecida por todos os habituais corredores e presidida pelo sempre simpático Álvaro Pinto, um atleta exemplo.

Como sempre e nunca é demais realçar, um número para ler, reler e guardar!  

quinta-feira, 19 de julho de 2012

O não-relato

Há 3 dias atrás anunciei aqui a realização dum programa / tertúlia em memória de Francisco Lázaro.
Nele constavam diversos e variados pontos muito aliciantes à qual não quis deixar de marcar presença, apesar do muito que tive que conciliar por andar com a vida muito complicada nestas últimas duas semanas.

Uns 5 minutos antes da hora, lá estava à porta do Centro de Medicina Desportiva. Que estava fechado! Chegaram outras pessoas interessadas. E fomos informados que ontem tinha sido decidido mudar o local para o Palácio Foz!

Mesmo que arrancasse logo, iria perder a primeira metade, onde constavam os pontos que mais me interessavam. Assim, desiludido vim-me embora.

Tencionava fazer aqui o relato de tudo o que tinha visto e ouvido. Pois está feito o não-relato!

terça-feira, 17 de julho de 2012

Objectivo falhado


Há um ano atrás, publiquei um artigo (clicar aqui) onde dava início ao que apelidei "ano 49.59".
Não vou repetir o que na altura relatei sobre o quão importante era para mim esse objectivo (o nº 2 na minha escala de prioridades, sendo o 1 a Maratona), apenas salientar uma frase que escrevi "Só não quero chegar à próxima corrida da Lagoa sem o ter alcançado).

Pois foi exactamente isso o que aconteceu, apesar de tudo ter começado bem. A preparação no verão foi seguida à risca, os resultados iniciais provaram isso mesmo, na Corrida da Linha/Destak na Marginal com um ritmo folgado fiz 50.55, demonstrando que estava no bom caminho... e acabou!

Diversas causas exteriores à corrida, baixaram-me a forma em Outubro. Quando estava a recuperar, um problema no joelho direito arrumou de vez as pretensões, chegando agora a altura que esse objectivo ficou de molho para dar lugar ao que chamo o cume da minha carreira, tentar concluir a Maratona. Depois, a partir do início de Janeiro, altura para tentar pela enésima vez este objectivo.

Em 2013, será o 6º ano que irei lutar por esse tempo. Após tantos anos a nunca conseguir, é natural que se coloque a dúvida se algum dia lá chegarei, em especial porque estou a ficar mais velho. Terei 53, o que pesa muito mais que os 47 de quando iniciei esse objectivo.
O João racional diz que será altamente improvável, o João sonhador ainda acredita. Sou daqueles que mesmo quando já andar de bengala ainda devo sonhar que um dia chegarei lá...

E pronto, já que na altura lancei esse desafio e recebi muitos e bons incentivos, era altura de fazer o balanço. Não foi cumprido mas isso é o risco que envolve cada desafio. E se os desafios forem fáceis, deixam de ter valor.
Obrigado pelo apoio de todos, havendo mesmo quem tivesse tentado adivinhar qual seria a prova onde tal se realizava! Espero um dia poder retribuir. 

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Dia 19 - Em memória de Francisco Lázaro

No Auditório do Centro de Medicina Desportiva em Lisboa (Estádio Universitário) irá ter lugar no dia 19 pelas 19 horas um programa / debate homenageando Francisco Lázaro, na semana em que se cumpre o centenário do seu trágico desaparecimento.

O aliciante programa é variado, indo de filmes da época a intervenções especializadas, e pode ser visto em pormenor clicando na imagem.


domingo, 15 de julho de 2012

Memorial Francisco Lázaro



No exacto dia que passam 100 anos da morte do maratonista português Francisco Lázaro, em virtude da sua participação na Maratona Olímpica de Estocolmo 1912 disputada na véspera, realizou-se uma corrida com o seu centro em Benfica onde Lázaro vivia, sendo esta a melhor forma de o homenagear, correndo.


Com partida no exterior e chegada no interior do Campo de Jogos Francisco Lázaro, pertença do Clube Futebol Benfica (popularizado como Fófó), os 10 quilómetros foram um misto de percurso agradável e selectivo, tendo o calor sido suavizado por algum vento que refrescou sem cortar o ritmo dos 371 atletas que em boa hora se inscreveram para este evento em que a Xistarca e  a Associação de Atletismo de Lisboa não quiseram deixar de recordar o nosso atleta.

Competitivamente e para a história, ficam os nomes de Fábio Oliveira e Lucília Soares como os vencedores absolutos.



Fábio Oliveira da Odimarq Alumínios cumpriu o percurso em 33.32 batendo ao sprint e por 1 segundo Pedro Arsénio do Mata Benfica. Em 3º, a 1.29, Paulo Aldeagas do Diana.




A veterana Lucília Soares do Benfica não deixou os seus créditos por mãos (neste caso pernas) alheias e triunfou em 40.49, com Raquel Cabaço do Diana a 1.20 e Alexandra Alves da Açoreana a completar o pódio em 43.31, num pelotão que reuniu 45 atletas femininas ( 12,1%)

Colectivamente, o pódio foi composto por Oeste Running, Futebol Benfica e Toledo.



14 horas após ter cortado a meta na Lagoa de Santo André e cinco horitas de sono, fiz uma prova muito semelhante à de ontem, registando 59.25, mais 10 segundos que na véspera.
Depois duma semana muito complicada a nível pessoal e com paragem forçada, o ter concluído assim as duas provas de seguida foi muito satisfatório.

No final, oferta duma mochila alusiva e duma bonita t-shirt técnica com a imagem de Francisco Lázaro, que pode ser vista na fotografia em baixo.









Corrida da Lagoa de Santo André



Dona duma avifauna riquíssima e diversificada, a Lagoa de Santo André tem uma paisagem natural que a faz especial no género.

Também especial se tornou para as centenas de atletas que em Julho aí rumam todos os anos para um evento de Atletismo e convívio, também ele especial.

E ontem, dia da 17ª edição da Corrida da Lagoa de Santo André, uma vez mais tal se verificou, com as inscrições, limitadas a 600, a esgotarem uma semana antes.

No final, 574 atletas cortaram a meta naquela que foi a 2ª maior participação de sempre, após os 610 de 2008 quando tinha um limite de 700.
Realce para a excelente participação feminina de 98 atletas (17%) e para o facto da organização ter estabelecido 4 escalões de veteranas, algo não habitual mas inteiramente justo.



Tendo iniciado a descida final em 2º, Alberto Chaiça, desta feita a representar os Amigos do Parque da Paz, venceu em 33.02, ultrapassando no sprint final Miguel Marques do Quinta da Lomba que distanciou por 3 segundos. 
A 18 do vencedor terminou Luís Almeida dos Bombeiros Voluntários de Montemor Novo.

No sector feminino, Vera Fernandes do Bela Vista foi a grande vencedora em 39.08, com Ana Duarte do Alvitejo a 50 segundos e Chantal Xhervelle do Casal Figueiras a fechar o pódio em 41.02

Colectivamente, e entre 47 equipas classificadas, os Bombeiros Voluntários de Montemor Novo levaram para casa o troféu de primeiro classificados, seguidos pelo Beja e Amigos do Parque da Paz.



Os 4 ao km, com 7 elementos na corrida e 1 na caminhada, ficaram em 32º, tendo para tal 3 elementos que correram efectivamente na casa do minuto 4 por quilómetro.

Quanto ao 7º classificado da equipa, eu, fiz a prova possível após uma paragem forçada de uma semana em virtude dum problema visual que irá durar a passar mas que não prejudica directamente a corrida, apesar de o fazer a nível de cansaço geral. Cortei a meta em 59.15, tendo adoptado um ritmo defensivo por não saber como iria reagir pelo tal problema e porque 14 horas depois estaria em nova prova.

No final, espaço para a habitual sardinhada. Este ano com a inovação de terem pessoal próprio para assar, o que libertou as pessoas dessa tarefa mas aumentou o tempo de espera.
Convívio salutar e animado, sendo que para alguns atletas marca o fim desta época antes das férias.

E como habitualmente, mais uma medalha pintada à mão retratando uma das citadas espécies que vivem à volta da Lagoa. Este ano a Garça Boieira.
No meu caso a 6ª medalha duma história de amizade com esta prova, tendo nestas últimas 7 edições apenas faltado à de 2009, medalhas que estão na fotografia que finaliza este artigo






quinta-feira, 12 de julho de 2012

6ª Milha dos Tabuleiros em Tomar


A bonita cidade de Tomar recebeu no passado sábado os atletas participantes à 6ª edição da Milha dos Tabuleiros num evento organizado pelo União de Tomar, clube de pergaminhos no desporto nacional e que se aproxima do seu centenário a ser celebrado em 2014.

Decorrendo no Estádio Municipal, alcançou um novo record de participação, subindo dos 137 de 2011 para os actuais 176 classificados.


No entanto, no futuro poderão ser bastante mais pois a viagem à cidade do Nabão vale sempre bem a pena, aliando-se o turismo à prática desportiva. Ambos merecem!

Prova por escalões, sendo que os Benjamins A percorreram 500 metros e os Benjamins B 800 (2 voltas à pista). Todos os restantes correram uma milha, ou seja 1.609 metros (4 voltas mais 9 metros)

Como vencedores absolutos, em masculinos triunfou Paulo Ferreira do Sporting de Abrantes, atleta veterano M45, com 4.41,0 e no sector feminino cotou-se a iniciada Joana Ferreira da ADR da Mata que registou 5.20,2 e deu uma excelente imagem de si, em especial atendendo à sua jovem idade.

Colectivamente, o União de Tomar foi o vencedor com 197 pontos, seguido pela Casa do Benfica de Abrantes (103) e o Zona Alta (98).

Lista dos vencedores por escalão:


Escalão
Atleta
Equipa
Tempo
Part.
Benjamins A F
Ana Bystrova
ADR Mata
1.52,6
5
Benjamins A M
Diogo Silva
CB Abrantes
1.43,7
13
Benjamins B F
Nadia Carvalho
Zona Alta
2.41,8
11
Benjamins B M
David Guia
Zona Alta
2.44,2
10
Infantis F
Eva Carvalho
Zona Alta
6.00,5
6
Infantis M
André Andrade
CB Figueira Foz
5.12,3
20
Iniciados F
Joana Ferreira
ADR Mata
5.20,2
10
Iniciados M
André Cunha
União FC
5.05,7
15
Juvenis F
Joana Oliveira
Riachense
6.04,3
8
Juvenis M
João Santos
SC Abrantes
5.04,0
12
Juniores F
Joana Correia
Águas Belas
5.39,5
5
Juniores M
Vasco Rosa
GA Fátima
4.44,4
9
Seniores F
Renata Mota
Riachense
6.01,4
4
Seniores M
Marco Marques
União Tomar
4.42,8
9
Vet F3544
Susan Mota
Águas Belas
7.26,5
3
Vet F 4599
Carolina Feliz
União Tomar
6.50,9
2
Vet M3544
Jorge Cosme
Individual
4.42,6
18
Vet M4599
Paulo Ferreira
SC Abrantes
4.41,0
16


Agradeço ao Paulo Saldanha que me facultou estes dados