domingo, 30 de dezembro de 2012

São Silvestre de Lisboa - Um grande êxito!


A 5ª edição da São Silvestre de Lisboa redundou num enorme êxito a nível popular e organizativo!

Com cerca de mil atletas a mais sobre o seu record e perto do dobro do ano passado, temia-se que as primeiras centenas de metros fossem de alguma confusão, aliás como sucedeu em 2010 onde os atletas não respeitaram a divisória por tempos e entravam onde queriam. 
Não estive presente no ano passado mas desde 2010 que muita coisa mudou pois a excelência das organizações nota-se na maneira como vão lendo e aperfeiçoando os acontecimentos. 
A partida mudou-se para um local mais propício e passou a existir um controlo rigoroso na entrada dos atletas na respectiva porta de tempos (sub40, sub50, sub60, +60 e caminhada)


De resto, e pelo que me foi dado a aperceber, tudo esteve igualmente perfeito. Isto na parte da organização não da dos atletas onde há um ponto negativo na atitude de alguns que podem impactar outros colegas. 
Estou a falar da altura do reabastecimento no Rossio. As garrafas devem ser deitadas nos contentores ou berma mas nunca no meio da estrada. Ora a série de garrafas no meio da estrada foram um autêntico perigo para, ao serem pisadas, provocarem quedas ou mesmo entorse, caso ainda esteja quase cheia como vi algumas. 
Cada atleta tem que ter a consciência que não está só na estrada e não pode ser egoísta ao ponto de não pensar. Ou então, julgar que pensar é usar pensos.

Quem regula o tempo, provou mais uma vez que é amigo do Atletismo e após uma véspera muito fria e chuva de madrugada, presenteou todos com umas óptimas condições. E esses todos foram em número de 4.499, novo record de participação.
Esta prova iniciou-se em 2008 com 1.798 classificados, saltando em 2009 para os 3.037 e aumentando em 2010 para 3.567. A única baixa deu-se em 2011 com uma má escolha de data, 2.453, aproximando-se dos cinco milhares este ano.
De referir o grande record que as duas São Silvestres das duas maiores cidades registaram este ano. Lisboa de 3.567 para 4.499, Porto de 3.751 para 4.878.
Estes números fazem, ou deveriam fazer, pensar algumas entidades...


Competitivamente, Rui Silva do Sporting estreou-se a vencer e com a 2ª melhor marca da história desta competrição, apenas a 11 segundos do record que Hermano Ferreira estabeleceu em 2010. Ontem, Rui Silva marcou 29.26, batendo por 3 segundos o individual João Pereira, os dois atletas que baixaram da meia-hora. Luís Feiteira com 30.12 completou o pódio.


No sector feminino e após a alternância de vitórias entre Jéssica Augusto e Dulce Félix, Sara Moreira estreou-se a ganhar marcando 32.20, também a 2ª melhor marca a 28 segundos do record que Jéssica Augusto estabeleceu igualmente em 2010.
Dulce Félix foi a 2ª com 32.40, completando assim a dobradinha das atletas do Maratona, e a sportinguista Salomé Rocha a 3ª com 33.06


Na guerra dos sexos, as mulheres partiram com 2.39 de avanço, o que foi insuficiente tendo sido Rui Silva a dar a vitória aos homens. Após as duas vitórias iniciais das mulheres, os homens empataram agora mas a diferença para o ano será de 2.54


Esta foi a minha prova de regresso após a estreia na Maratona. E logo com uma sequência de 3 São Silvestres em 3 dias seguidos. Ontem Lisboa, hoje Olivais, amanhã Amadora. 

Correu bem. Fui ao meu ritmo descontraído e marquei 58.11 de tempo real. Inicialmente ainda acompanhei a Sandra e o Nuno mas logo me apercebi que o seu ritmo era forte demais, em especial para o início, e deixei-me ficar. 
Mais à frente apanhei o Vítor Gonçalves que foi comigo até ao Saldanha. Seguiu-se a descida e, como é habitual, não arrisquei pois descidas não é comigo.

A recuperação das pernas após a Maratona foi impressionante pois deu-se muito rapidamente e sinto agora muita força nas pernas. A parte cardio-respiratória é que foi bastante mais lenta mas ontem penso que já estive a 100%





8 comentários:

  1. Olá João,
    antes de mais parabéns pela prova, e força para hoje e para amanhã - cá fico a aguardar os pormenores.
    Essa história das garrafas é muito mau mesmo, no Porto foi igual e é como tú dizes, um verdadeiro perigo. Eu normalmente quando me abasteço tenho o hábito de levar a garrafa comigo (nunca bebo tudo, vou racionando) e quando a garrafa fica vazia vou colocá-la num caixote do lixo pelo caminho - são 2 ou 3 segundos (talvez nem isso) que se perdem - mas o que é isso para um atleta como eu?
    É uma questão de educação - já que as pessoas por si só (não todas claro) não conseguem ver o problema, penso que as organizações poderiam tentar chamar a atenção às pessoas - um tipo de pedagogia, tipo antes das provas.
    Aquele abraço e mais uma vez força para hoje e amanhã tb.

    ResponderExcluir
  2. As São Silvestre têm sempre um óptimo ambiente! Isso das garrafas, infelizmente, acontece em bastantes provas... como essa foi bastante concorrida, imagino que seria muito pior! ("pensar é usar pensos"!!! ihih ;p)
    Mesmo assim, fizeste uma boa prova.
    Até logo! ;) Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Pois essa "cena" das garrafas eu sei como é!...
    Também levo a garrafa comigo, deitado-a depois num caixote ou deixando-a noutro abastecimento mas nunca no meio da estrada.
    Mas devo-te confessar que cada vez me sinto mais desmotivado para correr provas de estradas mesmo com grandes ambientes como é esse caso!
    Também são mais de 30 anos de ligação com a corrida e um sujeito começa a cansar-se!
    Amo cada vez mais correr mas sobretudo longe das competições e provas ou então na montanha em que só pela paisagem e pelo desafio vale a pena!
    Essa tua rápida recuperação da maratona só quer dizer que ainda vais melhor, e muito, nos 42,195 km!
    Para já aposto, convictamente, numa marca a rondar as 4 horas e 45 ou menos para a tua próxima maratona! Com um pouco mais de treino, menos nervos e, talvez, uma alimentação mas cuidada na semana da prova podes fazer muito melhor nos 7 km finais que foi onde perdeste mais tempo!
    Bom ano MARATONISTA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O treino foi o ideal para as minhas capacidades, a alimentação também foi a correcta. Menos nervos? Aí sim. Mais também acho que não seria possível! :)

      Excluir
  4. viva João,mais um brinde em forma de relato 5 estrelas.É como escreves a zona de abastecimento tornou-se caótica com garrafas pelos ares e muitas a rolar quase cheias pelo chão. Ainda vi algumas quedas mas não foi nessa zona, estou sempre a apelar á consciencia para que se atirem as garrafas pras bermas mas 1º olhar antes de atirar..qual quê!! pelotão muito compacto mal deu para correr nos primeiros kms,depois foi rolar dentro das possibilidades e fazer aquela subida enorme que nunca mais terminava sem perder nenhum pulmão, na volta (com a má escolha das sapatilhas de sola lisa) lá vim largado entre espargatas e demi-pliés até á meta.O objectivo era divertir-me e foi conseguido..pro ano há mais se deus quiser!! votos de feliz ano novo para ti e familia um grd abraço

    ResponderExcluir