domingo, 29 de janeiro de 2012

A Quinta da Luzia Dias


A quinta edição da Corrida Luzia Dias ficou marcada por uma alteração muito positiva no seu traçado, com o aproveitamento da Quinta das Conchas.

Esse espaço, com uma área de 24 hectares, é um pulmão privilegiado em Lisboa, com caminhos que apelam à prática da corrida, nomeadamente os de terra batida serpenteando entre árvores que nos enchem de verde.

Essa foi, sem dúvida, a mais valia dum percurso que não perdeu a sua essência, antes se remodelou para melhor, após 4 anteriores edições onde a chegada era o seu calcanhar de Aquiles.


Esta quinta edição ficou também assinalada por um volte-face pouco habitual no actual panorama em que se assiste ao desaparecimento dumas quantas corridas. Esta, inicialmente marcada para a sua data habitual, segunda quinzena de Novembro, teve que ser cancelada por problemas de patrocínio. 
O que todos recearam, o seu fim, não aconteceu e, felizmente, a Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha do Lumiar e a Academia Musical 1º Junho, conseguiram em dois meses recuperar a prova, com o apoio da Junta de Freguesia do Lumiar e a fundamental parceria da Xistarca

Em boa hora o fizeram com um dia bonito mas frio, e onde a organização esteve ao seu melhor nível. Partida sem problemas, percurso bem marcado, espaço após a meta, e um saco com t-shirt técnica, medalha, água, bolachas e maçã.

A passagem no último quilómetro no dito parque e o final com apaziguador ambiente natural, a todos deixou um perfume de boa disposição.


Com a ausência de atletas de elite, não esquecer que este fim-de-semana disputa-se o apuramento do Nacional de Clubes em Pista Coberta, Luís Batista da equipa da casa (Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha do Lumiar) não deixou os seus créditos em mãos alheias e venceu em 32.39, 3 segundos à frente de Pedro Arsénio do Vale Silêncio. Fechou o pódio Francisco Rocha dos Amigos Atletismo Mafra a 1.10


Os 50 anos não pesam à benfiquista Lucília Soares que logrou mais uma vitória a juntar à sua longa colecção. Realizou 40.50, distanciando a jovem de 20 anos Ana Costa da Odimarq em 2.15
Em terceira à geral, vencendo as veteranas 40-49 e com a marca de 44.31 classificou-se a atleta que dá o nome à prova, Luzia Dias, que assim subiu ao pódio na sua corrida.


Colectivamente, o pódio masculino foi composto pelo Macedo Oculista, Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha do Lumiar e Toledo. 
Em equipas femininas, vitória para o Holmes Place, seguidas da Quinta das Conchas e Tartarugas Imparáveis

O estoicismo da organização em não deixar morrer esta prova, foi recompensado com largo record de participação. Assim, após os 298 da 1ª edição, as restantes 3 situaram-se entre 586 e 626. Hoje, foram 1.007 a cortar a meta, entrando no clube do milhar.
Atletas femininas em bom número, 127 (12,6%)


A minha grande vitória nesta prova, foi ter cortado a meta, algo que estava fora de qualquer cogitação 5 dias antes.
Efectivamente, fez ontem uma semana que contraí uma lesão no pé esquerdo, exactamente no sítio onde o parti há 3 anos, o que me preocupou muito, apesar de através de raio-x se ter percebido que esse facto era mera coincidência, nada tendo a ver com a fractura ou que a colocasse em perigo. 
Essa lesão impediu-me de andar normalmente até 3ª feira, tendo na 4ª começado a melhorar, permitindo sonhar em participar pela 5ª vez em outras tantas edições desta prova.  

Sem mais ter corrido, a decisão da participação ficou pendente para o aquecimento. Felizmente pude dar luz verde e, com uma corrida muito cautelosa sem nunca embarcar em qualquer risco, tive o prazer de cortar a meta no tempo real de 57.32, no que foi, repito, uma vitória e, porque não dizê-lo, um alívio.

Neste momento, passadas mais de 6 horas que finalizei, apenas uma ligeira impressão a dizer presente, mas parecendo controlada.  
Espero pela boa evolução, pois o calendário à frente é aliciante e 3 lesões em 4 semanas são uma maré negra que se deseja de partida.




5 comentários:

  1. Espero bem que seja apenas um susto e que no próximo Domingo estejas preparado para os 49:59 eu por mim e considerando a má experiência que tive hoje com o frio onde os meus Bronqueos se fecharam não antevejo um prova nada boa. Em qualquer dos casos o importante é não desistir, ou seja exactamente aquilo que tu fizeste hoje, aliás quanto mais não seja para vos rever ao fim de quase 2 meses. Abraço a todos.

    ResponderExcluir
  2. Incrível, a forma como algumas organizações surgem de repente e colocam as suas provas em patamares deste nível. É de louvar!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns amigo João por mais esta prova conseguida.

    ResponderExcluir
  4. João, isto das lesões é mesmo o pesadelo de quem faz desporto. Tudo corre lindamente até ao dia em que se tem a primeira. Depois disso, por mais que se queira evitar, uma pessoa fica sempre a pensar que uma 'impressão' ou uma 'moinha' aqui ou ali podem ser o prenúncio de algo que já se teve. Felizmente que isso foi só coincidência e que foi possível participar e concluir a prova. Agaora é continuar a treinar e não desistir dessa brilhante marca de 49:59
    Um abraço e as melhoras

    ResponderExcluir
  5. Ainda não o conheci pessoalmente...mas digo-lhe que sou fã do seu blog! Mesmo que se lesione (desejo-lhe as melhoras), continue a "blogar".

    ResponderExcluir