sábado, 11 de agosto de 2018

24, sapatos e Sevilha

Esta semana correu bem a nível de treinos pois a moinha no tornozelo desapareceu. Terá sido de vez? Esperemos que sim!

Hoje foi dia de longo e após os 20 da semana passada o mínimo obrigatório eram 22 mas a intenção passava por chegar aos 24. 

Para fugir ao calor, apontei o seu início para as 6 da manhã. No entanto, e apesar de me ter levantado a horas para poder sair à hora desejada, só o fiz meia-hora depois por causa de 3 dês (por causa disto, daquilo e daqueloutro que aparecem amiúde e nos atrasam).

Há dias e dias, há dias assim e hoje não foi bom dia para longos. Senti-o logo nos primeiros metros. Restou-me cerrar os dentes e aguentar, o que confesso não foi fácil. 

Muito cedo constatei que dificilmente chegaria onde pretendia. Esqueci a intenção dos 24 e foquei-me nos 22 pois esses eram obrigatórios, custasse o que custasse. E quando assim é, desistir não é opção.

Do Inatel de Oeiras a Carcavelos, de Carcavelos à Cruz Quebrada, da Cruz Quebrada ao Inatel de Oeiras, os quilómetros foram longos pois o ritmo era simplesmente o possível para as forças (in)existentes. 

Mas, sou tramado comigo próprio e quando faltava menos de quilómetro e meio, e já com a parte física e mental há muito ansiando pelos 22 para poder parar, decidi que ia até aos 24. Não ficava bem comigo próprio se não o fizesse.

E em boa hora o decidi pois ao chegar aos 23 cruzei-me com a Tânia e uma amiga, Inês, e assim tive companhia nos mil metros finais, o que foi uma preciosa ajuda.

Em resumo, treino muito fraco sem sensações boas mas com a parte positiva da força de vontade e espírito de sacrifício para cumprir os 24, o que acaba por ser um rico treino para a parte que mais conta numa Maratona, a cabeça.

Este treino serviu também para testar os meus novos sapatos de corrida em distância mais longa. Sei que no Norte chamam de sapatilhas, no Sul de ténis mas como nasci no Centro do país fico-me pelos sapatos de corrida que a todos agrada.

Os novos pneumáticos

Como sempre, e com excepção deste treino teste, ficarão para provas com os actuais de provas, que ainda estão muito bons, a passarem para treinos, substituindo os que chegaram ao seu limite.

É o meu par número 16 desde que corro e têm pela frente a exigência de completarem as Maratonas de Valência e Sevilha.

E a esta hora estarão a questionar: Sevilha? Pois é verdade, anuncio aqui pela primeira vez que irei também a Sevilha.

Para quem me conhece minimamente, sabe que para mim a Maratona de Sevilha é uma enorme paixão, após as inesquecíveis participações de 2014 e 2017. Esperava regressar em 2020 mas a paixão falou mais alto e vou para o tri-Sevilha já em 2019.


Não tinha pensado em 2019 em virtude de ser apenas 2 meses e meio após Valência mas pensei melhor e concluí o seguinte: 
- A 2 de Dezembro faço a Maratona de Valência
- O resto de Dezembro é para recuperar da Maratona
- Janeiro para treinar para Sevilha pois basicamente é manter pois o treino está lá todo em virtude da preparação de Valência
- A 17 de Fevereiro faço a Maratona de Sevilha.
Parece bem no papel, não parece?

E é assim. 
Entretanto, amanhã de manhã temos na televisão as Maratonas feminina (8.05) e masculina (9.00) para o Europeu de Atletismo, oportunidade para aprender com os campeões. E aprender o quê? A velocidade que nunca deverei fazer caso contrário rebentaria em meia-dúzia de passadas!

Uma boa semana a todos e espero que para a próxima semana possa estar aqui a relatar outro longo, maior e desta vez com boas sensações.

10 comentários:

  1. Quem sabe não nos vamos encontrar em Sevilha... :p

    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eh lá! Temos revelação bombástica?!? :)

      Força Vítor, dificilmente encontrarás melhor Maratona para estreia!

      Um abraço e excelentes treinos!!! :)

      Excluir
  2. Parabéns João, pelo teu enorme espírito de sacrifício. Nestes treinos o sabor é doce e amargo mas tu nunca desistes. Foi tão bom poder fazer aquele último km contigo. E mais uma vez, obrigada por tudo. E adoro a tua decisão sobre Sevilha. Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Tânia e muita força para o grande objectivo!

      Beijinhos

      Excluir
  3. Si se puede! :D
    Tenho lido o blog numa app do telemóvel que não deixa fazer comentários, mas este post não podia ficar em branco!
    Força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Oriana! Sabes bem como é aquele público em Sevilha! :)

      Beijinhos e tudo de bom

      Excluir
  4. Os longos mais importantes são os feitos em dia não. Grande novidade, João! Vamos lá então varrer maratonas espanholas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendemos muitos com estes. E fica a germinar o espírito de vingança para o próximo :)

      Obrigado Filipe! Um abraço

      Excluir
  5. Ia começar por dizer que, de facto, os treinos nem sempre correm como queremos. Mas, mais uma vez, tu trocaste-lhes as voltas e fizeste mesmo os 24km! E sem dores :) Incrível!

    Fico muito feliz com a revelação de Sevilha! O teu raciocínio parece excelente no papel, e será também na prática, não tenho dúvidas! Com o teu foco e disciplina nos treinos, vais fazer duas grandes Maratonas :)

    Bons treinos e um beijinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Inês!
      Mas não consigo ficar contente com o treino pois as sensações não foram boas. Sábado será melhor para começar a aumentar a confiança.

      Se vou fazer duas grandes Maratonas? Sim, qualquer Maratona é grande :)

      Beijinhos e boa recuperação

      Excluir