terça-feira, 16 de junho de 2015

Estudo comparativo de participação feminina em provas. Portuguesas: Pouca quantidade, muita qualidade


O Wings for Life World Run é uma corrida global, com tiro de partida simultâneo em vários locais espalhados pelo mundo, e onde os atletas competem entre si pela maior distância percorrida, no inédito fim de não irem ter com a meta mas sim ser a meta a apanhá-los.

A intenção é colocar atletas de todo o mundo a correr, apoiando a organização que se dedica à cura da espinal medula.

Este ano teve a sua 2ª edição, com Portugal novamente incluído. Após a Comporta, foi a vez do Porto ser a cidade escolhida.

Sendo a mesma corrida em vários pontos do globo, permite uma comparação entre a participação, no caso vertente a feminina. 
Este é um estudo meramente indicativo, pois não é através duma única corrida que se podem tirar conclusões definitivas, mas proporciona uma ideia aproximada.

No Porto contabilizaram-se 916 participantes, dos quais 241 femininas, obtendo-se uma relação de 26,3%, boa para os nossos hábitos, que rondam habitualmente entre os 16 a 21%.

A evolução tem sido notória pois essa relação situava-se entre os 3 e os 6% há 10 anos atrás. Será no entanto boa comparando com os restantes países? Pois a resposta é um claro não!

Atente-se no quadro 1 com a relação de participação feminina nos 35 locais onde decorreu o Wings for Life e onde a prova portuguesa se posiciona em 34º e penúltimo lugar, sendo que em 7 locais participaram mais atletas femininas do que masculinos e em 23 dos 35 essa relação foi superior a 40%. Menos de 30% apenas os 26,3 de Portugal e os 19,9 da Índia.

Mas quanto valeram essas atletas? Pois fazendo a média da distância que alcançaram (*) estamos no pódio com a 3ª melhor média e a muito curta distância das duas primeiras! 

Em conclusão, podemos ter pouca quantidade mas temos muita qualidade!
Algo que, repito, não é um estudo exaustivo mas que vai de encontro ao que pensávamos

Quadro 1 - Percentagem de participação feminina

Lugar
País, Local
Total atletas
Total femininas
% femininas
1
E.U.América, Sunrise
1.289
738
57,3
2
E.U.América, Santa Clarita
1.611
882
54,7
3
África do Sul, Cidade do Cabo
1.041
550
52,8
4
Canadá, Cataratas do Niágara
540
284
52,6
5
Noruega, Stavanger
931
469
50,4
6
Austrália, Melbourne
2.125
1.069
50,3
7
Suiça, Olton
2.943
1.476
50,2
8
Croácia, Zadar
3.123
1.556
49,8
9
Taiwan, Yilan
3.614
1.751
48,5
10
Geórgia, Kakheti
2.795
1.351
48,3
11
Holanda, Breda
2.155
1.007
46,7
12
Eslovénia, Liubliana
1.901
865
45,5
13
Brasil, Brasília
3.155
1.412
44,8
14
Roménia, Bucareste
1.560
678
43,5
15
Eslováquia, Bratislava
1.968
843
42,8
16
Irlanda, Dublin
1.270
543
42,8
17
Alemanha, Munique
3.215
1.370
42,6
18
Suécia, Kalmar-Oeland
2.289
969
42,3
19
Áustria, Niederösterreich
6.390
2.660
41,6
20
Bélgica, Ieper
3.505
1.451
41,4
21
Rússia, Kolomna-Moscovo
1.130
466
41,2
22
Alemanha, Darmstadt
2.273
929
40,9
23
Dinamarca, Aarhus
1.151
462
40,1
24
Grã-Bretanha, Silverstone
1.201
469
39,1
25
Itália, Verona
2.477
916
37,0
26
Turquia, Alanya
1.153
423
36,7
27
Polónia, Poznan
2.836
996
35,1
28
Emirados, Dubai
559
194
34,7
29
Perú, Lima
1.036
339
32,7
30
Chile, Santiago
1.006
329
32,7
31
Espanha, Aranjuez-Madrid
1.276
411
32,2
32
Japão, Takashima
1.987
621
31,3
33
França, Rouen
1.723
518
30,1
34
Portugal, Porto
916
241
26,3
35
Índia, Gurgaon
542
108
19,9

Quadro 2 - Média de Km por atleta feminina (*)

Lugar
País, Local
Total femininas
Total Kms
Média p/atleta
1
Dinamarca, Aarhus
738
7.140,49
15,46
2
Noruega, Stavanger
882
7.238,93
15,43
3
Portugal, Porto
550
3.667,83
15,22
4
Eslovénia, Liubliana
284
12.722,32
14,71
5
Suécia, Kalmar-Oeland
469
14.188,14
14,64
6
Chile, Santiago
1.069
4.798,16
14,58
7
França, Rouen
1.476
7.303,94
14,10
8
Canadá, Cataratas do Niágara
1.556
3.919,48
13,80
9
Alemanha, Munique
1.751
18.819,76
13,74
10
Grã-Bretanha, Silverstone
1.351
6.426,93
13,70
11
Perú, Lima
1.007
4.643,52
13,70
12
Polónia, Poznan
865
13.550,48
13,60
13
Eslováquia, Bratislava
1.412
11.397,85
13,52
14
Itália, Verona
678
12.002,09
13,10
15
Alemanha, Darmstadt
843
12.047,86
12,97
16
Austrália, Melbourne
543
13.694,69
12,81
17
Irlanda, Dublin
1.370
6.904,62
12,72
18
Áustria, Niederösterreich
969
33.669,40
12,66
19
Bélgica, Ieper
2.660
18.152,21
12,51
20
Suiça, Olton
1.451
18.263,71
12,37
21
Espanha, Aranjuez-Madrid
466
5.005,37
12,18
22
Holanda, Breda
929
12.159,35
12,07
23
Japão, Takashima
462
7.280,09
11,72
24
África do Sul, Cidade do Cabo
469
6.324,38
11,50
25
Croácia, Zadar
916
17.395,61
11,18
26
Rússia, Kolomna-Moscovo
423
5.149,07
11,05
27
E.U.América, Sunrise
996
8.144,19
11,04
28
E.U.América, Santa Clarita
194
9.546,87
10,82
29
Roménia, Bucareste
339
7.219,75
10,65
30
Brasil, Brasília
329
14.980,52
10,61
31
Taiwan, Yilan
411
16.170,47
9,23
32
Índia, Gurgaon
621
951,45
8,81
33
Turquia, Alanya
518
3.313,65
7,83
34
Emirados, Dubai
241
1.500,74
7,74
35
Geórgia, Kakheti
108
7.208,40
5,34

(*) Esta prova não tem distância fixa. Os atletas partem e correm até serem apanhados pelo carro meta que arranca 30 minutos depois a uma determinada velocidade. 







14 comentários:

  1. Mais um excelente trabalho parabéns!
    Já uma reportagem televisiva sobre essa prova extremamente interessante pois dava uma perspectiva global da mesma.
    Não estivesse eu "reformado" e seria uma prova a fazer um dia! Gosto do conceito da meta a correr atrás de mim em vez de ser eu a correr para ela! Nuca uma meta correu atrás de mim pese embora já me tenha parecido ver alguns pórticos de meta a fugir mas isso é outra questão! :) Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também a quero fazer. O ano passado não deu e este ano foi no Porto, tal como será para o ano. Vamos ver.

      Pórticos a fugirem? Sim, já apanhei! :)

      Um abraço

      Excluir
    2. Olhe que há pórticos que fogem que se fartam! Além de outros que se vêm todos tremidos!

      Excluir
    3. O pior são aqueles que não se chegam a ver...

      Excluir
    4. Ahahahah... Essa dos pórticos a fugir!!! Onde é que eu já vi isso também! :)))
      João, parabéns pelo estudo. Fico satisfeita por saber que ganhamos em qualidade! Lá diz o ditado: poucas mas boas!!
      Beijinhos

      Excluir
    5. Confirma-se o que suspeitava. temos grandes atletas! :)

      Beijinhos, Anabela, e em força para Cortina!!!

      Excluir
  2. Também há os pórticos que brincam às escondidas... pensamos que estão num sítio e afinal não estão...é lá mais atrás! Danados para a brincadeira estes pórticos! :)

    Excelente estatística João!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há pórticos para tudo!!! :)

      Um abraço

      Excluir
  3. Interessante, mais uma vez :) ... obrigado João.
    Abraço

    P.S. Para o ano é novamente no Porto? Vamos lá ver se é desta ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É no Porto sim. Vamos a ver se consigo ir

      Um abraço

      Excluir
  4. Pouca mas boas :) interessante.

    Mas é mais um sinal de que a corrida está a ganhar adeptas em Portugal:)

    parabéns por mais um interessante trabalho.

    Abraço

    PS: se já tenho dificuldade com pórticos fixos, com volantes então...

    ResponderExcluir
  5. Sem duvida que é mesmo assim , tive pena de não participar nesta prova ganha por um amigo , Daniel pinheiro .Sim as mulheres estão em alta e dão uma cor fantastica ás corridas ....na hora do sofrimento temos sempre algo para sorrir...!abraço.

    ResponderExcluir