domingo, 6 de maio de 2018

Na Meia de Setúbal a gerir o possível

A equipa 4 ao Km presente: Eu, Vitor, Isa e Aurélio (que apenas fez a caminhada por estar a recuperar de lesão). Obrigado pela foto Jorge Robalo (ler curiosa história no final do artigo) 
E aqui com o amigo Pedro Burguette

Nem sei bem como começar o relato da corrida de hoje. Foi a minha corrida número 425 e a 57ª Meia-Maratona e posso dizer que, exceptuando as Maratonas que são um mundo à parte, foi a prova mais sofrida que alguma vez disputei.

Pegando no que se passou no 1º de Maio, como se devem recordar disse que mentalmente não estava bem em virtude duma preocupação. A razão da minha preocupação devia-se a um exame gástrico que ia fazer no dia seguinte (4ª) e que poderia dar resultados maus. 

Felizmente não se confirmou o cenário pior mas há aqui um problema a ter que ser resolvido. No fundo está relacionado com a hérnia do hiato (a tal culpada da Rock'n'Roll 2013) e com a libertação de ácidos que quando ocorre como que suga a energia, além de dar muito mau estar.

O menu para hoje era composto por uma barriga muito inchada, a vir demasiadas vezes a comida à boca (péssimo para correr!) e sem energia, muito menos para uma prova com a distância de 21.097 metros, para mais sendo num percurso tão duro como este.

Podia ser pior? Claro que podia! Por exemplo, estar muito calor. Pois... 30 graus chegam?

Fiz assim 21 quilómetros sempre com o espectro da desistência a bailar sobre a minha cabeça. O único trunfo que tinha era uma tremenda vontade em terminar.

Ao 2º Km (Obrigado pela foto Carlos Lopes)
Para tal, tive que batalhar muito comigo. E pensar sempre no próximo quilómetro. Estilo, passar aos 3 e pensar que o meu grande objectivo era chegar aos 4. Chegar aos 4 e redireccionar o grande objectivo para os 5, e por aí fora.

A coisa não estava fácil e o medo de como iria reagir na tremenda subida para a Arrábida, aumentava. Estava nos 7,5 km e, subitamente, deu-me uma enorme tontura. Tive que parar e chegar para o meio da estrada (para evitar bater com a cabeça no lancil do passeio, caso caísse). Nesse momento, assumi que a corrida tinha terminado. Por mais que me custasse, desistia! 

Andei 300 metros ainda no percurso da prova, porque o caminho ia passar junto onde estava o carro, perto da chegada, e notei que já não estava tonto. Experimentei dar uns passinhos de corrida e não senti mais tonturas. Decidi então continuar e logo ver como reagiria, mas com o tal espectro da desistência cada vez mais vivo. Tal como, em contraponto, a vontade de terminar.  

Vejam só o meu ar quando ia apenas com 10 km (Obrigado pela foto Fernanda Silva)
E deu-se o momento chave. Aos 10 quilómetros passa-se junto da chegada. Chegada onde tinha o carro ao pé. Ou ficava ali ou aventurava-me para a serra (que começava perto dos 11). Assumir que não estava em condições ou vencer a adversidade? Parar ou aventurar-me na serra?

Quem me conhece, sabe que não sou pessoa de desistir sem esgotar tudo. Então já deve ter percebido que continuei e meti-me na serra.

Muito difícil! Percurso tremendo, como já sabia de anteriores participações, sol tórrido de chapa, e a necessidade de gerir a coisa o melhor possível.

Sobrevivi à serra e saí da dita aos 17. Faltavam-me então 4 longos e penosos quilómetros. Em especial quando se passa aos 18 juntinho à meta e ainda temos que dar uma voltinha de 3 quilómetros.

Engraçado como 3 quilómetros tanto parecem um tirinho ou uma distância brutal, depende de como nos sentimos. 

Arrastar, gerir mas sempre seguir em frente. Até que cheguei à meta!

2.26.57 é dos piores tempos que já fiz (53º em 57) mas quem quer saber?!? Consegui cortar a meta e deu direito a beijar a medalha (coisa que reservo para Maratonas ou provas com records). Mas hoje foi muito difícil conseguir conquistá-la e foi um beijo bem merecido!

Pela primeira vez, deitei-me ao comprido no chão poucos metros após uma meta. Precisei mesmo disso.

Agora a próxima que estou inscrito é daqui a 2 semanas Alverca (onde sou totalista). Mas neste momento não faço planos. É ir vendo como isto vai evoluindo.

Não quero terminar sem  relatar um episódio curioso. Em 2016 tinha o carro no Parque 4 e quisemos tirar uma foto à equipa. Viemos até à saída do parque e como vimos que estavam ali uns atletas, pedimos a um se nos podia tirar a foto. Na altura ainda não o conhecia e recebi um comentário na crónica dessa prova onde ele informava que tinha sido quem tinha tirado a foto. Fui ver a classificação e espantei-me ao verificar que tinha sido Jorge Robalo, 3º classificado nesse dia e antigo campeão júnior de cross (e posterior vencedor desta Meia em 2017).

Ora hoje, o Vitor deixou o seu carro no Parque 4 (o meu ficou junto à meta) e como queríamos tirar uma foto de equipa, viemos até à porta de entrada do parque e quando nos preparávamos para tirar uma selfie, ouvimos alguém dizer "Essa foto tiro eu! Isto é um dejá vu!". Pois estava no mesmo local o mesmo Jorge Robalo, sendo dele a foto que encima este artigo. Ele há coincidências bem giras.

Uma boa semana a todos!


    

30 comentários:

  1. Parabéns!! Foi sofrida, ontem o calor não esteve para brincadeiras.
    Vemos nos em Alverca!!
    **

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado ET!
      Sim, espero (finalmente) conhecer-te em Alverca. Peço-te para quando me vires, falares para ficar a saber quem é a ET :)
      Beijinhos

      Excluir
  2. Essas coincidências :):):) ... bem, o que dizer da tua prova. Grande força de vontade João, com essas contrariedades todas e continuar mesmo assim é mesmo à João Lima. Parabéns por mais uma (bem sofrida e merecida) e vê se te pões mas é bom. Tudo a correr pelo melhor. Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Carlos!
      Vou ver se consigo pôr melhor...
      Grande abraço

      Excluir
  3. eheh Muito gira, a história. Meia do caraças, João. Ir lá ao fundo do saco não é fácil. Um abraço e força para os tempos próximos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Filipe!

      Um abraço e espero que a tua recuperação esteja a ser boa

      Excluir
  4. Depois de tudo o que passas-te, teres conseguido acabar, não é para todos, é preciso fibra de campeão!
    Força João e espero que ultrapasses esses problemas depressa.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tiago! Espero que sim...

      Um abraço e continuação de boas corridas e bons treinos

      Excluir
  5. Parabéns João. Mais uma. Há coisas que só mesmo quem corre faz ideia do que sentimos... o comentário dos 3km é algo aterrador, muitas vezes corro 3km e me questiono como é que alguma vez na vida consigo correr os 21... enfim. E muita força, que esse problema vá correr pra longe bem depressa. Queremos o nosso João sem preocupações :) Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Tânia! :)

      Beijinhos e boas corridas

      Excluir
  6. Parabéns João!
    É preciso ter muito arcabouço para fazer o que fizeste!
    És um excelente exemplo de resistência mental!
    Beijinhos, boa recuperação e boas corridas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sofia!
      Há dias que se consegue ter a tal resistência. Outros nem por isso.

      Beijinhos e boas corridas :)

      Excluir
  7. Deste tudo e ainda foste buscar mais um pouco!

    Fibra, João, muita fibra e força de vontade.

    E já me fizeste sorrir com a história da fotografia, coincidências da vida.

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Olá.

    Estás de parabéns, apesar de todas as adversidades, conseguiste vencer tudo, até o espírito negativo que não te largava e estava parte é a mais difícil. ;)

    Boa prova para Alverca.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lígia e muito obrigado!
      O espírito negativo foi só no 1º de Maio pois estava preocupado com o que o exame fosse dar.

      Beijinhos e boas corridas :)

      Excluir
  9. João é de ferro!
    Pois é.
    Quando as pernas não dão, corremos com o coração, não é?
    Só quem corre é que sabe o que são 3 km .. infinitos
    Grande campeão!
    Abraço
    MIKE
    Happyrun

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mike!

      Quando se quer muito uma coisa lá se arranja forma :)

      Um abraço e boas corridas!

      Excluir
  10. João parabéns pela prova de superação , só para verdadeiros campeões !!!Os dias não todos iguais eu que o diga .Estou com uma fome tremenda de voltar ás provas , mas até lá tenho um grande percurso de recuperação a percorrer.Olha mais uma e já me apanhas ...tenho 58!!!Um grande e forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Joaquim e força para esse tão ansiado regresso!

      Grande abraço

      Excluir
  11. boas João, grande tareia que levámos.
    calor e subidas = empeno dos grandes
    custei a acabar a prova os últimos kms depois de entrar já em Setúbal e andar ali ás voltas do pórtico íam acabando comigo. valeu a magnifica manha que passamos todos juntos e o dia esplenderoso de sol . pro ano lá estaremos para repetir a escrita ;) abraço e boas provas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo. Resumiste na perfeição!
      E claro que lá estaremos :)

      Um abraço e força para os 3 dígitos :)

      Excluir
    2. Obrigado João
      lá estarei na linha de partida com vontade, mas sabes que em distancias dessas tudo pode acontecer, mas vamos com optimismo. para o ano lanço-te o desafio e vou ctg. abraço

      Excluir
    3. Agradeço-te muito mas não tenho jeito para trails :)

      Força! Estou contigo

      Excluir
  12. Boas. Fizemos uma boa parte da prova próximos.
    Fiz a minha estreia na meia-maratona neste domngod e . . . Tentei não desistir. Consegui!
    Tinha treinado com perspectiva de um tempo na casa do 1:50. Cheguei nas 2:29!!! Comecei a subida para a arrabida e logo surgiram as inesperadas cãibras. A partir dai foi sofrer ate ao fim.
    Hei-de voltar para "vingar" esta estreia.
    Boas corridas! Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos parabéns pela estreia em Meia!
      Uma estreia num percurso muito difícil e num dia quente.
      A minha estreia há 11 anos foi em 2.31 e já tenho 1.51
      Força para as próximas!!!
      Um abraço e boas corridas

      Excluir
  13. Que grande sofrimento João e logo numa meia tão dura. Tiveste mesmo de ir buscar todas as forças ao fundo do baú...

    Eu lembro-me de teres falado do problema, aqui no blog, há uns tempos atrás mas pensei que tivesse desaparecido e que estivesse adormecido para não voltar.

    É bom que que não seja algo mais grave, claro, mas já agora que a solução também não implique 'ir à faca'. Que para paragens já bastaram a dos olhos.

    Um abraço e as melhoras!
    Ricardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Ricardo!

      Pois se há faca ou não, só daqui a pouco mais dum mês saberei (depende duns resultados que demoram)

      Um abraço e boas corridas

      Excluir
  14. Pronto João, agora sim percebi o que querias dizer no outro artigo :)

    Imagino o que terá sido o sofrimento no domingo... Se eu em Lousa já foi o que foi, na Arrábida nem quero pensar!

    As melhoras João e força! Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Vítor!

      Um abraço e boas corridas

      Excluir