domingo, 5 de março de 2017

Nas Lezírias (travado pela lama)

Em plena Ponte (Foto Fernanda Silva)

Duas semanas após a Maratona de Sevilha, regressei à competição mas para uma corrida, supostamente, calma em ritmo de treino. Daqui a mais duas semanas, na Meia da Ponte que será a minha 50ª Meia, aí já será para ir num ritmo mais vivo.

A ideia era rondar o ritmo de 6.00 o que daria um tempo à volta de 1.33 (já que a prova tem 15.500 metros). Acabei em 1.28.52 o que indicia que fui um bocado mais rápido do que o idealizado mas o tempo não conta toda a história, longe disso.

Parti com o colega de equipa Aurélio. Éramos 4, além do Aurélio estava o Luís e o aniversariante Eberhard.

Até à Ponte de Vila Franca, mantive-me no ritmo pretendido. Na subida impus um ritmo melhor e senti-me bem, Quando dei por mim corria a um ritmo na casa dos 5.20 e a sentir-me confortável e sem grande esforço. Decidi então manter.

E assim fui até passar o oitavo quilómetro. Nessa altura o tempo estimado era uns não pensados (para a intenção da prova) 1.23/1.24 mas como sentia-me bem, tudo bem. E aconteceu o imprevisto.

A ir para a meta (Foto Marta Feio)
Nas últimas edições que estive presente, o regresso era pelo mesmo caminho da ida, que é em terra batida e que apenas ganha umas poças com a chuva. Este ano o regresso foi junto ao rio e aí o piso é diferente. E quando dei por mim, tinha um mar de lama em frente e a toda a largura do caminho. Com uns sapatos de estrada, não dava para arriscar, a menos que quisesse cair. Não me restou outra solução que andar nesses bocados e a tentar equilibrar-me. 

Foram cerca de mil e quinhentos metros nesse estado, onde andei mais do que corri. Quando pude retomar o andamento, tinha perdido 4 minutos em relação à média que vinha efectuando. E claro que, após essa paragem no ritmo, já não consegui retomar os 5.20 por km mas sim 5.30, o que perfez na meta os tais 1.28.52, muito melhor do que esperava, mas podendo a história ser outra sem aquele contratempo.

Sempre contente e feliz por correr (Foto Marta Feio)
Uma coisa é certa, e ainda na 3ª feira após o treino de homenagem à Analice escrevi isso. Nem todos somos iguais e a verdade é que não tenho jeito algum nem equilíbrio para este tipo de piso. Além de me deixar algumas mazelas, nomeadamente a nível de joelhos.

Como sempre, apreciei muito o ambiente e organização desta prova, uma corrida à antiga em tudo o que se possa extrair de positivo nesta afirmação. 
Foi a minha 8ª presença. Entre 2007 e 2014 apenas falhei 2009 pela fractura do pé esquerdo. Nos últimos dois anos a ausência deveu-se à preparação para as Maratonas de Paris e Barcelona. 
Gostei muito de regressar mas à saída fiz uma espécie de despedida. Estou a 3 anos dos 60, quero correr muitos e bons anos e para isso tenho que me preocupar com pisos que não me causem maleitas, como é o caso do que apanhamos nas Lezírias.



E ainda regressando à Maratona de Sevilha, como se devem recordar, dediquei-a aos meus "sobrinhos" Filipa e Tomás. Pois, e com a devida autorização dos pais, aqui está uma fotografia com a medalha e com os dois, ambos com um babete que afirma "Futuro Maratonista" (como está em espanhol diz maratoniano)


29 comentários:

  1. Na lama é que é bom!
    Mas gosto mesmo é da foto dos "rebentos"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só podias ser tu! :)
      Um abraço

      Excluir
    2. Adivinhem quem sou eu e ganham um prémio assim que me sair o euro melões!

      Excluir
    3. Deduzo que eu não posso concorrer... :)

      Excluir
  2. Mais um belíssimo relato de uma prova .Estou de acordo contigo ,por isso não faço tral..quero correr mais anos e os percursos acidentados dão- me cabo dos joelhos..ó pá que coisas lindas tens nos teus braços!!! Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos assim, não dá para nós :)
      Um abraço

      Excluir
  3. Junta-lhe mais um que não aprecia o trail. E eu estou a meio dos trintas ainda. :)
    É curioso que eu participei este ano pela terceira vez consecutiva e na ida para Vila Franca já vinha a avisar os meus companheiros que nunca tinham feito a prova que no regresso íamos apanhar lama. Em 2015 e 2016 o percurso já foi este.
    Abraço e felicidades aos futuros maratonistas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu aprecio o trail. Não dá é para mim pois não tenho jeitinho algum :)
      Um abraço

      Excluir
  4. Olha o João metido nos trails :):):) ... quem diria hein? Hehehehe.
    Estou curioso para ver o que vai sair dessa meia que aí vem ;)
    E adoro a última foto, 1 membro de pleno direito e dois futuros membros do clube de Maratonistas.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos ver o que sai. Apesar de ser um percurso propício para a maior parte dos atletas, para mim nunca o foi. Em 7 presenças, o meu melhor tempo na Ponte está em 23º entre 49. E dos 4 piores, 3 foram ali. Já é tempo de fazer um tempo jeitoso na Ponte :)

      Um abraço

      Excluir
    2. Curioso, o meu pior tempo na Meia também é naquela Ponte!

      Excluir
  5. Não achei gostei mesmo da atitude da organização em manter o percurso sabendo que estava naquelas condições. Embora tenha continuado a correr, foi mesmo muito desgastante e perigoso correr naquela lama, ainda agora os meus adutores se estão a queixar das constantes escorregadelas que dei naquele piso.

    Tal como já disseram, o ano passado o percurso já foi este mas estava em bem melhor estado.

    De qualquer forma, boa prova João! Vemos-nos na Meia da Ponte :)

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos parabéns Vitor por mais um fantástico resultado!
      E nem imagino o que terá sido a lama para quem ia a voar baixinho...

      Um abraço

      Excluir
  6. Foi uma prova animada, com essa componente de patinagem artística :) Também ia com um bom ritmo (não tão bom como o teu), mas a parte da lama obrigou-me a também ir a caminhar e estragou-me a média. Ainda assim, fiz menos 3 minutos do que no ano passado, o que para mim foi óptimo, tendo em conta as condições :)

    Parabéns por mais uma prova!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos parabéns pela marca! Mesmo com a componente lama, tirares 3 minutos é excelente :)
      E conseguimos nunca cair, o que foi uma vitória :)

      Beijinhos e boas corridas

      ps - Se me vires nalguma prova, fala para saber quem és :)

      Excluir
    2. Sim, o não cair só por si, já foi uma vitória :)

      Eu vi-te nesta, confesso. Mas fico combinado para a próxima (ainda que na meia não seja fácil!) :)

      Excluir
    3. Na Meia é quase encontrar uma agulha num palheiro :) Mas quem sabe?
      Boa Meia!

      Excluir
  7. Gostei da prova: animada, muita gente, percurso interessante... Para mim, a repetir.
    Na lama estive bem: levava ténis de trail e a coisa correu bem, até deu para correr. Mas compreendo que para quem levava ténis de estrada era impensável arriscar ali.

    Beijinho grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu até cheguei, mesmo a andar, a fazer patinagem artística, eh eh eh

      Gostei de te ver e saber que gostaste :)

      Beijinhos e até uma próxima

      Excluir
  8. Tendo em conta as dificuldades nesse km e meio ainda te safaste super bem! E poderia ter sido ainda melhor! :)

    Venha a tua 50ªmeia!!!

    Beijinhos
    p.s. Eu bem disse no treino de 5ªfeira que no domingo íamos todos fazer um grande treino/prova ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já devia saber que quando dizes uma coisa... :)

      Beijinhos e força para daqui a 48 dias!

      Excluir
  9. Foi pena a parte da lama, mas não impediu de fazeres uma grande prova!
    Parabéns!

    Muito bonita a foto com os "sobrinhos":)

    Abraço

    ResponderExcluir
  10. A foto com os "sobrinhos"... <3 Aqueles babetes, tão fofos!!!
    Já eu gosto muito de "chafurdar" na lama :) mas entendo perfeitamente a tua perspectiva, sobretudo quando o calçado não é o mais indicado. Acabou por ser um prova um bocadinho "híbrida".
    Parabéns pela prova!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Nem todos podemos ter o mesmo jeito para tudo :)

      Beijinhos

      Excluir
  11. A foto do João com os seus sobrinhos bebés é qualquer coisa!!! para mais tarde recordar! e quanto à prova... diria que faz jus ao nome, era de esperar lama numa corrida das Lezírias, apesar de compreender perfeitamente o João! enquanto o João corria e patinava nas Lezírias, eu deixei-me vencer pela preguiça para ver na rtp2 o camp. nacional de corta-mato, onde também havia lama até ao pescoço!
    E que dizer das 50 meias-maratonas que se aproximam? Fantástico!!! Vai para o Hall of Fame dos maratonistas, um feito que também eu gostaria de conseguir... só me faltam 46 :)
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado António Rocha!
      Quando deres por isso, já chegaste às 50 Meias e provavelmente antes da idade com que me estreei em Meias (a dias de fazer 47, há 10 anos atrás).
      Um abraço e força!

      Excluir
  12. Parabens Joao.
    Nada como tomar as decisões certas. :)
    Que bela foto essa ultima. :)

    Eu já fiz essa prova 2 vezes há mais de 10 anos ou parecido.
    Na primeira vez que foi ainda corríamos ao lado do tejo e de uma quinta com cavalos...mas nesse ano , a coisa podia ter corrido tão mal, visto que o nível de agua do tejo estava tão alto que foi um milagre não ter acontecido uma tragédia.
    No outro ano era um percurso diferente, ir e vir por um estradão no meio de uns campos de milho....muito triste o percurso.
    Não sei como está agora , mas a prova perdeu a sua "essência", pelo menos para mim. Talvez um dia volte ás lezirias para matar saudades.
    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Artur!

      Sim, os dois primeiros anos que a fiz, foram por esse lado. Mais perigoso mas mais bonito.

      Um abraço e boas corridas em crescendo :)

      Excluir