quarta-feira, 30 de julho de 2014

Há momentos assim

Correr não é algo garantido. Somos compostos de emoções e por uma miríade de componentes químicos que nos influenciam, de forma por vezes inesperada, nos nossos esforços. E tudo sempre sempre regulado pela mente.

Esta introdução vem a propósito do treino de ontem, aquele que, se a memória não me falha, terá sido o mais curto em 9 anos de corridas.

Estava estipulado correr 10 quilómetros ao final da tarde. Cheguei a casa um pouco cansado mentalmente mas nada que não me tivesse já sucedido vezes sem conta, originando muitas delas grandes treinos que limpam a cabeça com mais vigor que uma máquina de alta pressão. 

Equipei-me, saí, comecei a andar mais vigorosamente para aquecer e notei falta de força anímica. Isto já passa, pensei. Comecei a correr e de imediato senti os gémeos como se fossem uma tábua, os joelhos a parecerem daquelas dobradiças desesperadas por óleo, e sem a mínima força para a cabeça pôr tudo no seu devido sítio e fazer um bom treino.

De repente, parei. O relógio marcava 480 metros (para quem pensa que posso ter cometido aqui alguma gafe, digo por extenso para não terem qualquer dúvida, quatrocentos e oitenta metros!). Incrédulo, andei 60 metros e ordenei-me recomeçar a correr, mas foram apenas 120 metros mais. Parei e desliguei o relógio. Marcava 666 metros desde o início, um bom número para os "teorias da conspiração". Concluí que não dava e o melhor seria levantar-me hoje cedinho para realizar o que tinha ficado por fazer.

Eram 6.10 da manhã, estava o sol a nascer, arranquei no Passeio Marítimo para o treino adiado de véspera.
Gémeos perfeitos, joelhos impecáveis, cabeça no sítio, bom ritmo para treino (marquei 58.27 aos 10 kms) e muito prazer de corrida. Em conclusão, o oposto da véspera. Há momentos assim que não temos explicação e que reforçam a teoria que costumo dizer que as corridas são como os melões que apenas depois de abertos se vê como são.  

E não se pense que isto acontece apenas connosco atletas amadores! Para quem não sabe, Vanderlei Lima é um maratonista brasileiro que liderava isolado, já na casa dos 30 kms, a Maratona Olímpica em Atenas 2004 quando foi agarrado por um louco ex-padre irlandês. Quando se libertou, tinha perdido o ritmo e foi passado por dois atletas, conquistando mesmo assim a medalha de bronze. Refira-se que o tal ex-padre, Cornelius Horan de seu nome, já tinha mostrado a sua loucura quando no Grande Prémio da Grã-Bretanha em Formula 1 do ano anterior, invadiu a pista em plena corrida, com um cartaz a dizer "Leia a bíblia, está sempre certa", não tendo sido atropelado pelos bólides a 300 à hora por muita sorte. A corrida foi neutralizada e ele placado pelos comissários de pista. 
Mas regressando ao Vanderlei Lima, li uma vez uma entrevista onde contava que na sua preparação para uma Maratona, estava em excelente forma e os treinos bi-diários a correrem-lhe de feição. Eis senão quando um dia vai treinar de manhã e pura e simplesmente não conseguia correr, sem saber porquê. Regressou muito preocupado e foi com apreensão que foi treinar à tarde. Saiu-lhe um dos melhores treinos que tinha feito.

Como explicar este tipo de fenómenos a quem não corre? Não é fácil, em especial por nós próprios não termos explicação.
É por isso que acho curiosas as críticas que se fazem a alguns atletas que são favoritos nalgumas provas, estão em bom momento e nesse dia a coisa não correu de feição. Só quem já passou pelo mesmo sabe dar o devido valor e entendimento.

Correr é natural e uma das melhores heranças dos nossos antepassados pré-históricos. Mas manter a corrida e uma forma regular e constante... hum... não é nada fácil. Mas se o fosse, não teria a piada e o condimento que tem, nem seria o mesmo!

28 comentários:

  1. É isso, João, Já me tem acontecido o mesmo : saio de casa a pensar ir fazer um treino longo, começo a correr devagar e...nunca mais vem o gosto pela corrida. Sinto-me a fazer um frete! Ah ele é isso!? Casa!!!
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E há a compensação com aquelas vezes que não damos nada de nada e saí uma coisa extraordinária! :)

      Um abraço

      Excluir
  2. Tenho um bocado de medo de tornar isto aqui publico mas enfim...
    Como sabes (sabem) não sou muito de falar nos treinos no blogue (com excepções é claro).
    Sem me querer armar e bom (coitado de mim modesto corredor de pelotão) do que me lembro desta já longa ligação com a corrida muito, mas mesmo muito, raramente não fiz o que me propunha num treino e nunca encurtei um treino longo.
    Claro que já reduzi drasticamente treinos mas isso foi por lesão, com há alturas em que vou correr sem tempo predefinido mas, normalmente, se penso ir fazer 50 minutos (por exemplo) é mesmo 50 minutos.
    Se calhar isto também se deve ao facto de ser muito cauteloso com a planificação do treino e adaptar o mesmo a como me sinto.
    Claro que fruto desta teimosia em cumprir o que estipulei já fiz muitos treinos a sofrer a bom sofrer mas isso é que faz o corredor de fundo!
    Mas se não encurto o treinos as vezes aumento-os por me sentir tão bem, e nesse caso reduzo a sessão do dia seguinte.
    Outro facto curioso é que raramente vou para um treino com vontade e disposição para o fazer mas tudo acaba por correr bem. Já se parto para o treino com imensa vontade de correr então, invariavelmente, o treino é um desastre!
    Um abraço campeão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um de nós é um caso :)

      Um abraço

      Excluir
  3. Gostei :)

    Muito bom amigo, fiquei contente com o que fizeste hoje de manhã.

    Sabes que eu sou apologista que quando o nosso corpo não quer ou não consegue... não devemos forçar mais no treino... porque pouco depois vai sair de forma natural e em prazer...

    Como diz o Paulo Gonzo - "...dá-me um tempo, dá-me um espaço, deixa-me ter um momento de cansaço..." :)

    Força amigo... Boa continuação

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. É como dizes João, há momento assim.
    Também sou da opinião que quando não dá, mais vale não forçar.
    E assim acabaste por fazer um treino ainda melhor do que tinhas planeado inicialmente :)

    Parabéns pelo excelente treino! Grande ritmo médio para um simples treino de 10 km.

    Beijinhos e continuação de boas corridas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo de hoje também foi ajudado pelo facto de ainda não estar calor àquela hora e vinha um cherinho a maresia que me inspirou :)

      Beijinhos e boa continuação também para ti, amiga

      Excluir
  5. Sabes que a mim também sempre me irritou as criticas que se fazem aos atletas quando não correspondem exactamente às expectativas. Como se o ser humano fosse uma máquina que a partir do momento em que consegue correr a X velocidade é só carregar no botão e voltamos lá num instante! Compreendo perfeitamente a tua frustração nesse treino, e já passei por isso várias vezes! Com mais ou menos quilometros, todos já experimentámos isso. Assim como aqueles treinos perfeitos no final de um dia horrivel de trabalho.

    Ah, não conhecia essa historia do brasileiro! eheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que as pessoas estão cada vez mais opiniosas (e estúpidas!), daí comentários de quem está a cantar de galo...

      Um abraço, Filipe

      Excluir
  6. Ainda ontem me aconteceu algo parecido, quebrei completamente na corrida por estupidez minha, fui correr com cerca de 30 graus e esqueci-me de algo tão simples como levar uma garrafa de água, resumindo, quebrei mesmo! O calor ontem venceu! Há dias assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ontem nem me posso queixar do calor pois quebrei antes sequer de ter começado! :)

      Um abraço

      Excluir
  7. Gostei muito deste texto, pois acontece a todos (felizmente acontece-me muito raramente)...já fiz um treininho assim curtinho, mas acho que o teu foi mais curto...ganhas-te :)
    Olha...eu andava tão malandro, sem vontade nenhuma que estive 5 dias sem correr (CINCO)....ontem à noite era para ter ido e não fui, e hoje, tal como tu levantei-me cedo e fui fazer 10km, que começaram em sofrimento e acabaram em beleza...queres saber uma coisa...ganhaste-me novamente :)
    Aquele abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Referes que eu ganho-te, que eu ganho-te mas se formos fazer uma corrida, quando eu chegar já tu estás de banho tomado e fizeste a sesta, eh eh :)

      Um abraço

      ps - Seu calão! Disseste 5 dias?!? :)

      Excluir
    2. Sim....CINCO....nem eu acredito :) ...ahh...e já recuperei os 3 "kilitos" que tinha deixado pelas serras de Cinfães :)

      Excluir
    3. Estou a ver que a comida polaca é boa! :)

      Excluir
  8. Coincidência ou não... Ontem aconteceu-me o mesmo. Tinha de fazer um treino de 60 minutos de forte intensidade. Se a memória não me atraiçoa foi o treino mais lento que fiz até hoje e durante apenas 27 minutos.
    Não encontrei explicação. cheguei a casa danada e triste.
    Nem sequer alonguei. Terminei a corrida, pouco suada com a certeza que ontem não era o dia...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pronto, está descoberta a questão. Foram os raios que estavam no ar! :)

      Muita força para ti!
      Beijinhos

      Excluir
  9. Bem João ao ler este post até pensei que estava a ler o meu pensamento ...tantas foram as vezes que já passei por isto .De facto como dizes é difícil explicar a quem não corre estas situações mas é tudo verdade seja em atletas amadores como é o nosso caso ou em profissionais , os dias não são todos iguais.Mais uma vez deste um excelente contributo apara os que têm menos paciência e não tentam uma ..segunda vez.Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passar por dificuldades, já várias (muitas) vezes, mas parar ao fim de pouco mais de 600 metros e não conseguir correr mais, foi inédito, que me lembre.

      Um abraço e boas corridas, Joaquim

      Excluir
  10. Fizeste bem João, quando o corpo não quer é melhor não forçar.
    E no dia seguinte já foi tudo diferente.
    Já me aconteceu várias vezes, e vai de certeza voltar a acontecer.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois, tal como já disse, a mim também mas nunca em tão poucos metros!
      Mas hoje compensei e bem :)

      Um abraço e força nessa preparação :)

      Excluir
  11. Compreendo perfeitamente! Quem nunca teve treinos destes?? Só mesmo quem não corre é que não passa por eles. É um bocadinho desmotivante quando acontecem, confesso... Mas depois há sempre os "excelentes" para compensar. :)
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o efeito decepção/compensação :)

      Beijinhos

      Excluir
  12. Há e só quem fica em casa é que nunca, de uma maneira ou de outra, lhe aconteceu.
    Mas o bom é que em situação normal, é apenas uma vez.
    E no dia seguinte...:)
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No dia seguinte... Tão bom! :)

      Um abraço

      Excluir
  13. Quem já não teve um treino assim que atire a primeira pedra.
    Há dias em que não, e a unica coisa que podemos fazer é regressar no dia seguinte... foi o que fizeste e bem. :)
    E correu bem.
    Há dias em que nem devemos sair da cama amigo :D

    Um grande beijinho :)

    ResponderExcluir