terça-feira, 17 de setembro de 2013

Números e estatística do Tejo


Há provas e provas e há aquelas marcantes no calendário. É o caso vertente da Corrida do Tejo. Tendo-se iniciado em 1981, englobada no então inovador Troféu das Localidades de Oeiras, ganhou asas e tornou-se na prova portuguesa com maior número de atletas classificados.

O ano passado foi o último da parceria com a Nike, que vinha desde 2005, mas em nada se notou essa falta, no que à corrida propriamente dita se refere.

Poderá não ter havido ecran gigante na zona da partida, com um locutor conhecido da televisão a animar e guitarristas a voarem sobre os atletas, mas isso são elementos que, apesar de agradáveis para os atletas em geral, são dispensáveis. A corrida em si, sua segurança, abastecimentos e excelência do percurso é que são o fundamental e isso esteve lá tudo e bem, como de costume. E até melhorado com uma bonita medalha que substituiu o magneto do ano passado.

Tendo a primeira edição sido disputada em 1981 no dia de Oeiras, 7 de Junho, desde então todas as edições marcaram presença em Outubro. Este ano antecipou-se para o meio de Setembro, sendo assim a primeira realizada no (ainda) verão e se poderia haver dúvidas quanto à habitual presença maciça, foi dissipada com a notícia que as inscrições tinham esgotado, mesmo depois de alargadas a 10.500.

Estavam assim reunidas as condições para um provável novo record nacional de classificados numa prova, 9.346 em 2011, mas aqui deu-se o caso enigmático pois foram 7.951 que cortaram a meta.

É (tristementente) conhecido o facto das provas gratuitas terem uma quebra forte entre os inscritos e participantes, mas numa prova cara como esta, é de estranhar que cerca de 2 milhares e meio tenham efectuado a inscrição e depois não comparecido.

Assim, esta participação ficou abaixo dos últimos 5 anos, mesmo sendo muito alta para os nossos padrões.



A nível competitivo, dois novos vencedores. Sérgio Silva do Sporting, ao cortar a meta em 30.46, tornou-se no 27º vencedor masculino duma lista liderada por Rui Silva, vencedor por 4 vezes.
Sérgio Silva foi acompanhado no pódio pelo seu colega Luís Pinto a 35 segundos e João Vieira do Gabinete de Fisioterapia no Desporto com mais 1 segundo.

Em termos femininos, Cláudia Pereira, desta vez a representar o Gabinete de Fisioterapia no Desporto, venceu em 35.20, sendo a 17ª vencedora duma relação encabeçada por Lucília Soares (6 triunfos), Rita Borralho (5), Jéssica Augusto e Sandra Teixeira (4). 
E foi a mesma Sandra Teixeira do Sporting que ficou no 2º posto a 11 segundos da vencedora, com Ercília Machado em 3º a 1.59

Como curiosidade, a soma total de participação de todas as 33 edições é de 110.532 atletas, cuja sua quilometragem total nesta prova dá qualquer coisa como 1.143.454,6 kms (cerca de 28 voltas e meia ao mundo!)





20 comentários:

  1. Afinal não é necessário todo o grande investimento da Nike para que a Corrida do Tejo continue com a força de sempre.
    Pessoalmente saúdo o regresso da prova para as mãos da Câmara Municipal de Oeiras porque não vejo com bons olhos a entrega (ou melhor venda) de uma prova de cariz autárquico a uma grande multinacional.
    Claro que nesta prova houve grandes proporcionadores (e assim tem que ser) mas a prova é da Câmara Municipal de Oeiras.
    Também sempre me cheirou a "esturro" o negocio entre a Nike e Câmara mas por mais que tenha tentado investigar isso não cheguei a conclusões nenhumas e esta dificuldade em em concluir seja o for para mim já me deixa de pé atrás...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também prefiro que pertença à câmara!

      Um abraço

      Excluir
  2. Olá João! Será que sabe quais os números de participação femininos e masculinos?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 5.780 masculinos e 2.161 femininos (27,2%)

      Excluir
  3. Olá João.
    De facto estranho muito os numeros de pessoas no final. Até porque conheço pelo menos 3 pessoas que fizeram a prova e nao aparecem nos resultados. Será erros dos chips? Será que ainda vai corrigir?
    Abraços e continuação de boa preparação para a Maratona, Lá estarei.
    RPA

    ResponderExcluir
  4. Não há como o João Lima para nos deixar a todos informados.
    É por isto (e muito mais) que adoro o teu blogue. Relatas as tuas provas, mas também fazes uma óptima reportagem sobre as provas com historial, vencedores, número de participantes e muito mais.
    Melhor "repórter" que muitos que andam por aí.
    Beijinhos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas tuas palavras. Tento fazer o meu melhor.

      Beijinhos :)

      Excluir
  5. Tu és uma maquina....a correr e a informar a malta. Só falta dizer que, para ti esta foi a XXXX prova - quantas são já? Duzentas e sessenta e...?
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. xiiiiii....é o que digo...vais passar as 500 :)

      Excluir
    2. Basta poder continuar a correr durante muitos e bons anos! :)

      Excluir
  6. Concordo com a Isa. Sempre a manter o pessoal informado :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Power Puff e boas corridas :)

      Excluir
    2. Olá João bom dia.

      Li o seu comentário, e também esteja abismado com a diferença do n.º de inscrições e o n.º de chegados. Também gosto muito da Corrida do Tejo e só por 2 ou 3 vezes é que não participei, mas também acho que houve algumas falhas. Começando pelo pagamento do transporte (extra este ano).
      Quem pagou a inscrição de valor mais baixo como foi o meu caso ficou-me 10,20 € mais o bilhete 1,20€ ficou num total de 11,40 € valor mais baixo da prova; para quem pagou os valores ainda mais caros da inscrição mais razão terão de queixa. Prémios; Camisola é bonita, mas não justifica o preço, medalha é das mais pequeninas que deram até hoje. 1 maçã que por sinal a minha estava toda pisada não a consegui comer, água; 1 garrafa de água aos + ou -4 km, 1 garrafa aos 7 km e 1 no final. Considerando todos estes procedimentos talvez esteja aqui parte da ausência dos atletas.
      Como disse gostei muito até esta ultima prova da Corrida do Tejo, no entanto pró ano vou ponderar a minha inscrição Porque com 11,40 € mais a gasolina e desgaste do automóvel até Oeiras, pego na família e vou para outro lado,e para ali fui sozinho.
      Também segundo criticas de outros colegas da corrida houve falta de água para alguns atletas, eu felizmente não tive esse problema.

      Excluir
    3. Olá Mário

      O pagamento do transporte é alheio à organização.

      E atenção, quando pagamos uma inscrição, não estamos a pagar camisolas, medalhas ou maçãs, estamos a pagar os custos inerentes a uma corrida, nomeadamente:
      - Policiamento
      - Autorizações de fecho de estrada
      - Taxa de ocupação de espaço
      - Taxa de ruído
      - IVA a 23% incluído
      - Etc, etc

      Boas corridas

      Excluir
    4. Olá João.

      Estou de acordo com parte das coisas que o João menciona atrás.

      Nos transportes não estou de acordo.

      Na Maçã, não por aí que deixo de participar.

      Quanto á camisola e medalha já tenho uma opinião diferente. Há 16 anos que colecciono as medalhas e camisolas que recebo das minhas participações nas provas, e tenho gosto nelas,e quando as visto ao fim de algumas lavagens ficarem sem jeito nenhum; é assim, se são oferta, aceito. Se tenho de pagar e como aconteceu na Corrida do Tejo já fico mais indisposto.
      Sei também que colocar em movimento uma prova como a Corrida do Tejo da´muita dor de cabeça aos responsáveis, mas nós que acabamos por ser os bobos da festa não podemos ficar indiferentes a certas coisas menos boas que se passam.

      Um Abraço

      E bons treinos para a maratona.

      Excluir
    5. Olá Mário

      É uma opinião mas não posso concordar com sermos vistos como bobos da corte. As organizações, e há algumas que são fruto de muita carolice, existem para nós corrermos e precisam de nós como nós precisamos delas.

      Um abraço e boas corridas

      Excluir
  7. A corrida do Tejo foi a minha 2ª prova, nos idos tempos de 2006. Desde então apenas faltei 2 anos (2010 - por outros compromissos e 2012 por causa de uma lesão nas costas - hérnia discal).

    Este ano regressei a esta corrida e consegui o meu melhor tempo, tendo ficado a 20'' do meu record pessoal, ainda que seja uma prova muito concorrida.

    Claro que o número de atletas traz algumas desvantagens, mas continuo a nutrir um sentimento especial pela prova, e por toda a sua envolvência, quer social, quer em termos do seu percurso e organização.

    Abraço.

    Fernando Varela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também me estreei em 2006

      Parabéns pelo melhor tempo

      Um abraço

      Excluir