quinta-feira, 4 de julho de 2013

Carlos Sá vai ao Vale da Morte - 217 kms seguidos e com 50 graus!


Carlos Sá vai participar a 15 de Julho naquela que é considerada a prova mais extrema do mundo, a Ultra-Maratona Badwater disputada em pleno Vale da Morte na Califórnia.

E porque é considerada a prova mais extrema do planeta? Por ser uma etapa única, de 217 quilómetros e debaixo de temperaturas a rondarem os 50 graus (coloco por extenso para não haver dúvidas - eu disse mesmo cinquenta graus!).


Ando eu aqui a "panicar" com a possibilidade de a 6 de Outubro poder estar calor naquela que será a minha 2ª Maratona... Não haja dúvidas que os nossos enormes sonhos e objectivos podem ser insignificantes se compararmos com estes inacreditáveis feitos.

De registar que estão inscritos 97 (super) atletas de 22 países

Desejo, desde já, as maiores felicidades ao nosso grande campeão! 

9 comentários:

  1. Sou fã do Carlos Sá, como já deves ter percebido João! Aquele psicológico vale o dobro das pernas dele. E se as pernas já são boas...
    Faço votos que ele termine a prova bem de saúde.

    Força Sá!

    ResponderExcluir
  2. Cada um com a sua "Badwater" particular! :)

    É um outro nível de luta e superação... Força a todos!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. E depois andam por ai atletas preocupados com o calor que pode fazer em Outubro na Maratona de Lisboa! Como tudo é relativo na vida!

    Uma coisa é certa: o São Pedro é amigo do Carlos Sá pois tem lhe proporcionado óptimas condições de treino com a temperaturas a atingirem os 40 graus em algumas zonas de Portugal!

    Força Carlos Sá!

    ResponderExcluir
  4. Apenas um pormenor entre muitos outros: os corredores são aconselhados a correr em cima da linha branca da marcação da berma da estrada para evitar que os ténis possam derreter.
    «Não haja dúvidas que os nossos enormes sonhos e objectivos podem ser insignificantes se compararmos com estes inacreditáveis feitos.». Para os nossos objectivos, sim. Mas o que dizer do João Lima que vai fazer a Maratona pela segunda vez? Qual será o efeito disso para os sonhos e objectivos do sedentário que hoje calça uns ténis e que nem 500m cosegue correr de seguida?
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Grande Carlos Sá, nem consigo imaginar tamanhas temperaturas. Tb eu sou grande fã do Carlos Sá, o atleta e o homem...humilde. Já começa a ter algum reconhecimento, mas ainda muito longe do que merece.
    Abraço João.

    ResponderExcluir
  6. Badwater é o ponto mais baixo do Hemisfério Ocidental, mesmo no meio do Vale da Morte, no extremo sudeste da Califórnia, 86 metros abaixo do nível do mar. A temperatura no Verão pode ultrapassar os 54ºc, e o asfalto pode subir acima dos 93ºc. Convenhamos, que não será o sítio ideal para se fazer uma corridinha…

    In O Homem da Ultra Maratona

    “Em pouco tempo, o asfalto ficou tão quente que derreteu literalmente no espaço duma hora o meu primeiro par de ténis. Nem sequer dei por isso, só quando as solas se desintegraram. Mudei para um segundo par. Pela observância dos outros competidores, aprendi a correr pela divisória branca que limitava a estrada, reflectindo satisfatoriamente o calor, de modo a evitar que esse novo par derretesse, pelo menos por então.”

    116km…

    “Às quatro da manhã, juntamente com os vómitos veio uma grave diarreia. Os meus passos tremiam tanto que eu mal conseguia chegar-me à berma da estrada para baixar as cuecas e esguichar desalmadamente de ambas as saídas”

    “Mal conseguia focar o médico a falar com o meu pai e o meu tio. Soavam-me a um transístor roufenho, cheio de electricidade estática e som irregular. Levantei os olhos: o Sol parecia estar a entornar-se numa névoa vermelha de ferro fundido que rodopiava pelas dunas ao longe e depois evaporava-se estranhamente outra vez no céu. Dei um passo em frente, guinei para o lado, dei mais meio passo de esguelha, e desmoronei-me no chão incandescente…
    Quando acordei, tinha os lençóis de hotel puxados para fora da cama, e vi-me todo nu, deitado numa poça de suor.
    - Onde é que eu estou? – Balbuciei. – Pai? Tio George?”

    No ano seguinte, 1996, Dean Karnazes voltou ao Vale da Morte, desta vez, mais avisado e treinado, e concluiu uma das tarefas mais duras e perigosas do seu curriculum…

    Será que Carlos Sá supera este obstáculo logo à primeira? Oxalá!

    Orlando Duarte

    ResponderExcluir
  7. Deus quer, o Homem sonha, a obra nasce... É um português concerteza.. Quem diria.. Magnífico.

    ResponderExcluir