domingo, 15 de abril de 2012

Estafeta Cascais-Lisboa com participação record

Uma equipa a merecer os parabéns pelo grande espírito alcançado e que foi uma honra pertencer: Carlos Mendes, Sandra Martins, João Lima e Virgílio Oliveira (Gil)

A 73ª Estafeta Cascais-Lisboa ficou marcada pelo record de participação, tanto na prova como a nível nacional.
Da prova eram 122 alcançados em 2011, a nível nacional 140 na Maratona por Estafetas igualmente de 2011. Hoje classificaram-se 155 equipas!

Esta estafeta, em muito boa hora recuperada pela Xistarca, tornou-se numa festa das equipas de pelotão. Mas sendo uma festa, em nada obsta a que cada um não se entregue de forma total. 
Aqui, nada tem a ver com as restantes provas, onde o atleta de pelotão está por si e se sentir cansado pode aliviar o esforço.
Numa estafeta, somos parte dum todo que é a equipa. O espírito de união não nos permite dar espaço ao nosso cansaço. É o tudo por tudo pois o companheiro espera-nos. 


Na minha única experiência em provas de estafeta (Maratona por Estafetas 2011) já tinha sentido isso mesmo. Mas como fiz o 1º percurso, faltava-me a experiência de estar a aguardar pelo meu colega. Aconteceu isso hoje (fiz o 3º percurso) e posso dizer que essa espera é um momento de muitos nervos e expectativa. Mas depois de receber o testemunho, é um tudo por tudo que a todos surpreende. 
Aconteceu com o nosso 1º elemento, Carlos Mendes, que marcou uns excelentes 20.52, entregando o testemunho à Sandra Martins que lutou de tal forma que bateu o seu record aos 5.000 com média de 4.56 (ou não fossemos nós os 4 ao Km...)
Entregou-me no limite das suas forças, o que mais responsabilidade me deu.
Depois dos meus 5 quilómetros (já lá vamos...), passei ao Gil (Virgílio Oliveira) que com a ânsia de não perder tempo ia escorregando, mas de imediato voou pela descida e recta de Algés.

No final, marcámos 1.31.52 o que nos deu um espectacular 53º lugar entre 155 equipas, bem acima das nossas expectativas, que eram na 1ª metade. Ora, por 1 lugar que não ficámos no 1º terço!

Todo o esforço da Sandra bem patente nesta foto após a passagem de testemunho. Como piada o título podia ser "Quem me manda meter com estes doidos?"

Em relação à nossa anterior experiência, melhorámos de 61º para 53º mas numa prova com 155 equipas em relação à anterior de 140.
Todos estamos de parabéns pelo grande espírito de entreajuda e sacrifício em prol da equipa. Podemos dizer que a camisola pesou bastante na nossa garra, falando aqui de camisola como o símbolo da união de todos.
Foi um enorme prazer e orgulho ter feito parte desta equipa.

E foi isso tudo que proporcionou-me um dos momentos mais estranhos da minha carreira. Como é sabido, estou num período crítico de forma. Se há 4 meses fazia regularmente médias de 5.10 / 5.15, nos últimos 4 meses apenas por uma vez baixei dos 5.30 e foi com 5.29,5
E mesmo os 5.30 estavam muito difíceis de alcançar nos últimos tempos!
Ainda na 5ª feira fui treinar este percurso e marquei 28.50, claro que em treino a velocidade é mais lenta, mas indiciadora das dificuldades com que me bato. 
Por isso, o meu objectivo mais optimista situava-se nos 27.00, marca que me parecia muito complicada de alcançar nesta altura (média de 5.24) e mesmo assim muito longe do meu record alcançado em Julho passado no Da Estrada à Pista onde marquei 24.25

Pois é, por mais que pense não compreendo como foi possível mas o relógio não mente. Por 3 segundos, BATI O MEU RECORD DOS 5.000 METROS!!!
Marquei 24.22 no final duma prova sempre "de faca nos dentes"!

E aí vai ele após um arranque no máximo!

Recebi o testemunho da Sandra, e mais imbuído fiquei do espírito colectivo ao ver a máscara de esforço que a Sandra fez no final daquele sprint pela subida do Restaurante Saisa. 
Atirei-me à prova, eu que não posso começar muito rápido, e quando olhei para o relógio assustei-me com a média inicial. Mas logo esqueci essa preocupação, o Gil espera-me! Fui mantendo sempre o mesmo ritmo no limite, marcando 4.49, 4.54 e 4.52 nos 3 primeiros quilómetros. Hora de enfrentar a dura subida de Caxias para o Alto da Boa Viagem (quase meio quilómetro) mas quanto mais perto estava de passar o testemunho mais força sentia e esse quilómetro foi percorrido em 4.58, pouco se notando a subida. Para acabar, 4.49 e a passagem do testemunho.
Claro que nunca pensei em records nem me poderia passar pela cabeça pois a minha preocupação era apenas a equipa, mas quando saí da estrada para reabastecer, depois de observar o arranque do Gil, olhei para o relógio e deu-me um baque! 24.22, média de 4.53, novo record aos 5.000!

Agora, alguém que me consiga explicar que não consigo. Como é que num momento de tão má forma, bato um tempo que tinha alcançado num período de excelente forma e feito num "tapete" de tartan?
Bom... não é bem assim o não conseguir explicar... Eu sei que hoje houve 3 grandes "culpados": Carlos, Sandra e Gil
Hoje estivemos todos fantásticos e de parabéns!

Para se aperceberem, dum pormenor, notem bem nos meus tempos: 4.49, 4.54, 4.52, 4.58 e 4.49. O que têm de especial? É isso mesmo! Hoje fui um verdadeiro 4 ao Km!
E também fico à espera que o amigo Jorge Branco me chame como me costuma apelidar. Um termo com quilómetros de exagero mas que sabe sempre bem ouvir e que hoje mereço!




Passagem de testemunho dos 3 primeiros masculinos aos 10 Kms e respectivo pódio

Quanto aos primeiros lugares, nas equipas masculinas o Benaventense dominou triunfando com 1.01.23 e um avanço de 1.03 sobre os vencedores do ano passado, Reboleira, equipa que aos 10 kms ainda passou em 3º mas conseguiu depois ultrapassar o Maratona, formação constituída por jovens atletas.




Passagem de testemunho aos 10 kms das 3 primeiras equipas femininas e respectivo pódio

No sector feminino, o Benfica repetiu a vitória do ano passado, igualando a JOMA como as equipas mais vitoriosas, 4 cada.
Com uma formação onde repetiu Lucília Soares, Vera Nunes e Sónia Sousa, a única alteração sobre 2011 foi a substituição de Luísa Coelho pela jovem promessa Cátia Santos, o Benfica dominou à vontade triunfando em 1.15.51 e retirando 5.06 dum ano para o outro!
Tal como em 2011, as restantes duas equipas no pódio foram o Garmin/Olímpico de Oeiras e os Amigos Atletismo Mafra, que também melhoraram significativamente os seus tempos (6.04 e 3.41 respectivamente)


Ao mesmo tempo, disputou-se uma corrida de 20 Kms pelo 2º ano e também registou um aumento grande de participação, de 413 para 551.
Os vencedores foram Mário Gomes (Alto Moinho) e Ana Pereira (Individual).


Filipe e Eberhard participaram nos 20 quilómetros, representando a equipa em todas as vertentes

Como resumo, uma excelente organização numa prova a manter por muito mais anos, que bem falta faz!




5 comentários:

  1. ****PARABÉNS TORPEDO AMARELO!****
    (E estou tão feliz ao ler o teu relato e escrever isto aqui!)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns João, extensíveis a toda a equipa. ;)

    ResponderExcluir
  3. Muito bom João! E a única explicação, creio eu, é que de facto a motivação move montanhas! E essa responsabilidade da tua prestação se ir reflectir no resultado de todos, fez-te dar o teu melhor, e deste!

    Muito bom!

    Já fiz algumas estafetas e sei como é: esse nervoso miudinho na espera, o dar tudo de nós, porque os outros também deram e estamos todos a contar com todos. É um prova especial a Estafeta, eu gosto (das que fiz: Palmela e Lagos...qque me lembre)

    Beijinho e boa semana

    ResponderExcluir
  4. Olá João,

    Foi de facto uma prova carregada de muito espírito de equipa e força conjunta. Adorei ter feito parte desta estafeta, pena que apesar de todo o esforço, tenha perdido alguns (muitos) lugares que o Carlos havia conquistado... Mas é assim, uma equipa mista com uma crominha que deu tudo por tudo : )
    Estás de parabéns, fizeste um tempo fenomenal... E João... a "minha" frase é tão bem aplicada de novo:
    - PELO SONHO É QUE VAMOS!!!

    Estamos todos de parabéns, é um orgulho enorme pertencer aos 4 AO KM : )

    Sandra

    ResponderExcluir