domingo, 10 de maio de 2020

Não, nunca é mais uma!


Existem frases feitas que servem apenas para muleta ou desbloqueador de conversa. Desde o famoso "cá estamos" ao "tudo bem" automático, seja ou não real.

Como em tudo na vida, também há dessas muletas nas nossas corridas. Uma é quando se quer iniciar uma troca de palavras com algum outro corredor, dizer "mais uma, não é?". 

Confesso que das imensas vezes que ouvi essa frase, fico sempre sem jeito, não sabendo o que responder, limitando-me a um "pois", apenas para dizer algo. Mas a verdade é que para mim, nenhuma foi mais uma. 

Fosse qual fosse o seu grau de exigência, tratei cada uma, não como "mais uma", mas como "esta corrida" pois era a que ia vivenciar. Sempre vivi com paixão este desporto e em cada uma entreguei-me de alma e coração.

Vem isto a propósito do que tenho recordado esta frase feita neste momento actual. Certamente que nenhum dos atletas que alinhou nas dezenas de provas que se disputaram a 8 de Março imaginava que estavam a participar num evento de corrida pela última vez num largo tempo indeterminado. Se fosse possível prevê-lo, certamente que a maneira que se tinham agarrado a essa corrida, ou pelo menos o seu apego sentimental, seria diferente.

A menos que seja planeado, nunca sabemos quando fazemos algo pela última vez. Por isso, a paixão com que nos devemos dedicar a cada acto. Por mais insignificante que possa parecer, a sua importância aumenta de forma exponencial aquando da sua falta.

No meu caso pessoal, participei no último dia do ano na São Silvestre da Amadora, sem imaginar nem passar remotamente como hipótese, que seria a última durante largos meses, quiçá de sempre, apesar de todas que já estavam programadas, algumas naquela classe muito especial da mítica distância.

Ao contrário do habitual, escrever pelo menos uma vez por semana, nos últimos meses este blogue tem sido maioritariamente preenchido com silêncio.
Muitas vezes penso em redigir algo mas, sinceramente, não sei o que dizer quando tenho um ponto de interrogação tão grande na perspectiva de continuar a fazer o que amo e tanto prazer me dá.

Continuam em cima da mesa as 3 hipóteses: Correr como fazia (o que nesta altura pouco mais é do que uma hipótese meramente académica), poder correr mas apenas distâncias mais curtas e mais devagar ou nem sequer poder correr mais. 

Dia 18, se tudo correr como se espera, irei fazer a tal infiltração ao joelho, à espera dum milagre. Tudo o que posso fazer, tenho feito, seguir à risca todas as indicações.

A foto que coloquei neste artigo foi tirada a escassos metros da meta na Maratona de Valência 2018. Se a Maratona de Sevilha 2014 foi a corrida da minha vida, o último quilómetro desta Maratona em Valência foi o quilómetro que mais me marcou e mais exultei em virtude do incrível ambiente. A minha cara revela toda a felicidade ao correr e é assim que recordo as corridas, com felicidade. 

Se for obrigado a ficar por aqui, duma coisa não me posso queixar, o ter tido o enorme privilégio de ter participado em 466 corridas. 466 hipóteses de sentir o prazer de correr e competir comigo mesmo. E não, nenhuma foi mais uma.

Mas, já sabem, se houver a mínima hipótese de continuar, mesmo limitado, agarrarei essa oportunidade com ambas as mãos (ou melhor dizer, pernas). Só desisto mesmo quando não resta qualquer outra solução. Já me conhecem.

Fiquem todos bem para, num futuro, todos podermos estar unidos de forma real e não apenas virtual. 
Recebam um abraço de amizade.

20 comentários:

  1. no dia 8 de Março foi a corrida dos salesianos e fiz um dos meus melhores tempos!! aguenta forte amigo, tudo há-de "correr" pelo melhor

    ResponderExcluir
  2. Desculpa lá mais tu vais correr mais uma de muitas provas! Mais curta ou não, a pé, de bicicleta, a nadar ou seja lá como for! Mas vais! Somos muitos novos para a reforma (mesmo tu sendo bue de mais velho que eu)! Muita, mas mesmo muita, Força Campeão. Olha esta "coisa" da corrida deu-me o privilégio de ser amigo de seres humanos especiais e tu és um deles!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Jorge mas vamos ver. Infelizmente, isto não é como queremos...
      Grande abraço

      Excluir
  3. Vamos continuar a acreditar que tudo se resolva pelo melhor. Para já, e na parte que te diz respeito o trabalho foi feito … eu torço por ti :)
    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Carlos! Enquanto houver uma luz ao fundo do túnel, e desde que não seja um comboio em sentido contrário, há que lutar!

      Grande abraço

      Excluir
  4. Tens toda a razão e é nestes momentos que se põem uma série de coisas em perspectiva.

    Esperemos que corra tudo pelo melhor (a sério, não é intencional) mas de uma maneira ou de outra vais dar a volta e se não forem 40 serão outros ou de outra forma.

    Como diria o grande Abraracourcix, um dia todos pararemos mas esse dia ainda não chegou!

    Abraço e como tenho ouvido muito por estes dias, "Courage"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado jnr!

      E o Abraracourcix (que nos últimos 7 albuns viu o seu nome ser-lhe mudado para Matasetix) dizia também que a única coisa que receava era o céu cair-lhe em cima mas que hoje não seria a véspera desse dia :)

      Um abraço e merci pour la courage :)

      Excluir
  5. Força João, essas coisas negativas não se aplicam a ti, não percebo nada dessas coisas injectáveis mas com certeza é para ajudar e não o contrário, será apenas mais um obstáculo ao qual terás de te adaptar, e quem sabe resolver um problema para o qual arranjarás a melhor forma de caminhar para não parar! Abraço

    ResponderExcluir
  6. Este post foi sobre a corrida mas podia ter sido sobre tanta coisa... Muita força, João. estamos todos, mas mesmo TODOS, a torcer por ti! Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Praticamente sobre tudo...

      Muito obrigado Filipe, grande abraço!

      Excluir
  7. Parabéns amigo Joao Lima, um artigo fabuloso muitissimo bem escrito e a propósito e que comunhão do Expresso na integra.
    De facto, nunca é mais uma, é sempre uma muito diferente e especial e que exige o máximo que temos para dar em cada momento das nossas vidas.
    E cada momento momento distinto das nossas vidas que temos a ousadia de enfrentamos uma nova aventura nas corridas, seja ela de que tipo for, merece todo o nosso respeito e humildade e devemos encara-la com as mesmas cautelas e precauções como se fosse a nossa primeira vez, pois caso contrario vamos ser confrontados com uma verdadeira lição de vida que não nos precavemos previamente ser possivel ocorrer.
    Estou seguro que o João Lima tal como eu ainda vamos ter oportunidade um dia mais tarde de acrescentar mais Uma, nao uma igual as muitas que já foram realizadas e estão para trás mas sim uma bem diferente e a que nos vamos agarrar em a conseguir realizar como se fosse a última possivel.
    Um grand3 abraco amigo Joao Lima, vai tudo correr bem no dia 18, ha 8 anos atrás fui intervencionado aos 2, um logo após o outro quando ja estava recuperado do 1° e apesar de me terem dito na altura que o meu prazo de validade para isto tinha terminado, é olhar para o que realizei desde então e concluir que nunca se deita a toalha ao chão enquanto o jogo nao acabar.
    Boa sorte para o que aí vem, felicidades para o futuro, vemos e vamo-nos encontrar por aí um dia destes numa corrida qualquer que seguramente merecerá a n/ sempre igual abordagem de respeito e humildade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Geraldino, pelas palavras!
      Esperemos que assim seja mas sei o que vi no ecrã durante a cirurgia e o que sinto. Daí o meu grande receio. Vamos ver...
      Grande abraço

      Excluir
  8. É só uma daquelas frases que dizemos para meter conversa mas na realidade todas as corridas são especiais, umas mais que outras é certo, mas todas são importantes.

    Neste momento vivemos todos um momento que nunca imaginámos viver mas isto vai passar! Temos que preserverar e acreditar.
    E tu também ainda te vais surpreender, agarra essa esperança com muita força! Ainda irás viver belos momentos nas corridas.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que sim, Isa! Obrigado!

      Beijinhos e tudo a correr bem :)

      Excluir
  9. Haja saúde, e o céu é o limite... E como tenho visto em muitas janelas, vai ficar tudo bem!! Mas vai mesmo, acredita!!
    Beijocas extraterrestres **

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero acreditar, sim!

      Obrigado e beijinhos. Fica bem! :)

      Excluir
  10. Nunca é mesmo só mais uma, não é? Não imagino o que seja já ter feito tantas provas, mas posso dizer que, para mim, cada prova tem uma memória, uma história, alguma coisa que faz com que tenha sido única :)

    Repito o que te tenho dito: continuo a torcer por ti e a manter o espírito positivo. Enquanto não houver certezas absolutas de nada, vamos acreditar que ainda há esperança.

    Um beijinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Inês! Vamos ter esperança :)

      Beijinhos e tudo a correr bem

      Excluir