sábado, 12 de janeiro de 2019

A correr com os campeões do Nacional de Estrada

Os dois 4 ao Km presentes, Aurélio e eu, a ladearmos o Sequeira

Pelo 3º ano consecutivo, o Campeonato Nacional de Estrada, na sua 26ª edição, disputou-se no Jamor com a Corrida com os Campeões, reservada aos atletas de pelotão não federados, a ser disputada concomitantemente.

E a escolha deste local é uma aposta ganha pelo ambiente natural e humano, emoldurados por um lindo percurso. 

Percurso que não é fácil, como convém a um campeonato nacional, sendo selectivo qb.
Começa na pista do Estádio Nacional, desce até à Marginal, sobe até ao Alto da Boa Viagem, desce para Caxias, retorna-se na Curva dos Três Pinheiros, sobe-se novamente para o Alto da Boa Viagem, agora no sentido contrário, desce-se para Cruz Quebrada, retorna-se em Algés e regressa-se à pista do Estádio Nacional, com a dura subida da Marginal até ao Estádio.

Esta é uma corrida diferente para nós, atletas de pelotão, por estarmos na mesma prova que praticamente todos os atletas consagrados e federados, numa modalidade que tem essa especificidade muito particular, qualquer praticante poder participar no mesmo evento que os melhores dos melhores.

No Nacional, sagraram-se campeões Rui Pinto do Benfica e Catarina Ribeiro do Sporting, com o Sporting a triunfar colectivamente nos dois géneros. Para ambos foi o primeiro título nesta especialidade, com a curiosidade de Rui Pinto ter feito a mesma marca ao segundo que o campeão do ano transacto, o seu colega de equipa Samuel Barata, hoje ausente, e de Catarina Ribeiro juntar o título de estrada ao de corta-mato, provando ambos serem grande aposta no futuro do nosso Atletismo.
Classificaram-se 1.008 atletas

A campeã Catarina Ribeiro

O campeão Rui Pinto
Na Corrida com os Campeões, tivemos 355 atletas classificados, com as vitórias a sorrirem a Tiago Matias da Capenafirme e Filomena Santos do Correr Lisboa.

Em relação ao vosso escriba, a semana não foi fácil. Tal como referido na crónica anterior, tenho-me debatido com um problema nas gengivas. Tudo se fez para evitar o antibiótico, já que reajo muito mal a antibióticos, mas a infecção na gengiva assim o obrigou.

E o antibiótico actuou das duas formas. Por um lado a infecção está a passar, apesar de não totalmente mas ainda vou a meio da medicação, e por outro lado atacou-me, em especial na parte que tenho mais sensível, o aparelho digestivo e intestinal, o que fez que nos últimos treinos as pernas estivessem fracas e sem força. Felizmente hoje estavam melhores.

Naturalmente que a marca que efectuei aqui há dois anos (50.59! e no ano passado não participei por ter sido operado à vista dois dias antes) era impensável pois foi realizada na altura da minha melhor forma de sempre. No entanto, e antes deste problema, ambicionava marcar minuto 53, máximo 54. Com esta crise, receava que nem da hora baixasse.

Primeiros metros...
O resultado final não foi tão bom, logicamente, com o que ambicionava na semana passada, nem tão mau com o que receava antes da competição. Marquei tempo de chip de 56.28 o que foi o melhor que poderia fazer pois a cada momento dei tudo o que era possível para esta situação. 
Se as pernas estavam melhores, mas ainda sem aquela força, parecia que tinha ferro na barriga, de inchada que estava pelo sempre nocivo antibiótico (e este não é tão mau como aquele que provocou estragos irreversíveis, dado ter outro princípio activo).

... últimos metros...
Só posso estar orgulhoso pela consciência que dei sempre o máximo, gerindo a parte plana com as subidas, que fiz bem, e as descidas onde sou pouco eficaz.

... e meta
As condições atmosféricas estavam fantásticas se tivermos em consideração estarmos em meados de Janeiro, no que é uma excepção pela Europa fora.
Sem vento, sol a tornar mais bonito o já bonito percurso, e temperatura boa (àquela hora). Estando ao sol com manga curta estava-se bem (à sombra já era diferente mas a prova foi disputada maioritariamente ao sol).
É estranha a hora de partida (14.30 femininos do Nacional, 14.38 Desporto Adaptado e 14.45 masculinos do Nacional e Corrida com os Campeões) mas se pensarmos bem, foi a melhor hora em termos de temperatura.

Não podia desperdiçar a oportunidade de tirar uma foto com a camioneta do clube do meu coração
Agora, a próxima prova é... a Maratona de Sevilha daqui a 5 semanas! Até lá, muito treino pela frente, esperando que este problema se resolva num instante e não haja qualquer maleita para aproveitar ao máximo esta Maratona à  qual tenho um carinho tão especial!

Uma boa semana a todos! 







11 comentários:

  1. Parabéns, amigo João!
    Votos de recuperação total e bons treinos para Sevilha!

    ResponderExcluir
  2. Para já já adorei a foto junto da camionete do União de Tomar! O percurso dessa prova era mesmo feito por medida para o Egas e para mim quando treinávamos por essas paragem nos longínquos anos oitenta e tratávamos essas subidas por tu! Esse "dura" subida de Algés para a Praça da Maratona foi final de muitos treinos longos e quase sempre feita prego a fundo! Quase que também se rebentava ás vezes como uma vez que fizemos a ligação Estádio Nacional - Estádio Universitário (via Monsanto) e volta. Foi um treino para as 12 horas de VRSA e demos um "estoiro" de todo o tamanho mas chegamos ao balneários da Praça da Maratona "de gatas" mas a correr. Parabéns pela tua prestação que foi excelente, como sempre dando tudo, dentro das continências E que os efeitos colaterais do antibiótico passem depressa. Forte abraço CAMPEÃO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boas histórias! :)

      Por enquanto os efeitos estão a aumentar. Espero que entrem na curva descendente rapidamente!

      Um abraço e boas corridas e pedaladas germânicas!

      Excluir
  3. Bem bom olhando às condições. As melhoras rápidas e completas para entrar no último mês. Já posso acabar com TIC TAC ou ainda é cedo :)
    Grande abraço João … sigaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Julgo que queres dizer começar e não acabar :)
      Podes começar sim! Já é um agradável ritual :)

      Um abraço e muita força nessa recuperação!

      Excluir
  4. Mais uma prova para o histórico fantástico. E pela tua descrição não parece nada fácil!

    Correr às 14:30h... Nem nos meu melhores sonhos! Continuo a não me dar bem com o sol constante a bater-me no corpo. Mas tenho tentado correr a meio da manhã aos domingos para me habituar ao que aí vem.

    Desejo-te uma rápida recuperação para estares no teu melhor em Sevilha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Fabiana!

      Tens mesmo que te habituar ao sol pois é o mais provável em final de Abril... :)

      Beijinhos e força nessa preparação!!!

      Excluir
  5. Caro João,
    Um campeão no meio de campeões :)
    Rápidas melhoras e bons treinos pois Sevilha espera por ti.
    Gr abraço
    MIKE
    Happyrun

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Mike!
      Por enquanto isto está a piorar mas acabo o antibiótico amanhã e pode ser que comece a melhorar!

      Um abraço e boas corridas! (sem a companhia do Aquiles!)

      Excluir
  6. "foi o melhor que poderia fazer pois a cada momento dei tudo o que era possível para esta situação" É isto. É só isto que todos nós temos de fazer em cada treino, em cada prova. Parabéns, João! Não é nada fácil gerir o impacto que o que estás a passar tem na tua forma física e no teu bem-estar, mas tu continuas a cerrar os dentes e a seguir em frente, focado no grande objectivo que está quase aí!

    Espero que já estejas melhor!

    Um beijiinho

    ResponderExcluir