domingo, 20 de abril de 2014

Correr na sempre bela Constância (tão perto e definitivamente afastado)

Os 4 ao Km presentes. Marta, Isa, Vítor e eu
E aqui com a preciosa companhia do Manuel Sequeira

Ponto prévio 1 - Para os que ainda não sabem da minha luta por baixar dos 50 minutos aos 10 kms, posso dizer, muito resumidamente, que no início de 2007 cheguei ao minuto 50 e evoluía de forma que o passo seguinte e natural seria entrar no 49. Na Corrida da APAV realizo uma média que daria para 49.10, só que nessa altura a prova tinha 9.400, mas estaria reservado esse tempo para Constância. Torci o pé no aquecimento e já não pude tomar parte. A partir daí, muito aconteceu. Desde mais provas com média para baixar mas que não chegavam exactamente aos 10.000, como um pé partido uma semana antes do grande ataque, tudo foi sucedendo. Em Constância 2011 fiquei perto, 50.08 mas o tal tempo não aparecia e já se tinha tornado uma obsessão da qual nunca desisti de lutar. Até ontem, em Constância.

Ponto prévio 2 - No início do ano uma infecção provocou-me um problema bronco-pulmonar que deixou marcas irreversíveis. 

Ontem em Constância - Esta prova era para dar o máximo aquilatando de como estava para, com um plano bem idealizado, tentar atacar esse tempo daqui a dois meses. 

Quase a chegar aos 8 kms - A média apontava para 50.40 mas com o sprint final tinha esperança de poder baixar ligeiramente de 50.37 e fazer o meu 2º melhor tempo de sempre. Tudo parecia estar a correr muito bem e a indicar que poderia sonhar para daqui a 2 meses. Mas nem sempre o que parece é. Desde os 6 kms que vinha a notar um crescendo de dor na parte pulmonar. Continuava cheio de força nas pernas mas outro problema apareceu. O facto de estar no limite mas a respiração já não se processar a 100%, foi provocando um défice de oxigenação, começando a ter tonturas. Ainda equacionei abrandar mas o tempo estava aliciante demais. Mas foi ali, quase a passar a marca dos 8 que tive que tomar a decisão de andar um pouco para recuperar pois o receio de cair para o lado com alguma tontura foi muito real. 


Meta - Nos 8, andei um pouco, retomei a corrida, mais devagar, 500 metros depois tornei a andar mais uma dezena de metros para depois ir sempre a velocidade moderada, cortando então a meta em 53.44, perdendo assim um pouco mais de 3 minutos nos últimos 2 kms. Estava um pouco branco e sentia as pernas a tremer, com as mãos e pés frios. Já na semana passada, após ter dado o tudo por tudo na Estafeta, acabei a sentir-me mal.

Constatação - Se for a uma velocidade uns segundos mais lento, não irei no meu limite, logo não há necessidade dos pulmões estarem no máximo e poderei correr a distância que quiser. Inclusive em séries, não há problema porque são um curto período de tempo a que se segue espaço para recuperação. A questão prende-se com ir no limite num espaço tão prolongado de tempo.

Decisão - Após tudo o que disse anteriormente, é fácil de deduzir que terminou a luta por baixar dos 50 minutos aos 10. Sou pessoa de lutar sempre até ao fim mas esse fim chegou. Tenho que ser realista e concluir que o aparecimento deste problema tal veio a inviabilizar. Poder-se-á afirmar que deu-se aos 8 e que num futuro poderá nem aparecer. A questão é que para saber isso teria que ir de início no limite e isso não vou tornar a realizar pois não quero sentir o que senti ontem. 
Claro que é com mágoa que prescindo desse objectivo mas há coisas mais importantes numa corrida que marcas, em especial a saúde e terminar bem disposto uma prova.
E consolo-me sabendo que posso não ter alcançado este objectivo mas consegui outros dois bem mais importantes, as minhas duas Maratonas, em especial a mágica de Sevilha que conseguir fazer, e bem, estando como estava. E este número de Maratonas vai subir.

Resta uma palavra sobre este Grande Prémio que viu ontem a sua 26ª edição e que é, sem dúvida, a minha prova de eleição na distância, pela beleza do local e do seu percurso. Um sítio a vir sempre.





31 comentários:

  1. A vida é assim quando se vê que não há mesmo possibilidade de atingir determinados objectivos o melhor é procurar outros, novas metas.
    Pelo que descreves-te parece-me que estás com todas as condições para te dedicares a uma carreira de ultra maratonista em que vais sempre correr muito abaixo das tuas capacidades máximas a nível cardíaco e pulmonar e o que vais trabalhar mais é a parte muscular.
    A vida prega-nos partidas e tu que sempre te assumiste como um especialista em provas de 10 km vês agora um infeliz problema de saúde atirar-te para outras distâncias!
    Sei que não sentes nenhuma afectividade pela ultra maratona mas não tenho dúvidas que na actual situação o teu caminho passa é mesmo pela maratona e a ultra maratona!
    Provas de 10 km são mesmo para serem feitas prego a fundo, estilo contra relógio, a correr nos limites e para ti realmente, infelizmente, já não dá.
    Mesmo a Meia maratona é algo para se correr nos limites por isso desfaz esse bloqueio psicológico e atira-te para as grandes distâncias!
    Forte, emotivo e sentido abraço Torpedo Amarelo (para mim és sempre isso para sempre!).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço muito as tuas palavras, Jorge, mas deixa-me discordar do que chamas de bloqueio psicológico.
      Bloqueio seria gostar de fazer mas ter receio. Como sabes, para me meter numa empreitada dessas tinha que estar apaixonado pela ideia. Pela Maratona, tenho uma paixão avassaladora. Uma Ultra, já não mexe comigo.
      Admiro imenso quem as faz mas não me seduz em termos pessoais. Inclusive, por as que existem são em trilhos e as dificuldades que passo, em termos da minha passada, em provas de trilhos com 11 ou 12 kms já são suficientes.
      Concorde-se ou não com a minha posição, é o que sinto. Pode referir-se termos como falta da paixão, interesse, motivação, etc, agora bloqueio, não concordo de modo algum.

      Um abraço

      Excluir
  2. É curioso, foi em constância que fiz o meu melhor tempo de sempre aos 10kms, fiz 49m e qualquer coisa, mas também tenho aí nos mesmos kms, 1h05m.
    Essa é a prova que dá para fazer comparações porque além de bem medida é sempre igual.
    De qualquer maneira parabéns já estiveste pior, tens vindo sempre a melhorar, não??
    A ultima vez que estive em Constância foi quando nos conhecemos, há quantos anos? Tenho saudades de lá ir...
    Beijinho grande, eugénia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi há 3 anos que se deu o tal encontro de bloggers. Por acaso no dia que bati o record com 50.08

      Beijinhos

      Excluir
  3. Foi a decisão mais acertada e principalmente corajosa. Há coisas muito mais importantes que os 50 minutos aos 10km, não é preciso andar no limite para termos prazer a correr. Aliás, não te podes esquecer que um dos melhores dias da tua vida de corredor foi um mês depois da crise :) E agora, quem sabe, sem a pressão até pode aparecer um dia quando menos esperares, mas isso não é importante. Concordo com a tua decisão e louvo a tua coragem. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Filipe. Acredita que não é fácil...

      Um abraço

      Excluir
  4. Deixa-me muito triste que penses isso João. Compreendo porque o dizes, embora continue a achar que nunca se sabe...quando menos se espera...

    Mas primeiro está sempre a saúde e neste caso acho que fizeste bem em parar e caso volte a acontecer, os bons tempos e os recordes serão sempre secundários. Afinal de contas todos corremos porque somos felizes enquanto o fazemos. A alegria e o prazer da corrida deverão sempre ser as prioridades.

    Foi um dia muito bem passado. Não tenho feito grandes provas em Constância mas felizmente tenho tido pós-corridas fantásticos e em excelente companhia. Adoro estes dias assim!

    Beijinhos grandes e FORÇA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Isa

      Foi sem dúvida um excelente dia pós corrida e fiquei contente por ter andado convosco na minha terra e em especial por terem ido ao Museu.

      Beijinhos

      Excluir
  5. Custa sempre abdicar de um objectivo, mesmo quando o importante, e principal, é por cá andar a correr mais tempo e feliz.
    Mas um homem não baixa os braços nem pára as pernas, ainda tens outros objectivos a atingir na corrida! :) Força!
    Beijinhos, João.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rute pelas tuas palavras.
      Sim, custa, e sim, tenho outros objectivos mas o principal é sempre correr e ser feliz

      Beijinhos :)

      Excluir
  6. Mostras-te aqui e com essa decisão que és um grande Homem!
    Mais importante que um objectivo é a nossa saúde. E apesar de ser uma decisão difícil, que vi bem que foi!!!, é realmente a decisão mais correcta a fazer.
    Correr é uma alegria e não um sofrimento amigo!
    Um grande beijinho e força!!!

    ResponderExcluir
  7. João, só tu podes avaliar e só tu podes definir essa meta como alcançável ou não, e ainda só tu podes querer ou não alcançá-la, tendo em conta o esforço e todas as condicinantes. Valerá a pena?

    Seria ainda possível? Eu acredito que sim, mas se valerá a pena, aí só tu podes responder. E desta vez, com tonturas a afins não se brinca, por isso, fizeste o melhor em ter calminha que isto para nós bater records ou não, o mundo (até o nosso) fica exactamente sem qualquer alteração significativa.

    Beijinho e boas corridas



    ResponderExcluir
  8. João, parabéns por teres escutado as mensagens que o teu corpo deu. Quanto aos 50'' espero que consigas alcançar esse objectivo, mas pensa sempre que primeiro está a saúde.

    ResponderExcluir
  9. Uma decisão muito difícil, de certeza absoluta, mas se tu a tomaste é porque está certa. Estou com a Ana, só tu é que podes saber. Sei que te deve estar a custar muito, mas depois de te habituares à ideia outros objectivos virão. Colecionar Maratonas parece-me muito bem :)...e a próxima é já no Porto daqui a uns mesitos que passam a voar. Força João, a correr e a escrever muitos sobre corrida, sempre feliz!!!
    Grande Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A próxima é o Porto e a seguir ao Porto... espero que seja uma determinada Maratona. Qual? Logo ao final da tarde irás ler. Haja sorte! :)

      Um abraço

      Excluir
    2. Não queres lançar um desafio???? Eu acho que ganhava esta ;) uiiii...até já estou arrepiado só de pensar...é isso...força João!!!

      Excluir
  10. Oh, João...
    Lamento ler que o objectivo sub 50 caiu, mas lamento mais ter lido que, como a Marta, as coisas não correram bem.
    Saber avaliar a nossa condição, não cedendo ao receio mas não ultrapassar os nossos limites físicos do momento é sempre um equilibrio dificil mas o nosso bem estar e o prazer a retirar do todo é que são importantes.
    Entre histórias que não interessam este sábado fui muito feliz em Sintra, não pelo tempo ;) ( cujo primeiro objectivo foi cumprido, menos 10% quem em 2013) mas sim porque para mim foi prego a fundo o principio ao fim!
    Sem medos, não fui passado nos ultimos 500 m ( nem nos 1000), não tive receio, medo de dar aquele ultimo tudo que ainda cá estava até ao final!
    Agora...não poder dar isso, ou ter vontade mas ter receio que algo mal ocorra...inverte o prazer que sinto em correr e que deve ser parecido com o que todos sentimos.
    Por isso João, se é isso que sentes, deixa lá, o tempo é secundário, as marcas são o tempero, não o principal.
    Grande Abraço.
    PS: as condições do ar não podem ter influenciado? Ente pólen e as descargas da Caima ( a celulose do outro lado do Tejo) por vezes respira -se mal por essas bandas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, as condições do ar não influenciaram.

      Um abraço

      Excluir
  11. Grande João, vais conseguir ultrapassar isso, tudo cicatriza, o que não falta por ai são casos fantásticos de grandes recuperações seja qual for o "mal".

    Confiança e juizo é o que tem de existir nestes próximos tempos.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. João, só te posso apoiar na decisão. Para mim é lapidar que na corrida as marcas e os tempos são um entretém para andarmos mais motivados a treinar. Se não alcançamos um objetivo, depressa estabelecemos outro. Estabelece os teus objetivos e trabalha para eles. Em primeiro lugar a saúde e bem estar. O resto é acessório!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Não querendo repetir o que já te disseram, simplesmente te quero aqui deixar um grande abraço e sorriso de apoio e força , para as ainda muitas corridas que farás. Have fun !!

    Magro

    ResponderExcluir
  14. João, tu é que sabes como te sentes e a saúde está em primeiro lugar. Mas pode ser que as coisas mudem.
    Foi um grande dia em Constância e em Tomar.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi sem dúvida um grande dia onde a corrida foi o pretexto :)

      Um abraço

      Excluir
  15. Curiosamente foi em constância que tenho os meus melhores dois tempos na distância.
    Quanto à tua decisão, calculo que tenha custado mas mais vale ser realista. Ainda existem muitos objectivos para alcançar.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu record também é de Constância :)
      Um abraço

      Excluir