sexta-feira, 23 de abril de 2021

Novos máximos em 20 e em Meia a caminhar

Sim, sei que não tenho andado muito activo aqui no blogue, ao contrário do que se tem passado com as caminhadas que estão a evoluir muito bem.

Na realidade, chego a interrogar-me sobre que interesse terá para muitos, relatar as caminhadas que faço, recordando-me da altura que corria e onde não via caminhar como um substituto natural da corrida. Queria era correr, gostava era de correr e nada iria substituir isso.

No entanto, a vida prega-nos rasteiras, colocando em causa dogmas e alterando-os de imediato.

Todos sabem a paixão que sentia em correr, em ser presença no pelotão, conviver com os colegas atletas e, clímax!, o desafio da Maratona. Mas quando somos privados de algo, e como já escrevi aqui mais duma vez, resta-nos duas hipóteses, a lamúria ou a mitigação. E foi esta última que de imediato abracei, substituindo o desafio da corrida com desafios na caminhada, desligando o interruptor do que estou a perder, agradecendo sim pelo que posso fazer. 

E caminho com o mesmo empenho dos 15 anos de corrida e, agora sem eventos próprios e sem pelotão, competindo nos meus desafios pessoais e que vou dando conta aqui.

E ontem houve outro especial. 

Fazendo um apanhado desde o último artigo, os tempos de 10 e 15 km continuam a cair desde que regressei da operação que efectuei em Janeiro. 

Estando o record dos 10 km a caminhar em 1.21.16 e tendo nos primeiros 10 que realizei pós a operação de Janeiro sido 28 minutos mais lento, a margem foi encurtando estando agora a 7 minutos. O mesmo se passou com os 15 onde o primeiro foi 22 minutos mais e a diferença está agora nos 8.

Fez ontem uma semana que marquei esses tempos, com a média aos 10 de 8.52/Km e aos 15 de 8.46, saltando à vista que os últimos 5 foram muito mais rápidos. 

Ora, depois disso, e sendo esta semana a altura de fazer uma de 20, o que lancei a mim próprio? Atentem neste quadro onde estão os records absolutos em caminhada para as diferentes distâncias e a média em cada:

Distância

Tempo

Média

1.000

7.47

7.47,7

5.000

40.37

8.07,4

10.000

1.21.16

8.07,6

15.000

2.03.06

8.12,4

20.000

3.01.58

9.05,9

21.097

3.11.36

9.04,9

25.000

3.45.43

9.01,7

30.000

4.29.29

8.59,0

42.195

6.27.55

9.11,6

Salta à vista que os de 20 e Meia estavam acessíveis, fruto de não terem ainda sido muito trabalhados. Basicamente, foi numa de 30 que registei essas marcas, num dia em que a última dupla légua foi muito mais rápida (a média aos 20 estava em quase 7 segundos mais que no final dos 30).

Ora se na semana passada fiz média de 8.46/km aos 15, interroguei-me se seria capaz de aguentar agora média abaixo de 9 por km em 20 km. E, caminhando ao mesmo ritmo mais 1.097 metros, o da Meia ficaria também abaixo dessa barreira.

E foi isso que meti na cabeça para ontem. Caminhar pouco mais de 3 horas abaixo de 9 ao km, o que é um ritmo bem puxado.

E foi com o foco e a motivação bem no alto (para dizer a verdade a motivação está sempre no cume) que arranquei da Baía dos Golfinhos para seguir pelo Passeio Marítimo Caxias - Cruz Quebrada, cortar para o Jamor, percorrer o caminho exterior e interior da canoagem, entrar no EVA até ao alto em Carnaxide, dar a volta, entrar no Passeio de Algés à estação e regressar à Baía dos Golfinhos.

Tempo um pouco para o quente mas perfeitamente suportável e desde o início a conseguir manter o ritmo ideal, sem quebras, apenas um pequeno abanar aos 15 e acabar muito feliz por ter alcançado os dois objectivos que me propus, bater o record aos 20 e Meia mas com a média abaixo dos 9 ao Km. Para ser franco, o baixar dos 9 ao km é que era o importante.

O record dos 20 estava em 3.01.58, fiz menos 3.52, marcando 2.58.06, média de 8.54,3

O record da Meia estava em 3.11.36, fiz menos 3.57, marcando 3.07.39, média de 8.53,7

E desde que a coisa começou a encarrilar após a natural readaptação pós-operatória, que a 2ª metade é mais rápida do que a 1ª. Neste caso 1.33.57 / 1.33.42

Acabei assim muito feliz e com um sentimento especial por ter feito algo assim apenas 99 dias após uma operação meio melindrosa de 5 horas.

O quadro dos records a caminhar fica assim actualizado desta forma:

Distância

Tempo

Média

1.000

7.47

7.47,7

5.000

40.37

8.07,4

10.000

1.21.16

8.07,6

15.000

2.03.06

8.12,4

20.000

2.58.06

8.54,3

21.097

3.07.39

8.53,7

25.000

3.45.43

9.01,7

30.000

4.29.29

8.59,0

42.195

6.27.55

9.11,6

Salta alguma coisa à vista? Sim, os 25 e a Maratona são agora os únicos nos 9 minutos. Mas os 25 já têm data marcada para tentar inclui-lo no lote dos abaixo de 9, daqui a um mês. Quanto à distância de Maratona, caminhar 6 horas e tal abaixo de 9 ao km? Não parece nada fácil, é muito muito complicado. Mas... se não o tentar, nunca saberei se consigo ou não. Certo?

Quadro km a km de ontem (com a comparação do que ia a ganhar para terminar abaixo da média de 9)

Km

Tempo

Total

+/- 9/Km (Km e total)

1

09:01,49

00:09:01,49

00:01,49

00:01,49

2

08:41,43

00:17:42,92

00:18,57

00:17,08

3

09:10,45

00:26:53,37

00:10,45

00:06,63

4

08:48,38

00:35:41,75

00:11,62

00:18,25

5

08:46,92

00:44:28,67

00:13,08

00:31,33

6

08:53,35

00:53:22,02

00:06,65

00:37,98

7

08:40,02

01:02:02,04

00:19,98

00:57,96

8

09:12,64

01:11:14,68

00:12,64

00:45,32

9

08:54,00

01:20:08,68

00:06,00

00:51,32

10

08:57,92

01:29:06,60

00:02,08

00:53,40

11

08:49,48

01:37:56,08

00:10,52

01:03,92

12

08:49,05

01:46:45,13

00:10,95

01:14,87

13

08:46,19

01:55:31,32

00:13,81

01:28,68

14

09:01,46

02:04:32,78

00:01,46

01:27,22

15

09:20,57

02:13:53,35

00:20,57

01:06,65

16

08:46,60

02:22:39,95

00:13,40

01:20,05

17

09:01,27

02:31:41,22

00:01,27

01:18,78

18

08:55,77

02:40:36,99

00:04,23

01:23,01

19

08:56,10

02:49:33,09

00:03,90

01:26,91

20

08:32,95

02:58:06,04

00:27,05

01:53,96

21

08:44,25

03:06:50,29

00:15,75

02:09,71

Meia

00:48,71

03:07:39,00

00:03,67

02:13,38

Antes de terminar, tempo para falar de outra luta, esta contra o peso. 

Para quem corria cerca de 250 km mensais, a paragem de 5 meses no início de 2020 devido ao problema do joelho, fez disparar o meu peso. De milhares de calorias gastas a correr por mês, à inactividade forçada durante 5 meses, e o diabinho que vive nas balanças a rir-se.

Comecei com as caminhadas e, sabe-se, que não são tão eficazes para a perda de peso como a corrida. Mas lentamente lá se foi perdendo alguma coisa até que, zás, outra paragem dum mês no início deste ano devido a uma intervenção cirúrgica. E lá reapareceu o que se tinha perdido.

Com o organismo estabilizado após ter sido mexido daquela forma, comecei recentemente uma dieta que espero me aproxime do peso ideal, com a consciência que irá demorar bastante. 

Para ajuda e motivação, adquiri uma balança muito precisa e que dá uma série de informações além do peso, tal como o IMC, % de gordura e de músculo, teor de água, etc.

Todos os dias à mesma hora peso-me e isto ajuda a controlar melhor e a aperceber-me de pequenos ganhos que doutra forma não teria consciência. 

Grosso modo, estava com 11 quilos a mais do que deveria ter tendo em conta a altura e idade e nesta altura já perdi 1,7 Kg em 18 dias. Estou no bom caminho, é continuar e aguardar que não apareçam mais contrariedades.

Até à próxima, fiquem bem e com muita saúde, que é o melhor bem!

12 comentários:

  1. Muitos parabéns pelos novos recordes!
    Seja a caminhar ou a correr eu cá gosto sempre de ler os teus relatos =)
    Continuação de excelentes treinos =)
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Isa, e força nos vossos desafios :)

      Beijinhos

      Excluir
  2. Fantástica a forma como encaras a caminhada em alternativa à corrida.De recorde em recorde até onde? Caminhar 20 km a menos de 9m/km? Quantos o conseguem? Força!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até onde? Até onde conseguir :)
      Muito obrigado Sequeira, um abraço!

      Excluir
  3. Se tem interesse???

    Mas claro que tem interesse!

    A tua paixão, a reinvenção, são uma motivação e inspiração.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Fantástico ... não me refiro apenas aos recordes, mas à forma como encaras a contrariedade que a vida te colocou e abraças assim novos desafios, arranjando uma motivação em pormenores para continuar com força e focado ... revejo-me muito nisto e és continuas a ser um exemplo e uma inspiração. Quanto ao peso e sem corrida vai ser mais dificil, mas já encontraste o caminho ... espero é que não haja mais contrariedades para interromper esse caminho ;) ... Grande Abraço João e continua a partilhar as tuas histórias por fvr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas palavras, Carlos!
      Grande abraço

      Excluir
  5. Caro João,
    Embora atrasado no comentário, não queria deixar de te dar um gr abraço de ..... PARABÉNS :)
    Só um gr campeão como tu, é capaz de manter bem viva essa chama pelo esforço.
    Gr abraço
    MIKE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Mike! Faz-se o que se pode :)
      Grande abraço e um óptimo fim-de-semana

      Excluir
  6. Desde logo, a utilidade deste post é saber coisas sobre ti. Depois perceber a tua resiliência, a tua mentalidade faz-me acreditar em muita coisa.
    Vejo que não somos muito diferentes na maneira de pensar.

    " Queria era correr, gostava era de correr e nada iria substituir isso".
    É também o meu pensamento e, ao mek tempo, o meu medo de que um dia issk acabe. Sofro mesmo com a ideia. Mas também penso como tu: tens sempre dias hipóteses ou és engolido pelo mar ou lutas e esbracejas até que aprendea a nadar.
    É preciso tempo para lidar com uma perda assim, mas é preciso uma força enorme para acreditar que, se não dá de uma forma, dá de outra.
    Obrigado por mostrares isso, João. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado grande João! É preciso reagir sempre após o choque inicial
      Grande abraço e boa continuação de grandes objectivos :)

      Excluir