domingo, 30 de junho de 2013

Fogueiras - 7º ano consecutivo com record de participação!


Em simultâneo com os Jogos Juvenis de Peniche 1980, foi decidido criar uma Corrida para graúdos intitulada Corrida das Fogueiras, que viu 78 atletas, maioritariamente da terra, cortarem a meta. Estavam lançadas as sementes para um evento que se tornou numa verdadeira romaria a esta cidade em cada último sábado de Junho. 

Até 1987 a distância era de 12 kms para subir no ano seguinte para as actuais 3 léguas. Em 2001 associou-se a Corrida das Fogueirinhas, de 6 kms, que mais atletas / caminhantes atraiu.

E foi a partir daí que o boom tem sido constante com 10 records de participação nos últimos 11 anos, apenas 2006 foi excepção e por pouco, sendo ontem o 7º consecutivo.

O anterior máximo era de 2.239 tendo aumentado agora para 2.332, não sendo superior por limite de inscrições que esgotaram cerca dum mês antes.


Razões para este fenómeno são várias e difíceis de enumerar. Tanto se pode apontar a organização, o percurso, as fogueiras, a altura do ano entre outras, mas o que salta para a frente da lista é o maravilhoso público sempre presente, entusiasta e ruidoso.

E foi assim nesse ambiente que José Maduro em representação da Maduro Atletics bisou a sua vitória de 2011, alcançando agora 47.30, menos 2 segundos que o tempo de então, e um poderoso avanço de 1.14 sobre Fernando Lemos do Várzea que suplantou Mihail Lalev do Airão por 10 segundos.
O recordista de vitórias mantém-se Artur Santiago com 4 triunfos.

No sector feminino, com 376 atletas na meta (16,1%), Vera Nunes do Benfica venceu em 55.50 (melhor marca dos últimos 6 anos), batendo por 10 segundos a atleta do Marítimo Madalena Carriço, a mais vitoriosa nesta prova já com 6 triunfos. A 3ª, com 57.34 foi Mónica Moreiras do NucleOeiras.

Em termos colectivos as vitórias repartiram-se entre o Benfica de Abrantes (femininos) e o Fisioterapia no Desporto (masculinos).


No meu caso pessoal, foi um excelente dia de mistura entre turismo e corridas, onde tivemos o privilégio de sermos acompanhados na viagem pela Isa e o casal Sequeira / Júlia. 

Antes da corrida a muito agradável surpresa de finalmente conhecer o Carlos Castro do magnifico blog Crónicas das Corridas.

A corrida em si fez parte do plano de treinos para a Maratona, o que cumprimos e desfrutámos do sempre inesquecível ambiente.

Tempo para aguardar a 35ª edição para o próximo ano!







quinta-feira, 27 de junho de 2013

Como fui treinar, sou um malandro culpado do estado do país!


Mas quais Coelhos, Gaspares, Cavacos ou quejandos. Se querem saber quem é o verdadeiro culpado do estado a que este país chegou, pois fiquem a saber que é este vosso escriba! Nem mais! Porquê? Continuem a ler...

Treino nº 4 do plano para a Maratona. Fui hoje a meio da manhã à torreira do sol. Porque é que fui treinar a meio da manhã duma 5ª? Férias? Greve? Desemprego? Horário por turnos? Folgas rotativas? Outro?
Pois o motivo, como compreendem, apenas a mim diz respeito. Ou não...

Vinha eu, já na volta, a passar ao lado do semáforo em frente à Escola de Talaíde, quando um Mercedes SLK (notem o pormenor), parado no vermelho com um um senhor de idade ao volante e com ar de bem sucedido na vida, abriu o vidro do lado do pendura e fez menção de falar comigo. Como por vezes perguntam-me indicações de ruas, parei, aproximei-me da janela, para o senhor disparar a seguinte sentença (ler aos berros e com voz de ódio) "A correr em vez de trabalhar, malandro, por isso é que o país está como está, grevista de merda!". Sem me dar tempo para reagir, arrancou, ainda o semáforo estava vermelho.

O senhor olhou, viu, julgou e ficou a saber tudo da minha vida. Pois é.... sou eu o culpado do estado do país!  

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Números e vencedores da Ribeira da Lage (Troféu de Oeiras)


13ª e penúltima prova do 31º Troféu de Oeiras 2013, com o 7º Grande Prémio da Ribeira da Lage, corrida que acolheu 549 atletas, ficando apenas a 1 do seu record de 2008, sendo 160 femininas (29,1%)

Colectivamente, o NucleOeiras alcançou a 13ª vitória em outras tantas provas, preparando-se para o pleno. Somou 438 pontos, seguido dos Leões de Porto Salvo com 342 e Linda-a-Pastora 297.

Relação dos vencedores individuais por escalão com respectiva equipa e número de atletas que finalizaram nesse escalão: 


Benjamins B F
Ana Barros
Rossão
17
Benjamins B M
Alexandre Pereira
NucleOeiras
18
Infantis F
Sofia Makiesse
JOMA
15
Infantis M
Pedro César
NucleOeiras
16
Iniciados F
Cassandra Có
NucleOeiras
17
Iniciados M
Ruben Pereira
NucleOeiras
20
Juvenis F
Catarina Fernandes
Benfica Mem Martins
11
Juvenis M
André Oliveira
Maratona
17
Juniores F
Kcenia Bougrava
Valejas
11
Juniores M
Pedro Félix
Linda-a-Pastora
10
Sub 23 F
Andreia Miranda
NucleOeiras
  6
Sub 23 M
Tiago Lima
Monte Real
13
Seniores F
Margarida Dionísio
Garmin
16
Seniores M
Euclides Varela
NucleOeiras
42
F35
Carla Santos
Leões Porto Salvo
12
M35
Ricardo Pereira
Leões Porto Salvo
32
F40
Ana Pereira
NucleOeiras
11
M40
Francisco Pedro
Fixes
55
F45
Mª Lurdes Venâncio
Linda-a-Pastora
10
M45
Rui Duarte
Leões Porto Salvo
41
F50
Mª Rosa Carita
CCD Sintrense
14
M50
Aretino Mota
Linda-a-Pastora
37
F55
Isabel Silva
Ribeira da Lage
  9
M55
Jorge Reis
Fixes
40
F60
Manuela Folgado
Leões Porto Salvo
11
M60
João Soares
Ribeira da Lage
13
M65
Amilcar Ribeiral
Amigos de Belém
19
M70
Bernardino Pereira
Fixes
16


Próxima prova do Troféu - Linda-a-Pastora a 30 de Junho (última prova do troféu deste ano)

domingo, 23 de junho de 2013

Blogues de corrida em reportagem no Correio da Manhã


A revista de domingo da edição de hoje do Correio da Manhã, publicou uma reportagem de 3 páginas sobre os blogues de corrida.

Nela, podemos ler apontamentos sobre o blogue da Rute, Pedro e Carla, Carlos, o meu e Isa

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Os primeiros de muitos passos


Hoje foi o início oficial do cumprimento do plano de treinos que há-de levar a Isa e eu à Rock'n'Roll Maratona de Lisboa, a estreia da Isa na mítica distância e a minha segunda.

Há várias formas de olhar para um prisma. A mais rápida e directa é ver que corremos 18.600 metros e tínhamos como objectivo 23.000, logo a sensação de falhanço. Mas foi assim? Não creio pois outra forma de olhar para o tal prisma é ver que estivemos em actividade física 4 horas e meia, no meio dos quais corremos 18.600 e existirem razões para decidirmos, por comum acordo, pararmos o ritmo de corrida nesse ponto.

Passando a relatar, a Isa no último treino, dois dias antes, foi novamente visitada pelas não convidadas dores nas canelas. Por isso, decidimos andar primeiro um bom bocado para as suas canelas irem aquecendo sem esforço, pois normalmente a dor passa após uns quantos minutos. Andámos cerca de 40 minutos. 

Começámos então a correr num percurso que nos levou da chegada da Corrida do Oriente até ao Cais do Sodré e regresso, percurso que não mereceu o nosso agrado pelo estado do piso e da completa falta de atractivos.

Ambos levávamos uma garrafa de água, manifestamente insuficiente para a distância e para o facto de estarmos a começar ao meio-dia pois temos que nos ambientar à hora em que a corrida vai decorrer na sua segunda metade e ao calor. Mas eu tinha tudo programado. Aos 9 parávamos na casa-de-banho de Santa Apolónia para encher as garrafas, aos 12 o mesmo no Cais do Sodré, aos 15 novamente em Santa Apolónia e aos 20 num dos bebedouros do Parque das Nações.

Mas... chegámos a Santa Apolónia e as casas-de-banho tinham uma cancela que só abria se colocássemos 50 cêntimos! Apesar das garrafas já estarem vazias, decidimos que as encheríamos no Cais do Sodré pois aí estou "marreco" de ir a essas instalações e não há cancela.
Pois... hoje já havia! O calor a apertar, os 3 últimos kms a seco e, entre dar 50 cêntimos para utilizar uma casa-de-banho pública (...) ou ir ao lado ao Pingo Doce pagar 31 cêntimos por uma nova, é claro que sabem o que escolhemos.

Assim, muito bem arranjados, frescos e bem cheirosos, entrámos no Pingo Doce, comprámos uma garrafa para cada um e o bem que soube!
De tal maneira que aos 15, com o sol a pique, já estavam vazias novamente. E já tínhamos passado a estação de Santa Apolónia para poder ir a um café comprar mais. Ora daí até ao Parque das Nações, há muita coisa. O quê? Do lado esquerdo um pavilhão abandonado, do direito uma fábrica abandonada e por aí fora com a água em miragem.

Depois de quase 4 kms mais a seco, decidimos por comum acordo que o treino em corrida estava feito pois continuarmos assim a forçar só poderia estragar os próximos treinos. 
Mas o carro estava bem longe. Toca de andar durante bem mais duma hora, não sem antes pararmos num café (finalmente apareceu um!!!) e cada um pedir uma garrafa e um bolo de arroz.

Já a meio caminho para o carro, ouço alguém que nos ia passar a correr. Olho e quem vejo? O Afonso da Açoreana, com um cinto com garrafas e uma mochila. Percebi logo, bastou perguntar-lhe "Estás a treinar para a UMA?", resposta afirmativa.

Chegámos ao carro e finalmente parámos, cerca de 4 horas e meia depois de termos iniciado a marcha.

O primeiro está feito, venha o próximo! 

Entrevista para A Imprensa do Atletismo


É com muita honra que fui entrevistado pelo A Imprensa do Atletismo, blogue de Edgar Barreira, distinção que me sensibilizou e a quem agradeço.

A entrevista pode ser lida aqui

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Filme motivacional e turístico da Rock'n'Roll Maratona de Lisboa


Muito bom o filme motivacional e turístico que a organização preparou! Cliquem aqui para o verem.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Os 44 da nossa selecção


Em Dublin, no próximo fim-de-semana tem lugar o Campeonato da Europa de Nações onde Portugal participa na 1ª liga, tentando o acesso à SuperLiga que reúne as 12 melhores. 

As 12 equipas em compita (das quais subirão 3) são: Bélgica, Bulgária, Estónia, Finlândia, Holanda, Hungria, Irlanda, Portugal, República Checa, Roménia, Suécia e Suiça

A Federação já divulgou os nomes dos 44 seleccionados. São eles: (a quem desejo desde já as maiores felicidades)

Femininos
Carla Tavares – Sporting CP - 4x100 metros
Carolina Duarte – Sporting CP - 4x400 metros
Cátia Azevedo – Sporting CP - 400 metros e 4x400 metros
Clarisse Cruz – Sporting CP - 3000 metros obstáculos
Dorothé Évora – SL Benfica - 4x400 metros
Dulce Félix – Maratona CP - 5000 metros
Eva Vital –  SL Benfica - 100 metros barreiras e 4x100 metros
Irina Rodrigues – Sporting CP - Peso e Disco
Jessica Augusto – Individual - 3000 metros
Joceline Monteiro – Sporting CP - 4x400 metros
Liliana Vieira – SL Benfica - Altura
Maria Leonor Tavares – Sporting CP -  Vara
Nádia Gaspar –  SL Benfica - 400 metros barreiras
Sandra Teixeira – Sporting CP - 800 metros e 1500 metros
Sílvia Cruz – Sporting CP - Dardo
Sónia Tavares – Beira-Mar SC - 100 metros, 200 metros e 4x100 metros
Susana Costa – Individual - Triplo Salto
Susana Santos – SL Benfica - 4x100 metros
Tânia Duarte – SL Benfica - 4x100 metros
Teresa Carvalho – SL Benfica - Comprimento
Vânia Silva – Sporting CP - Martelo

Masculinos
Alberto Paulo – SL Benfica - 3000 m obstáculos
Arnaldo Abrantes – SL Benfica - 4x100 metros
Bruno Albuquerque – Sporting CP - 5000 metros
Dário Manso – Sporting CP – Martelo
David Lima –  Sporting CP - 200 metros e 4x100 metros
Diogo Antunes – SL Benfica - 4x100 metros
Edi Maia – Sporting CP -  Vara
Hélio Gomes – SL Benfica -1500 metros
João Ferreira – Individual - 4x400 metros
Jorge Grave – SL Benfica – Disco
Marco Fortes –  SL Benfica –Peso
Marcos Chuva – SL Benfica – Comprimento
Miguel Moreira – SL Benfica -800  metros
Nelson Évora – SL Benfica - Triplo Salto
Paulo Conceição – SL Benfica – Altura
Pedro Bernardo – Juventude Vidigalense - 4x100 metros
Pedro Fontes – Juventude Vidigalense - 4x400 metros
Rasul Dabó –  SL Benfica - 110 m barreiras
Ricardo Lima – Sporting CP - 400 m barreiras e 4x400 metros
Ricardo Monteiro –  SL Benfica -100 metros e 4x100 metros
Rui Pinto – SL Benfica - 3000 metros
Tiago Aperta – SL Benfica – Dardo
Vitor Ricardo Santos – Sporting CP - 400 metros e 4x400 metros

A Delegação que será liderada pelo Presidente da FPA, Jorge Vieira, terá como Chefe de Equipa Paulo Bernardo, como responsável técnico João Abrantes e como responsável da área Médica Isabel Crespo.

Compõem ainda a seleção os técnicos Carlos Silva, João Campos, Paulo Reis, Vladimir Zinchenko, João Ganso e Joaquim Raposo Borges.

A equipa médica é completa com os Fisioterapeutas Francisco Silva e Rui Bispo, com a ligação à imprensa a ficar a cargo de António Costa.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Um novo blog de qualidade


No mundo da blogosfera apareceu um novo blogue dedicado ao Atletismo e com selo de qualidade pelo seu autor, o conhecido Edgar Barreira.

Edgar foi um dos bloggers pioneiros e conhece o Atletismo numa panóplia de vertentes. Desde atleta em si até ao mundo do treino, planeamento, gestão e evolução de atletas, passando pelo seu lado mais conhecido, a informação, com experiência em vários meios de comunicação, tanto em papel como internet, sendo um dos 3 administradores dum site de referência, o Atleta Digital.

Decidiu agora regressar ao mundo dos blogues com o seu A Imprensa do Atletismo onde coloca as suas ideias próprias.

Sem dúvida um blogue a seguir!

domingo, 16 de junho de 2013

A sempre magnifica Marginal à Noite

Carlos, João Branco, eu, Nuno, Sandra e Rita

Há locais que me inspiram a fazer sempre melhor. Constância e a Marginal à Noite são dois bons exemplos. Ontem mais uma vez sucedeu, na prova que liga Oeiras a Caxias e regressa, onde em 9 edições estive presente pela 8ª vez (aquando da primeira, 2005, ainda não corria).

Fazendo um curto resumo do meu historial nesta prova, em 2006 comecei com 43.45 para os seus 8 kms, no que foi uma prova importantíssima na minha evolução. Até então corria sempre a 6 ao km e nem me julgava capaz de melhor. Nesse dia, quase logo no início, fui ao lado duma atleta que não tornei a ver e que nos ajudámos mutuamente. No final, o espanto para mim de ter feito média de 5.28 (impensável até então) e o ter descoberto que conseguia afinal correr mais rápido. Esse foi um momento chave e nada tornou a ser igual.
Em 2007, já com uma forma muito diferente, marquei 40.06, média de 5.00,8 por km o que equivalia a 50.08 nos 10 kms quando na altura o meu record era de 50.37. Um ano volvido, 2008 e registei 40.28, ainda abaixo da média do tal record de 10, para em 2009 concluir a prova em 47.59, o que pode parecer um tempo mau mas que devido as circunstâncias foi bem bom. Foi a minha segunda corrida após a fractura do pé esquerdo e, estando ainda muito penro e tendo feito uma média perto dos 7 na primeira prova, aqui melhorei quase um minuto por km o que me entusiasmou imenso. Em 2010, regresso à normalidade com 40.21, 3ª vez abaixo da média do record de 50.37 aos 10 que cairia no ano seguinte (50.08). E foi nesse ano, 2011, que estabeleci o meu record neste percurso, 39.12, valor que daria, imaginem, 49.00 aos 10 e cumpriria assim o único dos grandes objectivos que não alcancei, o sub50 na dupla légua.
2012 foi a excepção com um 42.50 que redundou na minha única participação onde não me excedi.

4 ao Km presentes. Um a correr (eu), dois a apoiar (Isa e Carlos)
E este ano? Nada a ver com as marcas que ando a fazer, corri em 40.42, média de 5.05 por km, tempo que daria 50.52 aos 10, anos-luz melhor do que tem sido habitual.
Mais uma vez, nesta marginal algum duende escondido na partida deu-me alguma magia que permitiu suplantar-me e fazer uma marca "à antiga".
Ataquei desde o início, em especial após o 1º km e depois foi manter esse ritmo, fazendo um final ainda mais forte, impulsionado pelo João Branco que vinha atrás aos gritos que ia apanhar-me!

No entanto, tal como em Constância em Março passado, sinto que já não sou o mesmo nestas velocidades. Já é algo que não é, digamos, natural como dantes. A idade não perdoa e acabei a sentir que já não a tenho para estes ritmos.

Mas foi uma sensação muito agradável revisitar o passado ao ver o minuto 40 cravado no relógio.


A organização esteve, como sempre, excelente, proporcionando mais uma magnifica noite a todos quantos a puderam saborear. 
Presentes cerca de 5.000 atletas e caminhantes, aparecendo classificados 3.401, dos quais 1.069 atletas femininas (extraordinária relação de 31,4%).
Olhando para o número de classificados do ano passado, 4.771, poderá indiciar uma grande quebra mas tal não corresponde à verdade pois este ano a organização, sabendo que um bom número fazia a prova apenas a andar, decidiu criar dois escalões de inscrições. Um, de 8 euros, com chip e outro de 6 euros sem chip. Portanto quem aparece classificado é quem na realidade correu, o que é uma forma honesta da organização colocar as coisas.

Euclides Varela - Salto para a vitória
A nível de primeiros, Luís Jesus, António Sousa e Euclides Varela registavam 2 triunfos cada, ontem Euclides Varela tornou-se no atleta mais vitorioso, conquistando o tri que festejou da forma como se vê na fotografia, cortando a meta com um salto. Juntou assim este triunfo aos que já tinha alcançado em 2006 e 2010. Registou 23.58 e um avanço de 14 segundos sobre dois atletas do Gabinete de Fisioterapia no Desporto, Bruno Fraga e João Vieira.

O apoio duma campeã, Rosa Mota
O sector feminino foi ganho pela brasileira Pamella Oliveira da Desmor, batendo o record do percurso ao registar 27.15, retirando 10 segundos ao anterior máximo de Clarisse Cruz alcançado o ano passado.
Completaram o pódio Susana Cunha do Linda-a-Pastora (30.06) e Anabela Gomes do Grupo Desportivo Parlamentar (30.14), saudando-se o seu regresso após lesão