domingo, 30 de setembro de 2012

Ponte Vasco da Gama - Uma Meia de afectos


A expressão não é minha mas da Mafalda que, ao ter visto chegar a quase totalidade dos concorrentes, comentou que tinha sido uma Meia de afectos. Isto porque, em especial na 2ª parte do pelotão, e como se poderá verificar em muitas fotografias que estão publicadas no Picasa (ligação no final do artigo), muito atleta se abraçou, deu as mãos, exultou, emocionou com o seu feito e com feito do seu amigo. 
Após a meta, era um mar de afectos que só dignificam esta nossa modalidade onde as pessoas têm prazer de se ajudarem uns aos outros, fazendo como de suas as vitórias alheias.

E tive também o grato prazer de ter sentido essa felicidade ao fazer, em conjunto com o Jorge Branco, de "padrinhos" duma estreante nesta distância e recente corredora que, apesar de nunca se ter aproximado desta quilometragem e de correr há pouco tempo, cerrou os dentes e foi atrás do seu objectivo que o alcançou de forma brilhante com uma passada sempre muito certa e sem vacilar. 
No final, registámos 2.32.40 de tempo real, marca que irá ser amplamente batida por si à medida que for ganhando mais experiência. 
A fotografia inicial é a nossa chegada, e a atleta, Isa de seu nome, tem o blogue com o nome mais bonito da blogosfera, pois resume tudo aquilo que nos aconteceu uma vez "Um dia descobri que adoro correr" e que aconselho a sua leitura pela qualidade dos seus textos.


Quem também se estreou e com nota de muito realce, foi a minha colega de equipa, Lúcia Tavares, cujos "padrinhos" (neste caso padrinho e madrinha) foram o casal Sandra-Nuno (na foto após a meta). 
E a Lúcia também se tornou hoje meio-maratonista, passando assim todos os elementos dos 4 ao km a serem no mínimo meio-maratonistas, havendo um (Orlando Couto) que é também maratonista, esperando que a 9 de Dezembro passe a não ser o único...

Por isto, e por tudo o mais, foi uma manhã de muito prazer de corrida, e de parabéns à organização pelo exemplar serviço que nos proporcionaram.

Organização que foi muito bem recompensada em termos de participação com um grande aumento de atletas classificados na Meia. 
Esta Meia só ultrapassou os 3 milhares no ano passado quando, com 3.344 classificados, bateu por quase 1.000 o ano transacto. Pois este ano foram 4.893, um aumento de 1.549, o que é impressionante.
Tivemos a participação de 829 atletas femininas (16,9%)


Em termos competitivos, no sector masculino o Quénia monopolizou o pódio com Martin Lel a vencer em 1.01.28 e distanciando em 10 segundos Albert Matebor e em 21 Titus Masai. O melhor português foi decidido após luta intensa entre Hermano Ferreira e Rui Pedro Silva, tendo o primeiro levado a melhor por 3 segundos, concluindo em 9º com 1.04.52

No sector feminino, a medalha de prata da Maratona olímpica, a queniana Priscah Jeptoo, arrecadou o 1º lugar com 1.10.32, sendo seguida a 56 segundos pela sua compatriota Margaret Muriuki, tendo completado o pódio a nossa Dulce Félix em 1.12.12

Fotografias: (muitas!)




quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Um lindo anúncio


Fui surpreendido por um anúncio da SportZone que está a passar nas nossas televisões. Anúncio esse que me caiu fundo por fazer a apologia do atleta de pelotão, o que é raro assistirmos.

Se as grandes marcas publicitam, regra geral, os grandes campeões e grandes marcas, este anúncio realça a grande vitória que pode existir por se terminar uma prova, seja em que lugar seja, neste caso o último.

E o último pode ser um vencedor. Apesar da carga negativa que a palavra último possa encerrar para muitos que só vêm os lugares cimeiros como objectivo, alguém tem que terminar na última posição e esse alguém pode sentir uma alegria até superior a quem alcançou um lugar de topo.

É disso que este belo anúncio retrata e que vos convido a ver, clicando aqui
Aproveito para endereçar os parabéns a quem o criou.

E se os grandes campeões podem incentivar os jovens, são exemplos como este que poderão despertar os sedentários. E isso vai de encontro ao que tenho já por diversas vezes referido sobre as transmissões que a RTP costuma efectuar sobre as Meias das Pontes.
Aí, focam os primeiros, os inacessíveis campeões, e focam quem vai mascarado a caminhar cá para trás. Nada dos atletas de pelotão que vão a fazer a sua Meia e que a serem focados permitiria a quem está em casa concluir que esses atletas que se atrevem nessas distâncias consideráveis são pessoas normais iguais ao comum de qualquer mortal, criando a tentação de pensar "se aquele consegue, eu não hei-de conseguir?" Assim, quem está por fora deste fenómeno, julgará que é uma prova ou para campeões ou para mera brincadeira, perdendo-se consecutivamente uma grande oportunidade para agarrar mais hipotéticos atletas, melhorando a saúde física e mental duma franja maior da população.

Divulgação: Trilhos do Douro - S. João da Pesqueira

Fazendo parte do Circuito Nacional de Montanha 2012, vai ter lugar a 14 de Outubro a 2ª edição dos Trilhos do Douro em S. João da Pesqueira, prova que cresce dos 20.600 metros da 1ª edição para 42.000, possibilitando ser nomeado Campeonato de Portugal de Maratona em Montanha 2012.

Na véspera, e com a distância de 7 quilómetros, tem lugar a Caminhada das Vindimas, um passeio pedestre que permitirá conhecer a vila de S. João da Pesqueira e as vinhas em seu redor.

No domingo, às 8.15 parte a prova de Maratona, às 9.30 a Caminhada Coração do Douro (não competitiva e de 15 kms) e às 10 outra prova competitiva, a Mini-Trilhos do Douro com cerca de 15 quilómetros.
Igualmente irão ser disputadas provas para benjamins (730 metros), Infantis (1.390 metros), Iniciados (2.050 metros) e juvenis (2.710 metros).

Recorde-se que a edição inaugural, com 20.600 metros, foi ganha por Aires Sousa e Lucinda Moreiras, ambos representando o Penafiel, tendo concluído 44 atletas.

Para mais informações, consulte o regulamento aqui

domingo, 23 de setembro de 2012

Corrida do Destak em óptima manhã


Após os 2.941 atletas classificados no ano passado, a Corrida do Destak na Marginal sofreu um decréscimo de concorrentes para 2.359, mesmo assim a 2ª melhor participação nas 5 edições, culpa também da chuva nocturna que terá afastado umas centenas.

E que bem se devem ter arrependido pois a manhã esteve ideal para a prática da corrida e a organização correspondeu inteiramente ao que já nos habituou. 
E aqui para nós que ninguém nos ouve, devem ser atletas ocasionais pois os habituais vão nem que chovam canivetes!

Dos que cortaram a meta, tivemos o bonito número de 448 atletas femininas, proporcionando a percentagem de 19%.
De referir a existência de 3 escalões de veteranas. 


O NucleOeiras não deixou os seus créditos por mãos alheias e monopolizou o pódio masculino, com Artur Santiago a vencer em 32.45, seguido por Luís Lima 33.22 (ambos veteranos) e em 3º e 1º sénior, Nuno Cardoso a um segundo do segundo lugar.
Seguiu-se Telmo Silva do Atibá e o vencedor das 2 últimas edições, João Marques do Reboleira que está a recuperar duma lesão.


Representando desta vez os Joaninhas de Leião, a imparável Anabela Gomes tornou a fazer das suas e venceu mais uma prova! Cortou a meta em 38.23 sendo seguida pela jovem triatleta Liliana Alexandre a 49 segundos e pela eterna Lucília Soares que com 40.02 fechou o pódio e conquistou mais uma vitória no seu escalão, seguida na geral por duas atletas do NucleOeiras, Mónica Moreiras e Katarina Larsson.


Para mim, esta prova proporcionou duas situações inéditas. Eu que costumo chegar sempre bem cedo ao local da partida, para evitar stresses que são reservados para 2ª a 6ª e para poder conviver com outros atletas amigos, desta vez fi-lo apenas a 15 minutos da partida. E a razão está na 2ª novidade. Pela primeira vez fiz um treino antes da corrida. Treino de 9 kms o que permitiu no final a soma de 19 kms o que dá sempre jeito quando o objectivo é meter kms para a aguardada, ansiada e temida estreia na Maratona.

Como moro em Porto Salvo, saí de casa a correr para a partida em Carcavelos. Não directamente, pois isso dava apenas 5,5 mas indo primeiro a Paço de Arcos, entrar para a Marginal, pois hoje era dia com trânsito cortado de manhã, e ir por ali como se estivesse em plena Corrida do Tejo ou Marginal à Noite mas sem o mar de atletas ao lado, pelo contrário pois a estrada ainda estava vazia. 
A temperatura estava fresquinha, o que foi uma benção, e cheguei à partida já o pessoal estava a começar a alinhar e sentia-me folgado.

Mesmo assim, dado o tiro de partida (ou melhor, a apitadela de partida), coloquei um ritmo muito suave pois não sabia como iria reagir. Mas como estava a sentir-me bem, em cada quilómetro baixava uns segundos, acabando por fazer uma corrida sempre em crescendo e acabando um minuto abaixo da hora, coisa que não esperava em virtude de ter na realidade 19 kms nas pernas.
Curiosamente, a média por km foi rigorosamente igual aos 9.600 da Corrida da Universidade Católica da semana passada, o que foi muito bom em virtude do treino inicial.

Como se sabe, tempos é o que não me preocupa nesta fase, nem vou comparar com os 50.55 que fiz aqui no ano passado onde os objectivos e velocidade eram diferentes, pois o que conta neste momento é meter kms para a Maratona.
A única excepção irá ser na Corrida do Tejo onde vou tentar ajudar uma atleta a bater o seu record pessoal. Mas também é positivo ter um fim-de-semana de menos quilometragem no meio de todos os outros que vão desde Meias a treinos de 30 (algo que nunca fiz mas que está marcado para 4 de Novembro).




Adivinha final. Vendo a fotografia que se segue, será que acabei feliz comigo nesta manhã de corridas?


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Conforlimpa não acaba!

Finalmente uma muito boa notícia no panorama que se estava a tornar desolador nas equipas de topo. A Conforlimpa já não vai extinguir a sua equipa!

Para conhecer todos os pormenores, aconselho a leitura do artigo colocado no excelente blog Crónicas das Corridas, clicando aqui.

Mónica Rosa no Sporting

Mónica Rosa, após uma época na Juventude Vidigalense, assinou pelo Sporting, reforçando o sector de fundo leonino.

A prestigiada atleta de 34 anos, nascida em Torres Vedras, tem um palmarés que fala por si, destacando-se as 8 medalhas que conquistou em representação de Portugal.

A primeira como júnior no Europeu de Corta-Mato 1997 onde conquistou a medalha de prata, as restantes colectivamente, sendo 4 de ouro e 3 de bronze.

O ouro foi conquistado no Europeu de Corta-mato 2000, 2004 e 2006, e na Taça da Europa de 10.000 metros 2005.

Representou clubes como os Amigos Atletismo Mafra, Maratona da Maia, Maratona de Portugal e Juventude Vidigalense.

Os seus records pessoais são:

1.500 metros - 4:15.40 (2000)
3.000 metros - 8:56.58 (2001)
5.000 metros - 15:21.01(2001)
10.000 metros - 32:22.25 (2001)
Meia-Maratona - 1:13:09  (2006)
Maratona - 2:37:09 (2010)


terça-feira, 18 de setembro de 2012

20 mil esgotam Vasco da Gama


Se ainda estava a pensar inscrever-se para a Meia-Maratona de Portugal, com partida na Ponte Vasco da Gama, terá que adiar para 2013.

Os 20.000 lugares disponíveis esgotaram ontem, a 13 dias do evento, no que será a primeira prova em Portugal a disputar-se integrada na Rock'n'Roll Marathon Series, o que está a provocar natural expectativa.

As 20.000 inscrições estão divididas entre a Meia e a Mini, desconhecendo-se para já quantos estão inscritos para os 21.097 metros. 

Recorde-se que na 1ª edição, em 2000, a Meia contou com 1.912 classificados, alcançando o número mais baixo em 2001 com 1.592 e no ano passado bateu largamente o record passando de 2.391 em 2010 para 3.344, quase um milhar a mais.

domingo, 16 de setembro de 2012

A primeira da Universidade Católica


Ao comemorar 45 anos, e também 40 do 1º Curso de Gestão em Portugal, a Universidade Católica de Lisboa quis marcar a data com a realização duma corrida de Atletismo com cerca de 10 kms e uma marcha de 5 kms.

Os proveitos desta organização reverteram para o Fundo Alumni Católica, destinado a apoiar alunos em dificuldades financeiras.


E tudo correu pelo melhor nesta organização a que não faltaram os apoios devidos e fundamentais aos atletas, como a ausência de trânsito, a boa marcação do percurso, casas-de-banho à disposição, reabastecimento a meio e no final, este reforçado com banana e sumos.

Para primeira prova, de que se espera que outras se sigam, o número de atletas classificados na prova principal foi bom, 431. Destes, 75 eram senhoras, o que proporcionou a boa percentagem de 17,4% e a curiosidade de alguns atletas não serem habituais no mundo das corridas, o que pode indiciar um pelotão maior nas próximas provas, como é desejável.


O dia acordou com nevoeiro e temperatura mais fresca do que tem estado, o que poderia ser bom sinal para a performance geral, mas o sol acabou por abrir e ficou bastante abafado.

Indiferente a isso esteve Pedro Maia dos Amigos Atletismo Mafra que triunfou em 33.57, para uma distância real a rondar os 9.600 metros, batendo Pedro Silva do Collonge Bellerive por 14 segundos. 
O 3º lugar final pertenceu a Fernando Candeiras dos Serviços Sociais da Caixa Geral de Depósitos com 36.28


No capítulo feminino, mais uma vitória para a veterana Lucília Soares do Benfica que cobriu a distância em 38.56 e um avanço de de 4.21 sobre a individual Ana Silva, tendo Ana Groznik dos Run 4 Fun sido a 3ª com 45.12


Para mim, foi o regresso às competições 1 mês e 1 dia após a última prova, Mestre de Aviz na Batalha, e após tristes partidas do destino. 

Como se sabe, a minha preocupação está centrada em exclusivo na Maratona de Lisboa, prova cuja distância em si ultrapassa as minhas capacidades, agravado pelo facto destes últimos 2 meses não poder ter feito a preparação que queria. 
Mas como não se pode voltar atrás, há que fazer das fraquezas forças para reagir ao momento e dar a volta por cima, para poder cumprir o meu sonho "impossível" de me tornar maratonista.

Para tal, revi os planos e hoje foi o primeiro dia do resto da preparação. Como tal, corri sempre confortável, terminando a prova em 56.21, para uma distância de 9.600 o que daria cerca de 58.30 aos 10 kms, o que foi o que esperava. E quando é assim, está tudo bem.

 Os representantes dos 4 ao Km em prova, Eberhard e eu



A particularidade duma espécie de mini-helicóptero para filmar a partida

E olhem que o "OVNI" até voava bem!

Jéssica em Newcastle na sensacional estreia de Dibaba em Meia-Maratona


Jéssica Augusto participou hoje na North Great Run. prova já por sido ganha em 2009, e que é conhecida por ser a competição de estrada mais participada no Reino Unido, como se comprova pelo número de 54.000 atletas!

Esta corrida marcou o regresso de Jéssica após a natural paragem que se seguiu à sua excelente Maratona Olímpica, sendo natural que o ritmo tenha sido diferente do habitual. Registou 1.14.27, o que lhe deu o 12º lugar final.

Esta corrida ficou marcada pela estreia da fabulosa Tirunesh Dibaba na distância de Meia-Maratona e que não deixou os seus créditos por mãos alheias, vencendo em 1.07.35, o que fica a escassos 1.45 do record mundial, pertença de Mary Keitany, o que para prova de estreia diz tudo sobre o que esperar desta atleta sem igual. 
Distanciou Edna Kiplagat em 6 segundos e Tiki Gelana (campeã olímpica da Maratona) em 13.

No lado masculino, Wilson Kipsang triunfou no espectacular tempo de 59.06, com Micah Kogo a um escasso segundo. Completou o pódio Imane Merga ainda abaixo da hora (59.56)

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Os diamantes da liga



Terminadas que estão as 14 rondas que compuseram este ano a Liga Diamante, espaço para a relação dos 32 campeões.

Eis a lista:

Disciplina
Femininos
Masculinos
100 m
Shelly-Ann Fraser-Pryce
Usain Bolt
200 m
Charonda Williams
Nickel Ashmeade
400 m
Amantle Montsho
Kevin Borlée
800 m
Pamela Jelimo
Mohammed Aman
1500 m
Abeba Aregawi
Silas Kiplagat
5000 m
Vivian Jepkemoi Cheruiyot
Isiah Kiplangat Koech
3000 m Obstáculos
Milcah Chemos
Paul Kipsiele Koech
100/110 m Barreiras
Dawn Harper
Aries Merritt
400 m Barreiras
Kaliese Spencer
Javier Culson
Salto em Altura
Chaunte Lowe
Robbie Grabarz
Salto à Vara
Silke Spiegelburg
Renaud Lavillenie
Salto em Comprimento
Yelena Sokolova
Aleksandr Menkov
Triplo Salto
Olga Rypakova
Christian Taylor
Peso
Valerie Adams
Reese Hoffa
Disco
Sandra Perkovic
Gerd Kanter
Dardo
Barbora Špotáková
Vítezslav Veselý


quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Rui Pedro Silva assinou pelo Benfica


Rui Pedro Silva, cuja especialidade são os 10.000 metros e está a iniciar-se na Maratona, após uma temporada como individual e depois dum imbróglio de assinaturas entre a Conforlimpa e Maratona, assinou hoje pelo Benfica.

De igual modo, o jovem de 21 anos José Costa, troca o Cyclones pelo Benfica., que reforça assim a sua equipa nas mais diversas áreas.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Dulce Félix candidata a Atleta Europeia do Ano!


A nossa Dulce Félix, brilhante e inesquecível campeã europeia em Helsinquia, é umas das 15 nomeadas para Atleta Europeia do Ano.

A lista de nomeadas é:
Anita Wlodarczyk (POL) martelo
Anna Chicherova (RUS) salto em altura
Barbora Spotakova (CZE) dardo
Dulce Félix (POR) 10.000m
Éloyse Lesueur (FRA) salto em comprimento
Ivet Lalova (BUL) 100m
Jessica Ennis (GBR) heptatlo
Mariya Ryemyen (UKR) 200m
Mariya Savinova (RUS) 800m
Natalya Antyukh (RUS) 400m barreiras
Nevin Yanit (TUR) 100m barreiras
Olha Saladuha (UKR) triplo salto
Sandra Perkovic (CRO) disco
Yelena Lashmanova (RUS) 20km marcha
Yuliya Zaripova (RUS) 3000m obstáculos

No sector masculino, temos os seguintes escolhidos:
Christophe Lemaitre (FRA) 100m
Churandy Martina (NED) 200m
Fabrizio Donato (ITA) triplo salto
Greg Rutherford (GBR) salto em comprimento
Ivan Ukhov (RUS) salto em altura
Kevin Borlee (BEL) 400m
Krisztian Pars (HUN) martelo
Mahiedine Mekhissi-Benabbad (FRA) 3000 obstáculos
Mo Farah (GBR) 5000m e 10.000m
Renaud Lavillenie (FRA) salto à vara
Robbie Grabarz (GBR) salto em altura
Robert Harting (GER) disco
Sergei Kirdyapkin (RUS) 50km marcha
Tomasz Majewski(POL) peso
Vítezslav Veselý(CZE) dardo

Para poder votar, clicar aqui
O processo consta em escolher 5 atletas femininas e 5 masculinos e classificá-los de 1º a 5º. Para evitar o tradicional truque de votar, limpar os "cookies" e tornar a votar, é solicitado um registo com os dados de cada votante.

E como o voto não é secreto para quem o quiser divulgar, e para quem quiser saber como foi o meu, aqui vai:

Femininos:
1ª Dulce Félix (grande campeã europeia de 10.000 metros e com uma história exemplar de dedicação e empenho)
2ª Yelena Lashmanova (sensacional campeã olímpica nos 20 kms marcha com uns inacreditáveis quilómetros finais. E apenas com 20 anos)
3ª Mariya Savinova (dominadora nos 800 metros que gere com velocidade e muita inteligência táctica)
4ª Anna Chicherova (cada vez mais perfeita no salto em altura)
5ª Jessica Ennis (a versatilidade feita atleta)

Masculinos:
1º Mo Farah (quem viu os 5 e 10 mil olímpicos percebe porquê)
2º Renaud Lavillenie (um predestinado no salto à vara com a sua "mola", quando está no ar de cabeça para baixo, a marcar toda a diferença)
3º Christophe Lemaitre (uma excepção no mundo dos 100 e 200 metros onde luta de igual para igual com norte-americanos e jamaicanos)
4º Kevin Borlee (um "TGV" europeu numa volta à pista)
5º Robert Harting (a força e técnica aliadas no disco)

E pronto, este foi o meu voto que vale o que vale quando estamos na presença de tanto atleta de elite e que, garantidamente, proporcionará muitas classificações e opiniões diversas.
E como só podia escolher 5 de cada género, tive que deixar de fora uma Natalya Antyukh que bem merecia estar na lista. Mas quem tiraria?!?

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Revista Atletismo de Setembro


Já foi distribuída mais uma edição da Revista Atletismo, esta referente ao mês de Setembro, onde o grande e natural destaque vai para os Jogos Olímpicos de Londres.

Mas nem só de Jogos se viveu neste último período, daí também o espaço ao Mundial de Juniores e os Campeonatos Nacionais, além das diversas provas que vão animando as nossas estradas e trilhos.

Além do espaço técnico e das habituais rubricas, o Clube de Pelotão foca o GiraSol, enquanto o Atleta de Pelotão coube a honra ao autor destas linhas. 

Sendo um leitor assíduo e "devorador" de tudo o que a Revista publica, poderão facilmente imaginar a honra e orgulho que tal me proporcionou.

Em virtude dos cada vez mais altos custos, e à semelhança do que sucedeu ao Suplemento dos Jogos Olímpicos, também o Resumo das Provas de Estrada foi editado on-line, podendo ser visto aqui.

O momento actual do país é difícil e isso reflecte-se em todos os sectores. Assim, e porque não podemos mergulhar a cabeça na areia, é preferível termos uma revista com menos páginas mas com a qualidade de sempre, do que perdermos algo de imprescindível para nós e para o nosso desporto favorito.